Dar uma oportunidade ao Comércio Tradicional

No atual contexto económico é particularmente difícil montar um pequeno estabelecimento comercial ou conseguir que um já existente consiga sobreviver. A pressão das Grandes Superfícies é maior do que nunca, o seu Lobby mais poderoso do que sempre (graças aos múltiplos tráficos de interesses com a partidocracia) e um número sem precedentes destes pequenos espaços comerciais encerrou em 2011 levando ao desemprego mais vinte mil portugueses. Entretanto, os Grandes Espaços comerciais continuam a registar lucros chorudos e… a pagar impostos na Holanda.

E quando morre um pequeno espaço comercial não é “apenas” um pequeno espaço comercial que termina. Termina nele um sonho de alguém, uma paixão em fazer algo de diferente, de independência, de liberdade. Muitos destes novos espaços comerciais – especialmente neste duro clima recessivo – não conseguem funcionar mais do que seis meses. Vitimas de uma localização deficiente (devindo à escassez de fundos), da quase inexistência de marketing (pelas mesmas razões) e confiando apenas na qualidade e no “boca a boca”, grande parte destes estabelecimentos estão fadados à extinção logo num muito curto prazo, devorando em consequência o que restava de parcas economias dos seus proprietários.

Mas todos nós podemos fazer a diferença: não nos limitemos a comprar Local. Compremos Pessoal. Sejamos Consumidores Conscientes, não nos deixemos invadir por abstrações como o “cálculo preço-valor”, a teoria “racional dos mercados” ou a brutal “sobrevivência dos mais fortes” e façamos um esforço: consumamos menos, sim (como nos impõe a troika, o desemprego e a sanha fiscal gaspariana), mas consumamos Local, no pequeno comércio que nos rodeia nas nossas ruas, nos nossos bairros, nas nossas cidades. Consumamos em lojas de pessoas que conhecemos pessoalmente, com quem podemos estabelecer laços humanos e pessoais, com cujas famílias lidamos e conhecemos, com Pessoas, em suma, e não com “famiglias” poderosas que pagam os seus impostos na Holanda, enquanto engordam e fazem vida de nababos orientais no meio de um país cada vez mais desigual e empobrecido.

Categories: maisdemocracia.org, Municipalismo, Política Nacional, Portugal | 1 Comentário

Navegação de artigos

One thought on “Dar uma oportunidade ao Comércio Tradicional

  1. Fenix

    O pequeno comercio sou se salva se mordenizar.Tem que se unir em uma empresa que por si compra em conjunto para todos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

%d bloggers like this: