Uma breve história do Partido de Democracia Participativa finlandês Demoex

O partido Demoex começou na escola secundária de Vallentuna, uma cidade situada na Suécia central com cerca de 30 mil habitantes. Foi nesta escola que, em 3 de outubro de 2000, as autoridades municipais organizaram um dia temática dedicado a “A Tecnologias de Informação e a Democracia” com o objetivo de procurar respostas à questão de saber porque tão poucos jovens estavam politicamente ativos. Durante os debates uma expressão que emergiu várias vezes foi a de que os estudantes não estavam politicamente ativos porque “não aprovavam terem que escolher entre ideologias”, acrescentando que “os seus pontos de vista não podiam ser reduzidos a uma escala direita-esquerda”. Outros, ainda, admitiram que estavam ausentes das causas políticas porque “as decisões eram tomadas a partir do topo”. Não faltaram também aqueles que alegaram “não terem tempo para a política”  ou que achavam “a política enfadonha, cansativa e destituída de significado”. Após estes primeiros debates, entre alunos, seguiu-se uma ronda com políticos locais. No final, concluiu-se que os estudantes apreciavam a rapidez e estrutura que são permitidas por um sistema eletrónico de debate, mas que se sentiam esmagados pelos métodos convencionais de debate (orais, discursivos e presenciais).

Nos dias seguintes, alguns estudantes de Vallentuna abriram contactos com o seu professor de filosofia no sentido de encontrarem formas de desenvolverem o sistema democrático. Foi no decurso destes contactos que a ideia Demoex surgiu. O grupo decidiu registar-se como partido político (um processo que é na Suécia muito mais fácil e aberto que em Portugal) e concorrerem às eleições locais de setembro de 2002. O objetivo era único e simples: Democracia Direta.

O Demoex arrancou com o software desenvolvido por um defensor sueco das questões da Democracia Eletrónica: Mikael Nordfors, que nos começos da década de 90 tinha já fundado um partido que advogava os princípios da Democracia Direta. A campanha eleitoral em Vallentuna começou no verão de 2002 através da distribuição de folhetos nas caixas de correio e pelo aquisição de t-shirts e o aluguer de uma carrinha. Os custos foram muito baixos, mas os eleitores premiaram-nos com a eleição do primeiro deputado municipal da Democracia Direta de todo o continente europeu: Parisa Molagholi. A sua primeira votação foi sobre o aumento dos salários dos políticos eleitos na cidade, ao que votou negativamente, bloqueando efetivamente esse aumento.

A partir de meados de 2004, o Demoex começou a utilizar o software de debate eletrónico “Ed”.

O representante local do Demoex foi reeleito em 2006, com um aumento do sufrágio de 1.7% para 2..6%. Depois destas eleições, o Demoex começou a desenvolver um sistema próprio, em Código Aberto, desenvolvido em Drupal que entrou em operação plena a partir de 2008.

Fonte:
www.demoex.org

Anúncios
Categories: Democracia Participativa | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

Moradores do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Moradores do Areeiro

AMAA

Associação de Moradores e Amigos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

Parece piada... fatos incríveis, estórias bizarras e outros micos

Tem cada coisa neste mundo... e todo dia surge uma nova!

%d bloggers like this: