A revolta…

…Só vai suceder quando esta juventude entorpecida e alienada, que vive em casa dos pais, entre discotecas, jogos vídeo e álcool deixar de o poder fazer quando ambos os pais estiverem na falência e incapazes de os sustentar.

Esta juventude entorpecida pela (falsa) abundância induzida pelo credito cronico, pelos meios de comunicação ao serviço de holdings e offshores obscuras com as suas mensagens alienantes e inteletualmente entorpecedoras só se revoltará quando a fome for mais forte que a indolência. Mas então poderá ser já tarde demais para reformar a sociedade de uma forma ordeira e pacifica. Talvez esta necessária reforma humanista e re-humanizante da sociedade e economia contemporânea só possa já ser feita por meios violentos, através de uma sucessão descontrolada e caótica de revoltas sociais, de saques, de mortes e de colapso generalizado das estruturas que mantêm a coesão das nossas sociedades. O sistema socioeconómico erguido pelos obreiros da globalização neoliberal depois da década de 1990 está demasiado blindado para poder ser reformado de uma forma profunda e radical, e tentará sempre manter o Status Quo favorável de que beneficia hoje pela via ilusória da palavra e de “reformas” cosméticas e superficiais… Resta assim esperar que ele colapse, esmagado pelo peso das suas próprias contradições internas (alto desemprego, desemprego cronico, desigualdade de rendimentos, recessão, tercialização das economias, sobrepeso do setor financeiro, etc) e esperar que essa transição se realize com o menor grau de violência possível.

Anúncios
Categories: Política Nacional, Portugal, Sociedade, Sociedade Portuguesa | 2 comentários

Navegação de artigos

2 thoughts on “A revolta…

  1. Olá Clavis,
    Infelizmente tenho de concordar com as suas palavras a 100%.
    Muito bem dito, mas que magoa… magoa. Dói muito saber a que ponto chegou a sociedade portuguesa.
    Muito bom este artigo e uma reflexão que suponho muito verdadeira…
    Um abraço

    • Sim, é isso mesmo: receio bem ter razão. A situação atual é muito triste e deprimente, mas ainda maiis deprimente é a passividade de quase todos e particularmente de praticamente todos os jovens (os que se “mechem” sao uma rara minoria)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: