O mercado brasileiro de Defesa ascenderá neste ano de 2012 a mais de 38 mil milhões de dólares

Submarino brasileiro Tikuna (http://www.naval.com.br)

Submarino brasileiro Tikuna (http://www.naval.com.br)

Segundo um estudo da ReportLinker, a dimensão do mercado brasileiro de Defesa ascenderá neste ano de 2012 a mais de 38 mil milhões de dólares. Neste montante assume especial importância o projeto dos submarinos, assim como o – várias vezes adiado – programa FX-2.

Em agosto, a presidente Dilma Rousseff anunciou planos para fundar uma empresa estatal para monitorizar a construção do primeiro submarino nuclear de ataque brasileiro, a Amazul. A construção deste submarino irá decorrer em Itaguai, no Rio de Janeiro.

A construção do primeiro submarino nuclear brasileiro resulta de um acordo assinado em 2008 entre o Brasil e França para a construção de quatro submersíveis Diesel-Elétricos e que incluía um acordo de assistência no desenvolvimento dos componentes não-nucleares do submarino nuclear de ataque brasileiro. Este negócio deverá ascender a cinco mil milhões de dólares, o que demonstra bem a sua importância para ambos os países.

O efeito multiplicador deste e de outros contratos de defesa é enorme. Além das empresas mais conhecidas (como a Embraer) o Brasil tem uma densa rede de empresas de pequena e média dimensão no setor de defesa que beneficiam de baixos custos operacionais, de mão relativamente bem qualificada e a baixo custo e de um sólido mercado nacional de Defesa que devido à obsolescência geral dos equipamentos militares do Brasil e à solidez da situação financeira de Brasília deve assegurar um consumo interno a bons níveis durante bastantes anos.

Fonte:
http://www.spacewar.com/reports/Brazils_sub_project_boosts_local_industry_999.html

Categories: Brasil, DefenseNewsPt | 10 comentários

Navegação de artigos

10 thoughts on “O mercado brasileiro de Defesa ascenderá neste ano de 2012 a mais de 38 mil milhões de dólares

  1. Riquepqd

    Os investimentos realmente serão muitos, inclusive já geraram interesse de exportação, seguem os principais projetos de meu conhecimento.

    No Exército:

    Blindado Guarani
    O Exército também é o desenvolvedor do projeto do blindado Guarani, em parceria com a empresa italiana Iveco, que apenas ficou com a parte da construção das mais de 2000 unidades que estão sendo construídas em Minas Gerais. A viatura tem potencial para também ser adquirida pelos Corpo de Fuzileiros Navais. O Exército Argentino já demonstrou interesse em adquirir um lote piloto de 14 unidades, o EB vai receber uma comissão de um blindado a cada lote exportado.

    A empresa alemã KWM, fabricante dos Leopard, se instalou no Rio Grande do Sul para fazer a manutenção os Leopard 1A5BR adquiridos pelo EB, e seu presidente disse que pretende desenvolver na fábrica gaúcha um novo blindado principal de combate sobre lagartas de acordo com as especificações do EB para substituir futuramente os Leopard por um blindado de criação teuto-brasileira, com possibilidade de exportação. mais ou menos como o Exército e a Iveco construíram em parceria o blindado de transporte de tropas Guaraní.

    O Brasil também domina a construção de todo o equipamento e armamento básico do soldado, como pistolas e fuzis através da IMBEL.

    Fuzis Imbel IA2
    O Exército Brasileiro vai encomendar 200 mil unidades das suas várias versões do fuzil de assalto Imbel IA2, e já recebeu alguns lotes, as primeiras unidades a receber o fuzil foram os pelotões especiais de fronteira, e posteriormente as prioridades de entrega serão para as tropas no Haiti, o 1º Batalhao de Forças Especiais, 1º Batalhao de Ações de Comandos, Brigada de Infantaria Paraquedista, brigadas de Infantaria de selva e brigadas de infantaria aeromóvel (helitransportadas). Estes fuzis substituirão em todo o Exército os confiáveis mas antigos FAL e Para-FAL.

    Ele também substituirá os FALs e M-16 dos fuzileiros navais e os HK G33 da infantaria da Aeronáutica.

    Arma Leve Anti-Carro e Missi MSS 1.2 AC
    Com tecnologia inteiramente nacionais do CTEX, o Exército desenvolveu e já está em produção um lote inicial da Arma Leve Anticarro (ALAC), também chamado no EB de Canhão Sem Recuo Descartável 84 mm, armamento criado para proteger os soldados de infantaria brasileiros contra blindados inimigos, é capaz de perfurar blindagens de aço com espessura de até 250 mm. Atinge um alvo com precisão a até 300 metros de distância em apenas um segundo e meio. Outro armamento com tecnologia desenvolvida pelo Centro Tecnológico do Exército é o Míssil MSS 1.2 AC, que possui alcance útil de até 2.000 metros de distância e pode ser usado contra casamatas, barcos, pequenas edificações e helicópteros.

    Radares M60, Morteiros leves, médios e pesados, viatura Chivunk e sistemas de comunicação de campanha também são de fabricação nacional do CTEX.

    Astros 2020
    Está sendo fechado contrato para compra do moderno sistema Astros 2020, que é capaz de lançar mísseis com precisão há 300 Kms, segundo diretor da fabricante nacional Avibras, atualmente somente EUA e Rússia possuem capacidade de construir sistemas semelhantes. A Indonésia já adquiriu o Astros e outros países asiáticos demonstraram interesse.

    Modernização de todo o sistema de defesa antiaérea até 2014, o concorrente mais forte é o modelo russo.

    COBRA
    O projeto do sistema Combatente Brasileiro do Futuro (COBRA), visa equipar os soldados de infantaria do Exército Brasileiro, com sistemas de armas, comunicações, localização, e visão noturna, tudo integrado, o que permitiria que os militares do mesmo pelotão se comunicassem a distância, percebessem a presença do inimigo através de infravermelho, e várias outras funções, tudo integrado ao equipamento e armamento, este projeto vai se basear no sistema FELIN do Exército Francês, E estará em todas as tropas da infantaria até 2022.

    Veículos Gaúcho e Marruá.
    Já foi encomendado um lote inicial do veículo de reconhecimento Gaúcho, que é aerotransportável e foi desenvolvido em parceria entre o Exército Brasileiro e o Exército Argentino visando o emprego de forças especiais. Também já foram encomendadas cento e vinte unidades da viatura de reconhecimento Marruá junto a empresa brasileira Agrale.

    Modernização de todo o sistema de artilharia antiaerea até 2014, o sistema preferido é o russo.

    A previsão é que todo o Exército esteja modernizado com equipamentos de ultima geração até 2022.

    Força Aérea:

    Aeronave KC-390
    Além dos 28 KC-390 já encomendados pela Força Aéreas Brasileira, vários países já demonstraram interesse na aeronave e 180 encomendas já são tidas como garantidas.

    Helicópteros de ataque AH-2 Sabre já foram adquiridos da Rússia e já estão em operação as primeiras unidades.

    50 Helicópteros EC-725 Super Cougar serão construídos no Brasil com transferência de tecnologia.

    E mais quinze UH-60L Black Hawk também já foram encomendados.

    Cem aviões leves de ataque A – 29 Super Tucano já foram entregues, também é sucesso de exportações.

    O governo brasileiro, através da Força Aérea Brasileira está participando em sociedade com as empresas Mectron do Brasil, a sul-africana Denel Aerospace Systems e a Força Aérea Sul-Africana no desenvolvimento e construção do míssil ar-ar A-Darter, projeto estimado em US$ 130 milhões, este míssil equipará os sessenta e oito caças F-5 da Força Aérea Brasileira, e as futuras aeronaves de 5º geração que serão adquiridas em processo licitatório que está em andamento. Além disto, a empresa Mectron desenvolveu para a FAB, outros mísseis, como o MAA-1B Piranha e o míssil anti-radiação MAR-1, que foi concebido para atacar radares de sistemas de defesa antiaérea, terrestres e marítimos.

    E por fim o moroso FX2

    Marinha:

    Lote inicial de aquisição de quatro submarinos scorpene convencionais e 1 nuclear, todos construídos no Brasil.

    Está prevista a construção de seis navios escolta com capacidade de deslocamento de 6.000 toneladas, prevê a capacidade de os navios receberem sistemas, armas e sensores de livre escolha da Marinha, irá operar com helicóptero de até 12 toneladas e serão construídos no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro.

    A Marinha também pretende adquirir cinquenta navios patrulha nos próximos anos, os 2 primeiros navios (NaPa 500), com 500 toneladas de deslocamento, estão em construção no estaleiro INACE, eles serão ser entregues ainda este ano.

    Já os navios-patrulha oceânicos de 1.800 toneladas de deslocamento, serão construídos a partir de 2011, e a previsão é que sejam construídos oito unidades.

    Também serão construídos navios patrulha fluviais, que serão empregados nas bacias do Paraná Paraguai e na Bacia Amazônica. O total poderá chegar a 15 unidades.

    O projeto também prevê, entre outros meios, da modernização do Navio-aeródromo São Paulo, que já foi iniciada, e a possível aquisição de um novo navio-aeródromo.

    Os caças AF-1 Skyhawk que operam no porta aviões São Paulo estão passando por um minucioso processo de modernização executado pela Embraer.

    A Marinha também está desenvolvendo em conjunto com a empresa Mectron, o míssil superfície-superfície MAN-1, e já adquiriu trinta veículos blindados Piranha IIIC, para o transporte de fuzileiros navais, inclusive já estão em operação na missão das Nações Unidas para a estabilização no Haiti.

    Quatro helicópteros de ataque SH-60B Seahawk foram encomendados, e também está em estudo a modernização dos helicópteros de ataque Super Lynx do acervo da Marinha.

    • Um grande e abrangente plano onde a incorporacao da industria e desenvolvimento locais parecem permeaar consistentemente todo o programa…

      • Riquepqd

        Isso é o mais importante, independência bélica, e a Argentina padeceu por isso na Guerra das Malvinas.

        • E de umas quantas pequenas “traicoes” dos seus aliados norte-americanos…

          • Riquepqd

            E também a França, que aceitou a pressão britânica e informou os códigos fonte dos mísseis Exocet argentinos que estavam sendo muito úteis contra as embarcações britânicas.

            Margareth Tachter ameaçou lançar uma bomba atômica na Argentina caso a França não lhes passasse esta informação…

  2. Gostei do post Clavis agora que o plano Brasil foi misteriosamente tirado do ar, o Quintus é um dos poucos espaços onde informações importantes que são ignoradas pela mídia tradicional são divulgadas.

    Ps.: você tem ideia do que foi que aconteceu com o planobrasil?

  3. fadrini, boa pergunta. eu tbm admiro muito o trab do planobrasil. e nossa adorei o coment do rique, teve coisas q eu desconhecia. sera q teremos msm um novo mbt?!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: