Estado da Despesa Pública e aquilo que ainda falta fazer

“A despesa total em 2010, ascendeu a cerca de 88.5 mil milhões de euros (51.2% do PIB). No final de 2012, deverá ficar perto dos 75.8 mil milhões de euros (45.6% do PIB), o que traduz uma redução de 12.7 mil milhões de euros (-14%) em apenas dois anos. A despesa publica está controlada e em redução.
Se olharmos para os dados, percebemos que a despesa corrente primária (inclui prestações sociais, despesas com pessoal e consumos intermédios) cairá entre 2010 e 2012 cerca de 8 mil milhões de euros.
(…)
Entre 2011 e 2012, o conjunto das Administrações Publicas deverá registar uma redução superior a trinta mil trabalhadores e, nos próximos dois anos o ritmo desta redução deve manter-se.”

Hélder Rosalino
Expresso 3 novembro 2012

É verdade que boa parte desta redução resulta da provisória redução de salários e pensões… que sendo provisória não resolve de forma estrutural os desequilíbrios na Despesa do Estado. A equação para resolver este desequilíbrio é relativamente simples (a sua resolução, contudo, não é nada simples…: ou se cobra mais ou se gasta menos. Ora existe na sociedade portuguesa uma (rara) certeza: no que respeita à carga fiscal já passamos todos os limites e agora, de facto, é tão alta que perdeu a eficácia havendo indícios de que uma descida da sua intensidade poderia até elevar os níveis de cobrança. Poder-se-á cobrar mais se a economia começar a subir… mas para isso é preciso Investimento e estando este seco em Portugal e na falta de um (necessário) plano de estímulo europeu, não podemos contar com nenhum aumento da cobrança pela via do crescimento da economia.

Resta assim conter a Despesa… não através dos despedimentos ou rescisões “amigáveis”, mas através da continuada contenção de novas contratações, da redução dos salários mais altos e desajustados das médias da industria e, sobretudo, pela nacionalização das PPPs com contratos mais imorais e, naturalmente, pela recusa do pagamento dos juros especulativos que hoje, no conjunto, ja ultrapassam a despesa anual do Estado com a Educação Pública.

Anúncios
Categories: Economia, Política Nacional, Portugal | 1 Comentário

Navegação de artigos

One thought on “Estado da Despesa Pública e aquilo que ainda falta fazer

  1. framos

    A divida e os juros sero resolvidos quando espanhois e italianos se levantarem pacificamente, paralizando tudo durante uma semana, com cartazes “NO PAGAMOS JUROS E DIVIDA”. Ser a anunciada 3 grande guerra, que dar inicio a uma nova era no mundo ocidental com a falncia de todos os Bancos.Eu perderei todas as minhas economias como aconteceu a todos os que as tinham antes das 1 e 2 Grandes Guerras. Apesar disto gostei de ver os espanhois a cantar a Grandola.

    No dia 12 de Maro de 2013 23 20:27, Quintus

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: