Do escândalo da mais recente “aministia fiscal”: 2,7 mil milhões de euros branqueados pelo fisco

“Nos últimas semanas entraram malas de dinheiro em Portugal. Dinheiro que havia saído ilegalmente, passou por cá, foi amnistiado, pagou imposto e voltou, quase todo, a sair.”(…) “Com esta amnistia fiscal, mais de 2,7 mil milhões de capitais que tinham fugido ilegalmente de Portugal vieram, nas últimas semanas, absolver-se de culpa” (…) “O Estado abdicou da entrada dos capitais, bastou-lhe cobrar um imposto de 7,5% sobre o capital legalizado. A receita ultrapassou os 200 milhões. O Governo fará disto um sucesso. É o imposto do branqueamento legal.” (…) “Uma das razões para esta amnistia ter sido tão lucrativa foi o facto de o dinheiro não ter de ficar em Portugal, viajou num vaivém.”

Fonte:
Pedro Santos Guerreiro, Jornal de Negócios 7 de agosto de 2012

A ver se percebo: esta quantia imensa de dinheiro, cerca de 1,5% do PIB (!) proveniente de negócios mais ou menos confessáveis e desviada toda ela para Paraísos Fiscais para fora da nossa economia, entrou, as verbas foram “legalizadas” sem que houvesse qualquer investigação sobre a sua proveniência e – a troco de 200 milhões – tornaram certamente a sair, até à próxima amnistia onde se irão certamente juntar depois outros milhões desviados da economia nacional, tão carente de capital e investimento, como está, nos próximos meses.

De permeio o Governo prescindiu para sempre de investigar estas operações mafiosas, este crime massivo e moralmente abjeto cometido por parte dos mais ricos, enquanto simultaneamente mantêm pensões de miséria, corta subsídios, paga subsídios a menos de metade dos desempregados e cancela abonos de família. Governar não é só Cobrar, é agir moralmente e com decência e isto é apenas gerir circunstancialmente e tendo em vista objetivos fiscais de muito curto prazo. Ainda se ao menos houvesse nesta amnistia o compromisso desta fortuna ter sido investida na economia real, em Portugal, no setor transaccionável, poderíamos perdoar esta imoralidade e indecência (sem contar com os crimes que estão provavelmente por detrás da maioria destas fortunas), mas compensar este “perdão” com emprego e riqueza, num autêntico “pacote de estímulo” keynesiano de que muito precisa o país. Mas não. Sem imaginação nem ousadia optou-se pela solução mais fácil… com grave prejuízo de Portugal.

Categories: Economia, Justiça, Política Nacional, Portugal | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: