Daily Archives: 2012/06/23

José Marques Vidal: “Quando se corta nas estruturas e quadros da Administração Pública e se mantém praticamente intacta a rede de institutos, empresas públicas, participadas parcial ou totalmente pelo Estado, e as parcerias público-privadas e a sua gigantesca teia de administradores e empregos criada à base de favores partidários, o desalento começa a minar os que acreditaram numa mudança de rumo”

“Quando se corta nas estruturas e quadros da Administração Pública e se mantém praticamente intacta a rede de institutos, empresas públicas, participadas parcial ou totalmente pelo Estado, e as parcerias público-privadas e a sua gigantesca teia de administradores e empregos criada à base de favores partidários, o desalento começa a minar os que acreditaram numa mudança de rumo.”
José Marques Vidal
Sol 20 de abril de 2012

Com efeito, passado que foi já o primeiro ano de governo, seria de esperar que um recuo generalizado das funções do Estado Social e de um aumento desbragado e irracional de impostos se tivesse também já assistido a algo de mais ambicioso e consistente do que alguns arrufos inconsequentes contra os poderosos interesses instalados nas fundações, PPPs, múltiplos institutos e nas pessimamente geridas EPs. Nada, contudo, se fez.

O problema maior está em que à frente destas instituições estão indivíduos em condição de “pré-reforma”, depois de carreiras cumpridas no bi-partido PS/PSD e que depois de erros clamorosos ou após entrarem em “cansaço” ou “exaustão” na carreira do serviço público acabam por procurar carreiras menos trabalhosas, expostas e muito mais bem remuneradas que as oferecidas pelos cargos políticos. Obviamente, não são bons gestores, raramente estão bem preparados ou motivados para cumprirem com competência as suas missões e, logo, estes “boys” tornaram-se num dos fatores do estado terminal das empresas públicas em Portugal… a solução só pode passar pelo fim dos cargos de nomeação política e pela imposição de mecanismos de recrutamento por concurso e avaliação por júris realmente independentes… esta é a alteração que urge implementar. Para ontem!

Anúncios
Categories: Política Nacional, Portugal | Deixe um comentário

Portugal, Após a Ocultação, a Revelação

Dalila Pereira da Costa (novaaguia.blogspot.com)

Dalila Pereira da Costa (novaaguia.blogspot.com)

“Vejamos Portugal, no seu período de vero esplendor, como sua plena manifestação, o período de inicio da Idade Moderna, como tendo sido então um dos centros espirituais do Ocidente. De que a sua posterior decadência, nada mais seria que a ocultação, como movimento ou processo natural das leis cíclicas da manifestação, que se segue à revelação; e que a posterior face de comércio, de simples ganância e luxo mundano, em que neste reino decaiu a aventura da descoberta da terra, nada mais seria que um sinal concomitante e revelador dessa degenerescência, como sua queda duma primeira função e missão arcada no seu vero plano, num outro puramente material e humano.”
Dalila Pereira da Costa
A Nau e o Graal

Portugal foi grande apenas enquanto assumiu de forma plena e realizada a sua espiritualidade. Fomos grandes enquanto realizámos o Reino do Espírito Santo e o tornámos universal, levando- aos Açores e, mais além, até ao Brasil. O comercio, a ganância e o luxo levaram à decadência e esta à morte ritual de Portugal em Alcácer Quibir. O renascimento, patrocinado por esse Rei Encoberto que há de surgir do Vaso do Graal que é o Mar Oceano passará pela recusa ao luxo e à ganância como formas de vida e pelo regresso a um estilo de vida regrado e contido, mas generoso e sonhador que caraterizava o “reino de ouro” de Dom Dinis e dos alvores da Gesta dos Descobrimentos. Austero e moderado, mas ambicioso e universal, esse será o Portugal dos tempos futuros que hoje já é possível antever por entre as brumas da grave crise social, financeira e de mentalidades que hoje atravessamos.

Categories: História, Mitos e Mistérios, Portugal | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade