A presente crise europeia tem diversos aspetos que fazem crer que foi artificialmente gerada…

A presente crise europeia tem diversos aspetos que fazem crer que foi artificialmente gerada… não há dúvidas de que tudo poderia ter sido travado mesmo no início, quando as brechas do edifício do euro começaram a ceder,a na Grécia primeiro e depois, na Irlanda e Portugal os grandes países da Europa poderiam ter agido e estancado a sangria. Não o fizeram: preferiram culpar os povos do sul enquanto exaltavam as virtudes étnicas dos “superiores” povos germânicos do norte. Intencionalmente, atiraram o sul para a crise.

Resta saber qual foi a intenção por detrás destas movimentações dos países do norte… Esta pode contudo estar agora a revelar-se: no último conselho europeu foi dado um passo na direção do federalismo com o desenho inicial de um plano que pode abranger realidades como um sistema europeu de garantias bancárias, um regime europeu de supervisão do sistema bancário e a emissão comum, a prazo, de dívida pública através de eurobonds. O presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, foi mandatado para elaborar um relatório com estas opções e para o entregar dentro de um mês. Nesta tarefa, Rompuy será assistido pelo presidente do eurogrupo, Jean-Claude Juncker, e pelo presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi.

É nossa crença que daqui a um mês os líderes europeus estarão a revelar aquilo que se prepara desde pelo menos 2010 nas chancelarias europeias : um impulso decidido, não-democrático e neoimperial para um “federalismo” europeu dominado pelos grandes países do norte e destinado a conseguir pela via “europeia” aquilo que duas guerras mundiais não conseguiram: o IV Reich alemão.

Fonte:
http://www.publico.pt/Mundo/eurolandia-prepara-novo-salto-na-integracao-1547409

Categories: Economia, Política Nacional, Portugal | 22 comentários

Navegação de artigos

22 thoughts on “A presente crise europeia tem diversos aspetos que fazem crer que foi artificialmente gerada…

  1. Andarilho

    Plenamente de acordo. A adopção do chamado Acordo Ortográfico foi mais uma acha para a fogueira…

    • Que terá o Tratado Internacional Acordo Ortográfico de Língua Portuguesa de 1990 a ver com europeísmo fanático?

      • Nada. Mas às vezes o fanatismo pro e contra o acordo cega as pessoas ao ponto de o verem em todo o lado (tip os canais de Marte de Lovell)

        • eu, convicto apoiante de um Retrocesso Ortográfico assumo-me.
          a deriva abrasileirante, lusofolclórica, que só serve os grandes interesses precisamente daqueles que faliram o país e não acreditam nele parte “a espinha” ao povo português.

          eu aposto em Portugal e nos portugueses.

          ass:
          Percival (aka Otus scops)

          • Era mais produtivo e criativo entregar uma petição para reformar o acordo não anula-lo!

            • Correto. Este acordo está em vigor. Sempre defendi que as suas imperfeicoes (duplas grafias, erros tecnicos e desproporcionalidades) se devem tratar nao revogando um tratado internacional mas comecando (já) a negociacao do próximo.,

          • Noto – com alguma hilariedade – que neste tema assumes um tom cada vez mais ritual e, ate, jesuitico! É como se recitasses um mantra ou um qualquer encantamento mágico!

      • otusscops

        nada é acaso.

        o desacordo ortográfico é mais uma manobra política para nos diminuir com a ilusão lusófona…
        concordo que é mais uma acha para a fogueira e revela um sentimento de profundo mal estar entre os portugueses na sua adopção.

        nas alturas de crise tudo parece fazer sentido.

        • Thor

          Otus Scops! Você já foi ter com o sr. ministro da educação Nuno Crato para reclamar sobre o AO? 🙂

  2. Concordo há uma cabala na Europa. Não sei se é tão evidentemente europeista. Vamos todos ser supreendidos ainda com desenvolvimentos “espontâneos”… Há uma virada a leste por parte da Alemanha. E a actual crise do Euro abriu brecha nas economias mais sólidas que vai demorar muito tempo a recuperar, o que vai suscitar dentro de países como a Alemanha e Filândia possíveis viragens de grupos influentes.

    • O que me intriga na tese da “conspiração” é que não reconheco nem em Merkel nem noutro qualquer líder europeu as qualidades para liderar tal processo aglutinador… parecem apenas joguetes que andam ao sabor das mares… a menos que o sejam mesmo e cumpram um Plano maior, concebido na sombra pelos homens de Davos ou Bilderberg… isso explicaria (quase) tudo

      • otusscops

        CP

        concordo o teu comentário.
        temos de começar a chamar as coisas pelos seus nomes: direita neoliberal.

        eu cresci num Mundo que dizia que o comunismo soviético era o Diabo na Terra, tudo bem, mas agora é preciso denunciar os Chicago Boys da mesma maneira, radicais do mercado que nos roubam o Futuro, a Liberdade, a Felicidade, em suma a Vida.

  3. Thor

    Clavis Prophetarum, quando é que vocês que são contra as medidas da Troika, que estão insatisfeitos vão até a Assembleia da República protestar pacificamente, porém com insistência, perseverança? Quando vocês vão até o Palácio de Belém cobrar que Portugal siga o exemplo da Islândia? Citando…

    • Thor

      …um provérbio oriental, “de gota em gota se faz o oceano”. Você já pensou se o capitão Otelo Saraiva de Carvalho, o Carlos de Azeredo, o Salgueiro Maia e outros membros participantes do 25 de Abril não tivessem fé que pudessem mudar Portugal por eles serem minoria? É necessário acreditar que consegue, que é capaz! O pouco pode se tornar muito, ou fazer muito.

      • Mas a questão está em saber se a revolução “deles” era mesmo uma Revolução ou apenas um simples protesto castrense contra o prolongamento das comissoes de servico em Africa… ao qual perderam o controlo.

        • Thor

          Mas se não tivessem feito o “protesto castrense” deles, será que o Marcelo Caetano teria sido removido do poder com uma intervenção militar dos EUA e do Reino Unido? O regime teria durado até os anos 80? O 25 de Abril é um fabuloso exemplo de transição para a democracia.

          • Nunca… mas cairia mais cedo ou mais tarde, noutro golpe semelhante. A menos que a guerra no ultramar terminasse mesmo, como ja estava a dar sinais Uem angola e mocambique)…

    • Ahn. ..nunca? Nao, a serio: ha limites para tudo. Por exemplo, se os impostos aumentarem agora muito mais para compensar o pagamento de subsidios à funcao publica, essa contestacao pode mesmo aumentar.
      Atualmente, é praticamente nula.
      Recorde-se tambem que Portugal nao tem historial (ao contrário de muitos paises europeus) de revoltas sociais…

      • Thor

        Grécia não pagou o resgate da Irlanda e nem de Portugal. A Irlanda não pagou o resgate de Portugal. Mas o resgate à Espanha, Portugal vai ter que ajudar, mesmo sem ter recebido da Grécia e da Irlanda. Não é? Sem falar que o Rating de Portugal é simplesmente perverso. Realmente é um povo de brandos costumes.

        • Ora bem. Terá porque o novo mecanismo nao isenta da contribuicao os paises ja sob programas de ajuda… é patetico, o mal que isto foi negociado. Se napo fosse trágico.

Deixe uma Resposta para otusscops Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: