Francis Fukuyama: “o sistema político chinês está sob severa pressão de uma classe média crescente e das redes sociais e a dado momento pode estourar”

Segundo o conhecido académico Francis Fukuyama, o sistema político chinês está sob severa pressão de uma classe media crescente e das redes sociais e “a dado momento pode estourar”.

Existe uma distância cada vez maior entre as cúpulas políticas em Pequim e a sua população, potenciada pela inexistência de imprensa livre e de eleições. O regime conta, contudo, com uma extensiva censura (em todos os meios) e com vigilância nas comunicações eletrónicas para manter a população sob controlo, mas não está a conseguir travar o crescimento de uma consciência nacional que não conseguia sobreviver no tempo em que toda a informação era disseminada através dos órgãos de comunicação diretamente controlados pelo Partido, diz Fukuyama.

Sinais do começo dessa perda de controlo encontrou-os já Fukuyama no desastre com um comboio de alta velocidade em julho de 2011 e que vitimou 40 chineses. Na altura, alguns altos representantes do governo mandaram enterrar no local algumas peças do comboio acidentado por forma a impedirem uma investigação completa, mas uma avalanche de fotografias e protestos espalhados pelas redes sociais chinesas fê-los abortar o processo de ocultação de provas e obrigou-os a conduzir um inquérito mais credível sobre as causas do acidente.

Outro sinal de que alto vai mal no poder em Pequim surgiu quando o antigo potencial delfim Bo Xilai foi afastado num obscuro processo que parece ter tido por demolir as possibilidade deste líder carismático conseguir alcançar os mais altos patamares do poder.

O regime parece estar a ser corroído em vários dos seus mais fortes pilares: a contestação surda da população aumenta em crescendo, ano após ano, assim como o nível de vida e o conhecimento de que na maioria do mundo existem eleições, controlo democrático e liberdade de imprensa e navegação na Internet. O monolito que é o regime ditatorial do partido comunista chinês abre pequenas fissuras por todo o lado e, brevemente (como ilustram as greves recentes nas fábricas da Foxconn) estas serão incontroláveis. A Democracia pode então instalar-se na China, não sem que este país atravesse um período de grande instabilidade social e política. A opção do PCC responder a estas múltiplas pressões tornando o regime ainda mais ditatorial e fechado também existe, mas como demonstra o fenómeno (imparável) da Perestroika, uma vez aberto o dique, é impossível travar o processo. E o dique foi aberto através do processo de desenvolvimento económico na China.

Fonte:
http://blogs.afp.com/geopolitics.

Categories: China, Política Internacional | 2 comentários

Navegação de artigos

2 thoughts on “Francis Fukuyama: “o sistema político chinês está sob severa pressão de uma classe média crescente e das redes sociais e a dado momento pode estourar”

  1. Pingback: Resumo da semana « Setenta Dez

  2. Fenix

    Também penso o mesmo.Pode demorar alguns anos mas clic já foi dado.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: