Projeto para Orçamento Participativo Lisboa 2012: Uma Moeda Local municipal

Orçamento Participativo (http://www.umpastelembelem.com)

Orçamento Participativo (http://www.umpastelembelem.com)

As Moedas Locais foram na década de vinte do século passado uma importante fonte de financiamento e de promoção das economias locais, mas entretanto, caíram em desuso e apesar de se manterem perfeitamente legais, foram completamente abandonadas. Existem contudo exemplos internacionais de Moedas Locais, por exemplo, a “Palmas”, uma moeda social de grande sucesso atualmente em uso corrente no Brasil ou as “BerkShares” no Massachusetts (EUA).

A proposta para o Orçamento Participativo que aqui apresentamos consiste na constituição de uma Moeda Local – para uso corrente na Freguesia numa primeira fase experimental e no município numa segunda fase – que possa servir como estímulo à economia local e à criação de emprego e empresas locais.

A Moeda Local teria uma designação escolhida por votação, entre os munícipes e habitantes da junta de freguesia, desenhada por um artista local (após concurso) e impressa numa gráfica situada na freguesia ou nas suas diretas imediações.

A moeda poderia ser adquirida (por 95 cêntimos cada unidade) nos balcões dos Bancos que aderissem ao projeto e que tivessem balcões em funcionamento na freguesia. A moeda seria aceite como forma de pagamento nas lojas que aderissem ao projeto, no câmbio direto para o Euro, podendo ser intercambiada com outras lojas aderentes, em troca de outros bens ou trocada por Euros nos balcões locais dos bancos aderentes.

Os artigos adquiridos com a Moeda Local teriam um desconto especial de cinco por cento e poderiam ser utilizadas para adquirir bens ou outros artigos a lojas aderentes, servirem para pagarem incentivos a funcionários, apoiar associações locais e servirem de efeito multiplicador para o desenvolvimento da economia local, mantendo o valor circulando na região de uso corrente da Moeda.

O projeto irá aumentar a atenção social sobre a necessidade de desenvolver a economia local. As transações realizadas em Moeda Local estarão sujeitas à taxação fiscal normal, em Euros e devem ser pagas de forma absolutamente comum.

Anúncios
Categories: Economia, Política Internacional, Política Nacional, Sociedade, Sociedade Civil, Sociedade Portuguesa | 4 comentários

Navegação de artigos

4 thoughts on “Projeto para Orçamento Participativo Lisboa 2012: Uma Moeda Local municipal

  1. Lusitan

    Expliquem-me lá em que medida a Moeda Local ajudaria o comércio local se os produtos vendidos não são locais? De que me serve uma moeda local para transacionar produtos chineses, alemães ou americanos?

  2. ajudaria o comércio local (por oposição às grandes superfícies, as maiores importadoras de Portugal), com a consequente geração de Emprego e atividade económica.
    A guerra do neoproteccionismo é outra, travada noutra frente.

  3. Lusitan

    O problema é que não existe produção local para ser potenciada por uma moeda local.

    • Numa grande cidade, existem negocios interdepentes: servicos (como advocacia, informatica, saude, logistica, etc), ou abastecimento (mercearias, frutarias, peixarias, cafes, restaurantes, minimercados) e toda a miriade infindavel de servicos das grandes cidades. Essa seria o tipo de “producao” que uma moeda local poderia ajudar a manter local

Deixe uma Resposta para Lusitan Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: