Enquanto ainda podemos

Porque há cada vez mais portugueses que optam pela Abstenção quando se trata de fazerem as suas escolhas e de darem o seu contributo para a Democracia?
Os cidadãos não são estúpidos. Os cidadãos perceberam que estão a votar numa classe política fechada, virada de costas para eles e que provou cabalmente, várias vezes, que não tem competência para gerir os destinos do país levando-o várias à bancarrota no século XX e agora, mais recentemente, em 2008. Esta incapacidade crónica é agora agravada pela transferência massiva de soberania (nunca sufragada em referendo) para instituições europeias, algumas das quais não democráticas (BCE, Conselho Europeu e Comissão Europeia).
Além de existir a convicção generalizada da incompetência da classe política para representar de forma adequada os seus interesses, os cidadão sabem também que a sua independência está hoje severamente condicionada por um “federalismo” europeu pouco democrático, opaco e pouco permeável à sua influência.
A escavadora da eurocracia não cessa assim de aprofundar o fosso entre cidadãos e a Democracia.
Mas tem que ser travada. Aqui e agora, enquanto ainda podemos.
E podemos, agora. Dentro e fora dos Partidos, pressionando os directórios partidários no sentido da sua renovação profunda, em ideias e rostos e as instituições europeias na direção de uma real e verdadeira democracia.
Categories: Política Nacional, Portugal, Sociedade Portuguesa | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: