Daily Archives: 2014/08/05

Cerca de 140 associações e ONGs de 17 países europeus estão atualmente a organizarem-se para promoverem uma Iniciativa Cidadã Europeia contra o TTIP e o CETA

Cerca de 140 associações e ONGs de 17 países europeus estão atualmente a organizarem-se para promoverem uma Iniciativa Cidadã Europeia contra o TTIP e o CETA. O objetivo é de anular o mandato da União nas negociações TTIP (Transatlantic Trade Investor Partnership) e CETA (Comprehensive Economic and Trade Agrement). O registo oficial (e obrigatório) desta ICE será em julho devendo a recolha de assinaturas começar em setembro.

A iniciativa está a ser coordenada pelas associações alemãs que coordenam o projeto: Campact, Attac, o Munich Environment Institute, a Nature and Biodiversity Conservation Unit (NABU) e a More Democracy Germany (Mehr Demokratie e.V.).

Uma ICE é uma forma de Democracia Participativa que permite que os seus subscritores requeiram uma ação legislativa à Comissão Europeia e uma audição obrigatória ao Parlamento Europeu. Os requisitos para que uma ICE chegue a bom porto são, contudo,  demasiado exigentes… mais de um milhão de assinaturas tem que ser recolhidas e, paralelamente, há requisitos mínimos por país, por exemplo, a Alemanha tem que reunir mais de 72 mil assinaturas e Portugal mais de 15750… O número decorre do número de deputados que cada país possui no Parlamento Europeu e procura alcançar o objectivo de que nenhuma ICE possa ser nacional ou regional.

Em Portugal, o MaisDemocracia.org é uma das associações portuguesas que apoia e promove esta ICE.

Categories: Economia, maisdemocracia.org, Política Internacional, Política Nacional, Portugal | Deixe um comentário

Mais Participação, pela via da Simplificação. Mais Participação, pela via da Multiplicação.

Mais Participação, pela via da Simplificação.
Mais Participação, pela via da Multiplicação.
Simplificação: Permitindo que seja mais simples criar um novo partido, mais simples convocar um referendo de iniciativa cidadã, mais simples convocar uma Iniciativa Legislativa Cidadã (ILC).
Multiplicação: Criando novas formas de participação, através da instauração de mecanismos de revogação de mandatos e leis por iniciativa cidadã, usando o Voto Preferencial e Listas Abertas em círculos uninominais e deputados independentes.
Todas estas propostas constam da Declaração de Princípios da www.cots-ps.org

 

Categories: COTS: Corrente de Opinião Transparência Socialista, Democracia Participativa | Deixe um comentário

Este PSD não é o “PSD de Passos”

Este PSD não é o “PSD de Passos” é, e foi, o PSD que apoiou Passos e a sua lógica destrutiva de direitos sociais e laborais, de imposição de um “estado mínimo” nunca sufragado eleitoralmente e completamente subserviente aos “mercados” e aos interesses do Norte da Europa. Não há condições nesta, ou na próxima legislatura para que o PS, depois de toda esta carga, fazer qualquer tipo de coligação com o PSD. Quem defende um eixo Costa-Rio, tem que pensar que essa aspiração pode corresponder às ambições de poder de alguns, mas certamente que não corresponde à vontade da maioria do eleitorado de esquerda.

Dado o peso dos erros socialistas do passado, parece-me claro que uma maioria socialista será muito difícil (mas não impossível) de obter. Somente uma política, compromisso e acção de ruptura decidida e corajosa com esse passado e uma abertura radical à participação dos militantes no Partido e dos cidadãos no país poderia, talvez, traduzir-se numa maioria absoluta. Nestas condições importaria começar a construir desde já, pontes e uma alternativa pluripartidária de esquerda, que polarize e potencie o voto útil (onde ele está: na abstenção) e ofereça aos eleitores uma solução governativa de esquerda, forte o bastante para negociar com a Europa condições de integração mais vantajosas que as atuais, ter a coragem para ponderar as vantagens e desvantagens da permanência no euro e ser capaz de assegurar um governo de esquerda capaz de governar durante uma ou mais legislatura num plano consistente e de longo prazo que reforce o setor primário e exportador e possa renegociar a dívida externa em condições que sejam vantajosas e a tornem naquilo que hoje não é: sustentável.

Categories: COTS: Corrente de Opinião Transparência Socialista, Política Nacional, Portugal | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy