Posts Tagged With: Lima de Freitas

Lima de Freitas: Da concretização temporal do Quinto Império em Vieira

“Ora no Livro Sexto do seu Plano da História do Futuro – História do futuro; Esperança de Portugal, Quinto Império do Mundo, plano elaborado sob a forma de perguntas e respostas, o Padre António Vieira – o “Imperador da língua portuguesa”, como lhe chamou Fernando Pessoa – expôs claramente o seu pensamento. À primeira questão; “Se o dito Império temporal há de ser na Europa ou em alguma das outras quatro partes do Mundo?” dá a resposta: “Que há de ser na Europa”. À segunda questão: “Em que província da Europa se há de fundar o dito Império temporal de Cristo?” responde “que em Espanha”. E à terceira questão: “Em que reino de Espanha se há de fundar o dito império?” responde “que em Lisboa”. O fundador desse Império será, escreve adiante, “o Sereníssimo Rei de Portugal”.”
Lima de Freitas, “Porto do Graal”, Ésquilo.

Vieira, o Visionário, o Profeta do Quinto Império, deixa aqui algumas pistas importantes para a consagração dos tempos futuros em que se irá materializar o Reino do Espírito Santo ou Quinto Império. Na sua visão profética, a erupção de tal “império temporal”, é temporal porque em António Vieira, o Império não tem uma manifestação meramente espiritual ou interior, mas também uma expressão e concreta num “super-Estado” transnacional e Universal. Esse Império físico e material ascende pela primeira vez, não no Brasil (local de suprema importância para o Jesuíta), nem em Roma ou numa Jerusalém libertada do sarraceno, mas na Europa, ou mais especificamente em Portugal. Na profecia vieirina não há lugar à satisfação da profecia do Quinto Império que não seja português. Na nossa interpretação isto implica que Portugal e os portugueses não devem deixar a terceiros, ainda que sejam “outros lusófonos” a missão e o dever históricos de reinstaurar a “Idade de Ouro” dinísica. O “rei perdido” que Retorna é o rei português Dom Sebastião e esse é o sinal da especial necessidade histórica de que os portugueses têm de polarizar e dinamizar o movimento unificador que leva para uma União lusófona que possa corporificar o sonho do Quinto Império.

Anúncios
Categories: Mitos e Mistérios, Movimento Internacional Lusófono, Portugal | Etiquetas: | Deixe um comentário

Lima de Freitas: “somos mais civilizados do que os outros povos na medida em que respeitamos o estrangeiro, o outro, abrimos-lhe os braços, envolvendo-o na nossa hospitalidade ímpar”

“De facto, e apesar de tudo, somos mais civilizados do que os outros povos na medida em que respeitamos o estrangeiro, o outro, abrimos-lhe os braços, envolvendo-o na nossa hospitalidade ímpar.
Donde, Portugal não tem razão para se envergonhar perante as restantes nações da Europa. Pelo contrário, temos muito para ensinar-lhes, para dar-lhes.
Isso é um pouco o Império do Espírito Santo.”
“Porto do Graal”, Lima de Freitas, Ésquilo.

Esta especial característica da portugalidade, presente também nas matrizes culturais de outras nações lusófonas é aquela generosidade que nos marca e que torna os portugueses especialmente solidários e da qual a grandeza da mobilização por Timor foi especial exemplo. Esta hospitalidade a que alude Lima de Freitas, que por vezes pode ser injustamente confundida com subserviência é, afinal, marca da diferença de temperamento e de mentalidade entre o português e o germânico. Se o último prioritiza critérios de eficiência e de geometria, o português prefere a convivialidade, a confraria e a humanidade. É a fraternidade humana e a universalidade que marcam toda a História de Portugal e que esteve por detrás do impulso do movimento dos Descobrimentos e Expansão. Neste contexto, a sanha canina da Inquisição e os desvios da Escravatura correspondem a uma doença mental de que sofreu a portugalidade e que resultou da infeção pelos princípios mercantilistas e desumanos importados a partir do norte da Europa.

Categories: História, Mitos e Mistérios, Movimento Internacional Lusófono, Portugal | Etiquetas: | 2 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade