A OCDE “aconselhou” o governo português a reduzir a duração do subsídio de desemprego aos cidadãos de maior idade

Recentemente, a OCDE (esse grande fórum de economistas neoliberais que só viram a recessão de 2008 quando esta chocou frontalmente com eles) “aconselhou” o governo português a reduzir a duração do subsídio de desemprego aos cidadãos de maior idade.

A lógica ideológica por detras de uma “recomendacao” dada em tom de ordem (num contexto de Protetorado da Troika) acabará inevitavelmente por ser adotada por um Governo que tem excedido todas as expetativas no seguidismo norte-europeu e neoliberal… o objetivo é o de continuar a comprimir ainda mais o Estado Social, forçando estes cidadãos a aceitarem reduções ainda mais profundas dos níveis remuneratórios e assim pressionar também para baixo os salários auferidos por aqueles trabalhadores com mais de 45 anos que ainda têm o “privilégio” de trabalharem. Indiferentes às dificuldades quase impossíveis de vencer para encontrar um trabalho num mercado bloqueado a todos os desempregados seniores, estes “peritos” da OCDE propõem algo que vai diminuir ainda mais a Procura e agravar ainda mais a Depressão que se instalou (duradouramente) em Portugal.

Num período em que o desemprego senior assume proporcoes cada vez maiores, com consequencias sociais que o desemprejo jovem não tem (filhos dependentes, familias sem qualquer rendimentos, ambos os pais desempregados, etc) vir reduzir ainda mais a rede social a familias com filhos (tipicamente existentes em pais com mais de 45 anos) revela uma absoluta insensibilidade humana que só pode ser encontrada noss neoliberais mais fanatizados e ideologicamente obcecados. Como os que mandam hoje no FMI e na OCDE, precisamente…

Fonte:
http://www.jn.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=2687923

Anúncios
Categories: Economia, Política Nacional, Portugal | 24 comentários

Navegação de artigos

24 thoughts on “A OCDE “aconselhou” o governo português a reduzir a duração do subsídio de desemprego aos cidadãos de maior idade

  1. HSMW

    E do outro lado muito subsidio-dependente do quais alguns já ouvi dizer:
    “Enquanto puder estar a mamar quem quiser que trabalhe!!!”

    É bom é tar na tasca a ver a bola…

    • Há-os, decerto… mas também há quem tenha mais de 40 anos e nao coonsiga emprego de forma alguma. ..

    • HSMW

      estás a falar dom Ângelo Correia, do falecido Hernâni Lopes, do Santana Lopes, do Dias Loureiro e da catrefada de deputados de TODOS os partidos que tem e tiveram assento parlamentar apenas durante 8 anos??? só pode.

      😉

      P.S.. – essa demagogia populista perigosa mas completamente falsa, de virar portugueses contra portugueses cujos os mestres são o CDS/PP não leva a lado nenhum.
      viram empregados contra desempregados, função publica contra o estado, professores contra os pais, os empreendedores e os piegas que estão na sua zona de conforto, cuidado com as manipulações, pois esse pensamento serve na perfeição para nos distrair das negociatas que continuam até o Estado não ter nada.
      suponho que qualquer dia até a tropa e a polícia serão privatizadas e mercenarizadas, aí será o fim!!!

      • HSMW

        Estou a falar das tristes figuras que andam aqui pela minha terra… Um deles que até andou comigo na escola…
        Mais aqueles que acumulam o subsidio com uns trabalhos por conta própria.

  2. LuisM

    A OCDE está farta de mandar “pérolas” deste tipo indicando assim que está controlada pelo FMI e pela alta finança que assumiu o controlo global via grandes potências ocidentais (EUA, Reino Unido, Israel…).
    Para qualquer nação de bem esta organização não deveria ter credibilidade e influência absolutamente nenhumas.

    • O Krugman expõe bem o que é este “clube de peritos”, assim como o Moore, de resto.
      Mas note-se que o discurso atual da OCDE está hoje muito mais à “esquerda” que o FMI e ainda mais que a CE/BCE, onde o mantra austríaco e monetarista é recitado de forma mais fanatica.

  3. LuisM

    Sobre os ditos “subsidio-dependentes” supondo que serão cidadãos com cerca de 45 anos ou mais que perdem o emprego, vendo-se na situação de ninguém mais os empregar para o resto da vida, condenados a uma vida de miséria, ainda há pouco houve um estudo que concluiu que quem usufrui do RSI de forma fraudulenta serão cerca de 20%. Se atendermos que a despesa total com o mesmo RSI é peanuts comparada com as malévolas PPPs, com as adjudicações públicas a empresas privadas com futuros CEOs actualmente a adjudicar serviços, eu pessoalmente estou disposto a manter os 20% fraudulentos para que famílias que realmente necessitem (os outros 80%), como é o caso de mães solteiras indigentes com filhos pequeninos tenham algumas migalhas na mesa. Acho chocante que as pessoas do quadrante ideológico que querem acabar com as prestações sociais que geralmente pertencem a uma religião que se arrogou açambarcar os princípios e valores humanos tenham a crueldade de ver os pobres na mais profunda miséria e reneguem os pretensos valores dessa dita religião. Entretanto os grandes grupos económicos vão progredindo com subvenções milionárias do Estado, enquanto reduzem os postos de trabalho ou diminuem os níveis salariais.

    Tão rigorosos com os tostões dos pobres.
    Tão permissivos com os milhões dos ricos.

    Para se defender isto só vejo duas hipóteses: ou se é mau, ideológicamente desonesto e possui aquela brutal crueldade de que a maralha é para ser espezinhada ou então por desconhecimento do que é a situação actual repetindo apenas a mentira tantas vezes repetida que só por isso não deixa de ser uma mentira.
    Quero crer que o companheiro HSMW fez a afirmação que fez pela segunda hipótese.

    • HSMW

      Nada disso! É apenas porque sou mau e bruto!
      E porque não tenho qualquer simpatia por quem nunca quis trabalhar tenham eles 45, 35 ou 25 anos!
      Porque os há, para além da maralha, corruptos e parasitas que por mim merecem sim ser espezinhados.

      • Estou contigo… dessa malta nao tenho pena nenhuma. Lamento é as crianças que têm o azar de nascerem filhas de tal gente… e que o Estado tem o dever de apoiar (para alguma coisa pago tantos impostos)

        • afinal são 2 brutos!!!
          😈

          eu não digo que as pessoas não devam trabalhar, a nossa sociedade está estruturada em torno disso, trabalho e produção de riqueza.

          aquilo que me causa perplexidade em vós é acusarem essas pessoas com tanta veemência quando elas objectivamente NÃO SÃO O PROBLEMA.
          na generalidade já vem de ambientes sociais e contextos familiares muito desestruturados, já trazem maus hábitos desde a sua formação como indivíduos e a alternativa pela vossa atitude e palavras era não lhes dar nada.
          isso é totalmente errado, eles iriam ter que sobreviver da maneira pior e que mais dano causaria à sociedade, a roubar, matar, assaltar, etc. está provado que é muito mais barato e eficaz dar-lhes alguma coisa e mantê-los num estado larvar para não causarem desacatos.
          todas as sociedades tem extremos na Curva de Gauss, desde os trabalhocoólicos aos preguiçosos compulsivos.

          ou querem campos de concentração????

          • Nada disso. Alias, defendo um modelo bem radical e muito agostiniano que passa pela “renda social unica”… um dia sairao aqui cpoisas sobre o tema.

            • otusscops

              CP

              a ideia parece um conceito interessante, mas agostiniano???
              já estou a ficar com um ligeiro “frisson”…

              (ou será de Santo Agostinho???)

  4. LuisM

    Os tais calões que não querem trabalhar e preferem viver à conta dos subsídios estatais serão os tais 20% do dinheiro gasto com a totalidade do RSI, sendo este um valor residual face à globalidade da despesa do Estado. Quando eles forem uma parcela significativa, como são agora as PPPs e todas as empresas e grupos económicos que recebem subvenções parasitárias do Estado, preocupar-me-ei com eles nessa altura.
    E já agora este “maravilhoso” sistema que persegue os calões e os pobres em geral está a retirar a escolaridade às classes mais desfavorecidas, estando a criar toda uma geração de indigentes transformando-os agora sim numa parcela significativa da população que não quer nem tem capacidade para se integrar no mercado de trabalho.
    Uma das grandes “maravilhas” do neoliberalismo: perseguir e excluir as consequências das suas próprias políticas.

    • A grande questão aqui é sempre a fiscalização… opnde importa concentrar meios e legislação. Apesar de toda a verborreia Centrista muito pouco tem sido feito nessa área.

  5. LuisM

    Sobre Ângelo Correia, deu-me volta às entranhas ouvir uma declaração sua aquando da intervenção da NATO na Líbia, justificando-a como uma excelente oportunidade para criar negócio para as empresas ocidentais.

    • Volta às entranhas é o sentimento mais frequente quando vejo essa cara façanhuda (frequentemente) na televisão.
      E eu lembro-me do que ele disse na greve geral quando estava no MAI…

  6. LuisM

    Eu pessoalmente não acho que nenhum ser humano mereça ser espezinhado. Mesmo os actuais causadores da crise ou até os verdadeiros parasitas pertencentes às grandes corporações e grupos económicos e não desgraçados que nem da sua vida sabem tomar conta. Quando muito deviam ser julgados.

    • “Eu pessoalmente não acho que nenhum ser humano mereça ser espezinhado”
      por princípio também não, mas ficarem impunes também não.
      o problema é que esta gente poderosa tem sempre meios de se safar, vê por exemplo o 25 de Abril e a PIDE.
      os espírito das Tulheries tem de ser restaurado em muitos casos.
      o Campo Pequeno foi uma oportunidade perdida.

      • Sem dúvida que és um “moderado”, Otus!
        Quanto a pena de morte… o que dizia mesmo aquele frances? “Defendo a pensa de moprte, quando me mostrarem um juiz infalivel”?…

        • mesmo com a infalibilidade de um juíz sou por princípio contra a pena de morte.
          sobre a minha moderada posição tem a ver com momentos de revolução de limpeza, onde a lei tem um valor muito menor.
          a lei só tem sentido em momentos de paz, de estabilidade.
          que lei pode existir neste momento na Síria??? (um exemplo)

    • Regulação (que nao se fez!!!) E punição (que também não se fez!!!) Um duo escandaloso de que sao apenas culpados os políticos e todos os que os elegeram (e sobretudo) os abstencionistas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: