Miguel Esteves Cardoso: “Contra Argumentos não há factos”

Miguel Esteves Cardoso

Miguel Esteves Cardoso

“Portugal é o país europeu com mais baixa taxa de natalidade e um dos três ou quatro piores do mundo (1.2 filhos por mulher, quando a taxa de reposição geracional é de 2.1). Se a isto somarmos a recente onda de emigração de jovens e pessoas na força da idade (muitos dos quais já não regressarão e não pagarão impostos nem contribuições sociais aqui), temos o retrato de uma tragédia social que já não é iminente porque já é actual.”
(…)
“Falta um milhão de jovens a entrar no mercado de trabalho e oito mil milhões de euros por ano para poder manter o Estado tal como ele existe agora – com as funções que tem, as responsabilidades que lhe foram atribuídas, os serviços que presta. Perante isto, há três atitudes possíveis.
A primeira é a da extrema-esquerda e do populismo demagógico, que resolvem o assunto com a simplicidade dos eternamente irresponsáveis: não existe problema algum, visto que a Constituição não consente que haja e não permite soluções: aumentam-se as pensões e os salários dos funcionários públicos; mantêm-se intocados todos os “direitos adquiridos” ou privilégios instalados tais como os dos magistrados e militares de viajarem em transportes públicos com 75% de desconto; denuncia-se o acordo com a troika e de duas uma: ou a Europa, mesmo assim, irá continuar a financiar-nos eternamente, ou o dinheiro sempre aparecera vindo de algum lado.”
(…)
“Começar por impor condições prévias: a renegociação do acordo com a troika, quanto aos prazos, juros e algumas das condições; a libertação de fundos que permitam o apoio do Estado ao relançamento da economia e o combate ao desemprego; a interrupção dos processos de privatização de empresas públicas viáveis e essenciais à soberania económica do país (e, já agora e por contraste, a exigência de que o Governo tenha a coragem de enfrentar sectores sócio-profissionais que se comportam como inimigos públicos, como sejam os dos estivadores ou os maquinistas da CP); um programa de cortes radicais e verticais na estrutura do Estado, e onde isso dói, ao PSD como ao PS: autarquias, fundações, institutos, direções e serviços regionais e o regabofe de Jardim.”

Miguel Esteves Cardoso
Expresso 10 novembro 2012

Apesar desta situação realmente dramática e potencial terminal para o país, a crise demográfica tem estado longe da agenda mediática e política. E o problema demográfico tende ainda ser mais agravado nos próximos anos, com o agravar da crise económica e da prioridade absoluta que está a ser dada aos Credores (muito por pressão desse duo maléfico que é o BCE e a CE) mais jovens partirão para o estrangeiro, depois de todos nos termos sacrificado para financiar as suas formações académicas e para trabalharem enriquecendo com as suas mais-valias os capitalistas germanos.

Portugal precisa de desatar esse novelo asfixiante de uma divida externa impagável: recusar o pagamento de juros especulativos, questionar a dívida imoral e organizar as despesas do Estado por forma a compatibiliza-las com as Receitas: reestruturar o Estado, aligeirando-o pela privatização de todas as PPPs impossíveis de pagar ou negociadas sob pressão ou corrupção, reduzindo severamente o pagamento de juros (que começa a ser maior do que o total das despesas com a Saúde) e preparando a saída ordeira de uma moeda europeia desenhada para servir os interesses alemães e não os dos países do sul.

Anúncios
Categories: Economia, Política Nacional, Portugal | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

Moradores do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Moradores do Areeiro

AMAA

Associação de Moradores e Amigos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern everything with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

Parece piada... fatos incríveis, estórias bizarras e outros micos

Tem cada coisa neste mundo... e todo dia surge uma nova!

O Vigia

O blog retrata os meus pensamentos do dia a dia e as minhas paixões, o FLOSS, a política especialmente a dos EUA, casos mal explicados, a fotografia e a cultura Japonesa e leitura, muita leitura sobre tudo um pouco, mas a maior paixão é mesmo divulgação científica, textos antigos e os tais casos ;)

%d bloggers like this: