Este governo nacional-socialista que temos.

Alguma Esquerda tem atirado sobre o governo Passos-Portas a acusação de que se trata de um governo “neoliberal”. Por seu lado, os liberais assumidos da cena política portuguesa (ambos os dois, quero eu dizer) estão furibundos com o mesmo Governo. Algo não bate certo.

Quando um Governo vende uma apetecível empresa pública portuguesa a uma empresa chinesa gerida diretamente pelo Partido Comunista Chinês está a ser um governo liberal ou… um Governo que não é nada em concreto, além de um ávido e fiel leitor do Memorando de Entendimento com a Troika enquanto distribuir pelos seus acólitos (como Catroga) as benesses e os tachos resultantes?

Este governo não nem liberal, nem liberal. Nem socialista, nem comunista. É um governo nacional-socialista na medida em que protege os ricos e poderosos longamente instalados na sombra do Estado e que deles sugam avidamente o dinheiro dos nossos impostos, passando despudoradamente entre funções públicas e cargos privados à medida das suas conveniências e interesses particulares.

Categories: Política Nacional, Portugal | 5 comentários

Navegação de artigos

5 thoughts on “Este governo nacional-socialista que temos.

  1. Nacional-Socialista?! De nacional não defende nada… E é claramente um Partido Socialista, mais o “D”.

    Deveríamos evoluir os nomes porque o jogo de interesses sobre Portugal também o fez…

    Habitualmente vamos alternando o (des)governo entre o
    Partido Europeísta- Maçónico
    ou o
    Partido Iberista- Maçónico…

    E circo continua.

    • O nacional-socialismo defendia os grandes capitalistas e as grandes empresas. É nisso exato sentido que falo: com esta cafila é igual: atacam até a exaustao os rendimentos do trabalho e beliscam um pouco apenas os do capital.

  2. joaquim

    Os maçónicos e os iberistas querem aliar-se de Portugal cedendo à espanha castelhana imperialista, colonialista e opressora da liberdade de todos os povos da hispânia, a nossa soberania, que tanto nos custou em vidas perdidas, despesas e sacrifícios de toda a ordem.
    É inacreditável que o nosso ministro da defesa se tenha manifestado a favor de que deveriamos partihar a nossa defesa com os espanhóis castelhanos. Para mim, tal manifestação revela sintoma de negação de Portugal e traduz traição nacional. Olivença e o seu território pertence a Portugal e os castelhanos, apesar de obrigados pelo documento do tratado a devolver-nos aquele território, nunca o fizeram nem dispostos a isso estão. Como é que, pergunto eu, o povo portugês pode confiar e acreditar naqueles que não são honrados nem sérios nem respeitam a palavra e o documento que assinaram?…
    Eu, por mim, como português orgulhoso da sua pátria e história, digo; abaixo a espanha colonial e vivam os seus povos livres do humilhante jugo espanhol castelhano.

    • Essa declaração foi infeliz a varios trechos e denota uma tremenda impreparacao para o cargo e uma falta de visao estrategica.
      Exemplos mais, apenas, de um governo extremamente mal preparado para o grave momento nacional que atravessamos.

  3. LuisM

    A URSS e os países comunistas cometiam barbáries opostas ao dito socialismo e até comunismo no caminho utópico de construir o dito socialismo científico e a dialética materialista.
    Este governo é a mesma coisa: comete barbáries para construir o seu caminho utópico para o neoliberalismo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

%d bloggers like this: