E. F. Schumacher Society

O que é a “Schumacher Society”?

Se do ponto de vista da filosofia, da política e da sociologia tento pautar o meu pensamento e aspirações pelo pensamento de Agostinho da Silva, do ponto de vista económico e até sociológico encontro a minha mais profunda inspiração no pensamento do professor Shumacher.

Com o objectivo de divulgar este pensamento social e económico, praticamente desconhecido entre nós, passarei a abordar num conjunto de Posts aqui no “Quintus” alguns dos temas defendidos actualmente pela “E. F. Schumacher Society” sediada em Great Barrington, Massachusetts, da qual sou membro activo.

Numa primeira fase, passarei a traduzir alguma da informação que esta sociedade disponibiliza no seu Site e para a qual obtive a devida autorização (o que agradeço):

O que é actualmente a “Schumacher Society”?

[segue-se uma tradução livre do texto do link “About” do site da Schumacher Society]

“A “E. F. Schumacher Society” foi fundada em 1980 por Robert Swann e por um grupo de vários amigos e colegas. Swann, um pacifista de longa data e o advogado do decentralismo, foi arrastado para as ideias de Schumacher através da leitura dos seus artigos na revista “Resurgence”. Em 1967 Swann foi a Inglaterra para se encontrar pessoalmente com Schumacher e sugeriu então ao professor que os seus artigos fossem publicados na forma de um livro. Isto conduziu directamente à colecção de Ensaios que seria mais tarde conhecida como o livro “Small is Beautiful”. Swann subsequentemente organizou a viagem de 1974 de Shumacher à América do Norte para promover o livro, uma viagem que teve também um efeito catalítico para criar uma energia sustentável para o movimento nos Estados Unidos. No fim da viagem, Schumacher sugeriu que Swann estabelecesse um grupo baseado nos Estados Unidos para trabalhar na ligação entre Economia, Uso da Terra, e Tecnologia Aplicada. Seis anos mais tarde, com a colaboração de Ian Baldwin, David Ehrenfeld, Hazel Henderson, Satish Kumar, e John McClaughry, Robert Swann aceitaria o desafio e nasceria a “E. F. Schumacher Society”. Tendo Susan Witt como directora executiva [e bisneta de açorianos…] a Sociedade desenvolveu programas que tencionam tornar cada vez mais efectivo e completar a visão de Schumacher.

A Sociedade E. F. Schumacher organiza conferências anuais para académicos e activistas seguindo a tradição Shumacher, sendo estas conferências reconhecidas como um recurso valioso para a preservação de um conhecimento demasiado valioso para poder ser perdido.

O “E. F. Schumacher Center”, localizado nas colinas de Berkshire no Massachusetts oeste, cresceu nos últimos anos para albergar uma colecção de oito mil volumes, indexada por computador, contendo panfletos, cassetes audio e video e bibliografias especializadas. Os temas focam assuntos como o descentralismo, sociedades de escala humana, sistemas económicos de base regional, experiências de moedas locais, e usufruto comunitário de terras. Em 1995, Vreni Schumacher, a viúva de Schumacher, doou toda a sua livraria ao Centro. Este património injectou no Centro, de acordo com o seu “board member” Kirkpatrick Sale, “a própria essência do Homem, em todas as suas dimensões. Fiquei especialmente agradado pela presença de todos os seus artigos e livros (publicados, manuscritos e muitos discursos (manuscritos e gravados), nenhum dos quais foi conhecido sistematicamente e alguns dos quais nunca chegaram ao grande público. A este conjunto soma-se ainda os seus cadernos de notas e quem sabe que veios ricos estão aqui…”

Para além dos recursos do Centro, as conferências anuais, e outros programas educacionais, a “Schumacher Society” desenvolve projectos modelo que colocam efectivamente o Poder de volta nas mãos das pessoas. “Entre os recursos materiais, o maior, inquestionávelmente”, escreveu Schumacher, “é a terra. Estudem como é que uma sociedade usa a terra, e chegarão a conclusões bastante fiáveis sobre como será o seu futuro.” Um dos objectivos da Sociedade é criar novas formas institucionais que disponibilizem o acesso à terra baseado em objectivos sociais e ecológicos em lugar das forças do Mercado. O modelo de “usufruto comunitário de terra” desenvolvido por Robert Swann oferece esse veículo para a transformação da terra numa bem não comercial e coloca a liderança do processo nas mãos de organizações democraticamente estruturadas e regionalmente estruturadas. A “Schumacher Society”, está activamente envolvida na “Berkshire Land Trust” e publicou um livro contendo vária documentação legal que pode ajudar outros a organizar comunidades semelhantes noutras regiões dos EUA.”

Fonte: http://www.schumachersociety.org/about.html

Anúncios
Categories: E. F. Schumacher Society, Economia, Movimento Internacional Lusófono, Política Internacional, Política Nacional, Quids S2, Sociedade | 1 Comentário

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade