“Numa lista de 34 países da Europa, Portugal surge no nono lugar no que se refere à média anual de consumo de álcool puro per capita”

“Numa lista de  34 países da Europa, Portugal surge no nono lugar no que se refere à média anual de consumo de álcool puro per capita,  com 13,43 litros.
(…)
Os mapas e gráficos mostram também que Portugal é um dos países com maior número de acidentes na estrada que envolvem álcool e que é um dos poucos a autorizar a venda de álcool a menores de 18 anos.
(…)
Aumentar as taxas para fazer subir o preço das bebidas e regulamentar a publicidade são algumas das medidas sugeridas pela OMS.”

Público
28 de março de 2012

Nunca houve em Portugal uma verdadeira reflexão ou estratégia para enfrentar de forma decidida e frontal o problema do alcoolismo em Portugal. Este estudo da OMS demonstra que em lugar de ser o “parente pobre” da política de saúde em Portugal,  esta, os perante aquela que devia ser uma das prioridades…

Noutros lugares do Quintus defendemos com todo o ardor e convicções possíveis a necessidade de aplicar ao consumo de estupefacientes uma corajosa e radical legalização do consumo das drogas ditas de “pesadas,  deixando a produção e a distribuição para estudos sérios e imparciais que ainda estão por realizar.  A priori,  não excluímos que o Estado assuma a produção das drogas que legaliza e estamos convictos de que a sua distribuição através da rede de saúde pública é o modelo que mais serve os interesses do Estado e dos cidadãos. Mas em relação ao álcool estamos perante uma realidade radicalmente diferente: o fracasso clamoroso do proibicionismo norte-americano na década de vinte do século passado é aliás um dos nossos argumentos a favor do fim do proibicionismo do consumo de todo o tipo de drogas…

A via proibicionista para o álcool não deve assim ser contemplada. O consumo do álcool não é de resto sequer comparável aos dos estupefacientes: o seu consumo moderado não provoca danos sociais ou de saúde individual. O mesmo não se pode dizer dos estupefacientes… A estratégia para o combate ao consumo de álcool tem que passar assim bem mais pela via da regulação do que da proibição, regulação de consumos, pela disposição dos limites etários recomendados pela OMS, pela sua estrita e vigorosa aplicação nos estabelecimentos comerciais (especialmente os noturnos,  sede da maioria dos excessos). Importa também proibir totalmente o consumo de álcool quando se conduz e multiplicar as fiscalizações e as penalizações,  sem descurar o aspeto da informação e propaganda dos efeitos da condução sob o efeito do álcool. Importa também aumentar severamente a carga fiscal,  não especialmente no consumo (já que o consumo moderado não é pernicioso), mas por forma a penalizar os excessos.  Por fim,  há também que proibir todas as formas de publicidade ou de glorificação do consumo de álcool que hoje pululam um pouco por todo lado e em todos os meios e canais publicitários…

Categories: Economia, Política Nacional, Portugal, Saúde | 21 comentários

Navegação de artigos

21 thoughts on ““Numa lista de 34 países da Europa, Portugal surge no nono lugar no que se refere à média anual de consumo de álcool puro per capita”

  1. Lusitan

    Nono??? Ando a dar o litro todos os anos e só ficámos em nono??? Há aí alguém que não anda a beber o que devia!!! Vamos ter de diminuir a idade minima de venda de álcool!!!

  2. otusscops

    temos de distinguir o álcool:
    1- uma coisa é a forma de consumo
    2- outra a qualidade do consumo

    1- os nórdicos, regra geral, passam a semana sem consumir álcool e chegam ao fim-de-semana e apanham grandes bebedeiras com perigo de comas alcoólicos.
    os mediterrânicos, bebem mais, mas mais moderadamente diariamente.

    2- beber vinho é diferente de cerveja e de bebidas brancas, fortemente alcoólicas. os “do sul” bebam mais vinho, que todos sabemos dos efeitos benéficos para a saúde (sobretudo os tintos) em detrimento dos “do norte” que bebem alcool quase puro, mais venenoso.

    e como dizia Salazar:
    – “O Vinho dá de comer a 1.000.000 de portugueses”
    – “O Trabalho Induca e o Vinho Enstrói”

    e bebam uns copos!!!

    P.S. – o “nós” imaginário:
    “Noutros lugares do Quintus defendemos…”, “A priori, não excluímos ”
    :mrgreen:

    P.P.S. – concordo com:
    “A via proibicionista para o álcool não deve assim ser contemplada”

    “via da regulação do que da proibição, regulação de consumos, pela disposição dos limites etários recomendados pela OMS, pela sua estrita e vigorosa aplicação nos estabelecimentos comerciais”

    “proibir totalmente o consumo de álcool quando se conduz e multiplicar as fiscalizações e as penalizações”

    “há também que proibir todas as formas de publicidade ou de glorificação do consumo de álcool”

    sobre “aumentar severamente a carga fiscal,” é um tema delicado, já paga imenso e propicia a fraudes, contrafacções e contrabando.

    • O efeito “benefico” do vinho tinto tem o seu que de mitico… segundop me lembro para beneficiarmos do revesterol tinhamos que beber tanto vinho que se entraria em coma varias vezes…

    • Thor

      E quanto ao Mocho, ainda vamos beber vinho e hidromel também. Não é, Mocho? 🙂

      • Hidromel nao é coisa germana? !… o otus deve gostar.

        • otusscops

          Thor

          hidromel para digestivo.
          o vinho é que alegra a vida e dá sentido à refeição.
          onde já se viu comer ambrósia sem um bom tinto alentejano (por exemplo).
          😉

          CP

          tanto como e bebo comida alemã, como como brasileira, moçambicana ( 😉 ), portuguesa, espanhola, italiana, russa, japonesa e dantes até chinesa…
          tu pelos vistos é que te castras, além de não beberes és xenófobo-gastronómico…
          alegra-te pá:
          “”EXISTE MAIS FILOSOFIA NUMA GARRAFA DE VINHO
          QUE EM TODOS OS LIVROS.”
          Pasteur
          FRASES

          “In vino, veritas” (No vinho, a verdade) (Platão)

          “Se Deus proibisse a bebida, teria ele feito o vinho tão bom?” (Cadial de Richelieu)

          “O vinho é feito para ser bebido, assim como a mulher é feita para ser amada. Ambos possuem a frescura da juventude ou o esplendor da maturidade, mas não espere pela decrepitude” (Theophile Malvezin)

          “Nas vitórias é merecido, mas nas derrotas é necessário” (Napoleão Bonaparte, sobre o champagne)

          “O champagne, se está à procura da verdade, é melhor que um detector de mentiras. Ele encoraja o homem a ser expansivo e imprudente enquanto o detector de mentiras é apenas um desafio para dizer mentiras com sucesso”.

          “Quando o vinho desce solta-se a língua do homem.” (Textos Judaicos)

          “Os vinhos são como os homens: com o tempo os maus azedam e os bons apuram.” (Cícero)

          “O vinho é a prova constante de que Deus nos ama e nos deseja ver felizes.” (Benjamin Franklin)

          “Claramente os prazeres que o vinho oferece são transitórios. Mas assim são também os do ballet ou o de uma apresentação musical. Os vinhos inspiram-nos e acrescentam muito ao prazer de viver.” (Napoleão Bonaparte)

          “A penicilina cura, mas o vinho faz as pessoas felizes” (Alexander Fleming)

          “Realidade é uma ilusão que ocorre pela falta de vinho” Anonimo

          “O vinho revela os sentimentos.” (Horácio)

          “O vinho faz esquecer as maiores preocupações.” (Sêneca)

          “Com o vinho se alimentam as forças, o sangue e o calor dos homens.” (Plínio, o velho)

          “Quando o vinho entra os segredos saem.” (Textos Judaicos)

          “O bom vinho é um amigo bondoso e de confiança, quando tomado com sabedoria.” (William Shakespeare)

          “O vinho e a música sempre foram para mim um magnífico saca-rolhas.” (Anton Pavlovitch Tchékhov)

          “O vinho consola os tristes, rejuvenesce os velhos, inspira os jovens e alivia os deprimidos do peso das suas preocupações.” (Lord Byron)

          “O vinho oferece mais quantidade de possibilidades de aproveitamento e a apreciação que possivelmente qualquer outra coisa puramente sensorial que possa ser comprada” (Ernest Hemingway)

          “O vinho que se bebe com medida, nunca foi causa de dano algum.” (Miguel de Cervantes)

          “O vinho foi dado ao homem para acalmar as suas fadigas.” (Eurípedes)

          “O vinho é composto de humor líquido e luz.” (Galileu Galilei)

          “Vence as preocupações com o vinho.” (Petrónio)

          “O vinho é o sangue da terra.” (Plínio)

          “Vinho é poesia engarrafada” (Robert Louis Stevenson)

          “Existem mais de mil anos de história em uma velha garrafa.” (Paul Claudel)

          “O vinho tem o poder de encher a alma de toda verdade, de todo o sabor e de filosofia.” (Bossuet)

          “Bebe vinho! Só ele te dará a mocidade, ele é vida eterna.” (Omar Khayyam) – este é persa

          “O vinho alegra o coração do homem; e a alegria é a mãe de todas as virtudes.” (Goethe)

          “O vinho é o mais belo presente que Deus fez aos homens.” (Platão)

          “O bom vinho é óleo puro para a lâmpada do intelecto: dá alma, força e impulso até o firmamento.” (Gottfried Burger)

          “O homem é como o vinho, deve ser mantido na horizontal com a rolha devidamente humedecida, caso contrário a rolha seca, murcha e ele fica vinagre”

          • Fenix

            Foi o vinho a falar em tantas linguas diferentes!!!Mas são bem bonitas as frases.

        • Thor

          Ah, mas tu ainda vais tomar vinho e hidromel também. 🙂 Tem uma marca de hidromel portuguesa, produzida na Serra da Estrela, chamada “Obras do Caratão”. Foi uma jovem compatriota tua que me disse. 😉

        • Thor

          Tu sendo um Português exemplar, deves valorizar a herança dos Visigodos e dos Suevos. Além dos imigrantes mais recentes, pessoas com os apelidos Sommer, Mayer, Vanzeler, Breyner, Krippahl, Wallenstein, Nicholson, Lark… entre outros apelidos, são tão Portugueses quanto tu. 🙂

          • otusscops

            essas heranças visigóticas e suevas também tem ligações ao vinho!!!
            o Alvarinho foi trazido por esses povos, vem do Riesling.

            mas Portugal tem várias origens, a Mediterrânica tem coisas fabulosas que eu não refuto, além do vinho temos o azeite, os citrinos e os hortícolas.

            esses nomes que citas passaram a correr perigo de vida.

            são europeus e se o CP chega ao poder vai eliminá-los porque não são nada lusófonos.

            ele prefere Carcará, Tamanduá, Kassamá, Chissano, Chivuku, etc…
            esses é que são ao gosto dele!!!
            😈

  3. Fenix

    Hoje em dia não bebo por iniciativa propria. Mas as vezes apetece uma aguardente velha em balão aquecido.Mas tou de acordo o texto.

    • Eu nao consigo gostar de nada alcoolico alem de cerveja… mesmo o vinho (branco e tinto) é coisa de que nao consigo gostar. Sou mais homem de sumos e cha, receio bem! 🙂

      • Lusitan

        Uiiii… o que isto anda práqui!!! E quer uma bolachinha com o seu chá das 17h? A andar!!! Uma semana em Viseu e ainda fazemos de ti homem!!! 😀

        • concordo com o Lusitan.

          e de seguida ide para o Minho, Dão-Lafões é bom mas os Vinhos Verdes não se ficam atrás…

      • Fenix

        Faz bem, também sou agora clube dos sumolis e tea anonimos.

      • Thor

        Eu queria ser seu discípulo, mas em certos assuntos é você que tem que aprender comigo. 😀

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: