Sobre o modelo borgo-relvista de Concessão da RTP1 e encerramento da RTP2

António Borges, o para-ministro (http://www.meiosepublicidade.pt)

António Borges, o para-ministro (http://www.meiosepublicidade.pt)

Existem sinais fiáveis de que o modelo que António Borges (o tal economista que o FMI despediu por ser demasiado incompetente e que Passos Coelho repescou como para-ministro) para a privatização da RTP e que Relvas usou para “sondar” os portugueses está severamente ferido de legitimidade.

Com efeito, é incompreensível que alguém que esteja realmente interessado em defender os supremos interesses da República não veja nenhum problema em usar um imposto (a taxa audiovisual) para alimentar diretamente os cofres de uma empresa privada, concessionaria da RTP. Os impostos são (conjuntamente com a Justiça e a Defesa) um dos três aspetos centrais do Estado e a sua cedência direta a particulares consagra uma muito elementar violação de um dos mais basilares princípios do Estado de Direito.

Além desta grave ilegalidade, o facto deste concessionário “dourado” (e provavelmente já selecionado por Relvas numa qualquer lógica turva) vir a ser beneficiado com uma “renda garantida” vai também criar dificuldades às outras empresas de televisão em Portugal: SIC e TVI, que assim não terão acesso a essa vantagem ilegal (já o dissemos) e desleal (dizêmo-lo agora). E uma deslealdade com vinte anos de duração, bem à imagem das imensamente perniciosas PPPs…

Tenha-se em conta que não tenho objeções de princípio contra o modelo de concessão a privados de um canal: desde que isso seja feito num contrato com uma longevidade razoável (nunca de vinte anos!), não implique o abjeto pagamento direto de impostos a privados e implique (pelo contrário!) Um pagamento de uma renda anual ao Estado. Discordamos igualmente do fim da RTP 2 (que deve manter-se no modelo atual) e, sobretudo, da RTP Internacional, especial ferramenta de ligações das Comunidades da Diáspora e da RTP África, indispensável meio de projeção de Portugal no mundo africano de expressão oficial portuguesa.

Fonte:
http://economico.sapo.pt/noticias/vamos-ver-a-rtp1_150643.html

Anúncios
Categories: Economia, Lusofonia, Política Nacional, Portugal | 1 Comentário

Navegação de artigos

One thought on “Sobre o modelo borgo-relvista de Concessão da RTP1 e encerramento da RTP2

  1. Thor

    Principalmente a RTP2, que é um canal que a nível cultural é excelente e dá espaço para outros desportos, não só futebol. O restante dos canais, conforme os comentários que eu li na internet, é quase só futilidades, na TV aberta. Igual aqui. 😦 A RTP2 não devia ser encerrada de forma alguma. Nem privatizada. Portugal vai perder se a RTP2 for encerrada.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: