Daily Archives: 2012/04/27

Da necessidade do regresso (e em força) ao setor das Pescas

“Em 2011, Portugal exportou mais peixe e crustáceos do que em 2010. Mesmo assim, os valores alcançados são muito inferiores aos registados na importação, com 7,3 mil milhões de saldo negativo.
Portugal não pesca o suficiente para satisfazer o consumo nacional. Além disso, devido às tradições culinárias do país, Portugal importa várias toneladas de bacalhau por ano, o que representa por si só um fator decisivo na balança comercial.
Em 2011, o país importou mais 1,6 milhões de quilos de peixe e crustáceos do que em 2010, o que representa um aumento de 87, 7 milhões de euros de compras, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).”

Fonte:
http://www.jn.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=2434907

Portugal é hoje, simultaneamente (e paradoxalmente) o terceiro maior consumidor per capita de peixe do mundo, logo depois da Islândia e do Japão e o detentor da décima maior zona económica exclusiva do mundo. Tal contradição deveria ter ja colocado nas prioridades de vários governos a reconstrução da nossa frota pesqueira, destruída criminosamente durante o Cavaquismo. Por manifesta falta de vontade estratégica, embarcados na bebedeira da tercialização da economia e de “obras de regime” faraónicas, pagas a crédito barato que agora estourou bem nas nossas caras.

Urge erguer um programa de reconstrução da nossa frota pesqueira e de promoção ao desenvolvimento da aquacultura (hoje em dia,  até a República Checa produz mais em aquacultura que o nosso país). A presença asfixiante das frotas pesqueiras estrangeiras nas nossas águas, nomeadamente da espanhola (a segunda maior do mundo) tem que ser também revista,  assim como a proteção injusta que a União Europeia exerce sobre os interesses de Espanha nas nossas águas. Depois, desta abordagem tripla, Portugal possa recuperar a perdida soberania alimentar e este setor dê o seu contributo para o necessário equilíbrio da balança de pagamentos.

Anúncios
Categories: Economia, Política Nacional, Portugal | 5 comentários

O orçamento de defesa chinês vai duplicar entre 2011 e 2015

O orçamento de defesa chinês vai duplicar entre 2011 e 2015 tornando-se assim equivalente ao de todas as outras potencias regionais combinadas. Esta duplicação significa que a China vai passar dos 119 mil milhões de dólares gastos em 2011 para mais de 238 mil milhões, já em 2015, num ritmo de crescimento anual que ronda os 19%. Em 2015, o orçamento militar de Pequim será quatro vezes maior que o segundo maior orçamento regional, o do Japão, o que dá uma boa medida da quantidade de recursos financeiros ao dispor do regime de Pequim na atualidade e da vontade da China em se assumir como uma potencia regional dominante e uma potencial mundial muito significativa.

Nos próximos dez anos, segundo os analistas norte-americanos da IHS, a China vai reduzir a dimensão numérica do seu exército e modernizar o equipamento disponível, especialmente no Mar e em Terra (por esta ordem). Este aumento de despesa militar vai levar a uma resposta correspondente por parte das outras potencias regionais, com especial incidência naquelas que têm pendências territoriais com Pequim, como a Índia, as Filipinas, o Vietname, Indonésia ou Taiwan. Vietname e Indonésia irão aumentar as suas despesas militares acima do crescimento do PIB, confirmando que estamos hoje perante uma autentica “corrida armamentista” desencadeada pela explosão continua e crescente do orçamento militar de Pequim.

A China continua assim a assumir-se como um elemento de desestabilização regional, mantendo uma autentica guerra surda pelo controlo do Mar do Sul da China e dos seus recursos, enquanto mantém Taiwan debaixo de mira e intensifica a repressão e o genocídio no Tibete ocupado. Mostra também onde está a gastar os triliões de Euros que ganha ao Ocidente com as suas exportações e constrói um poder militar com que brevemente vai poder contar para poder impor o seu modelo de vida e de governo a mais países no mundo.

Fonte:
http://www.defencetalk.com/china-defence-budget-to-double-over-5-years-40502/#ixzz1mioPKg1b

Categories: China, DefenseNewsPt | 1 Comentário

Poderá a NASA regressar à Lua por 40 mil milhões de dólares?

Os cortes que Obama vai lançar sobre o orçamento da NASA são radicais. A proposta do candidato republicano Newt Gingrich foi gozada por praticamente todo o espectro político norte-americano. O candidato propunha regressar à Lua em oito anos e estabelecer ali uma colónia lunar. As criticas basearam-se na questão do financiamento… Mas um estudo de 2011 estimava em 40 mil milhões de dólares tal tipo de estabelecimento lunar. E isso seria alcançável dentro do atual orçamento da NASA, que corresponde a 4 mil milhões de dólares para o componente tripulado das suas missões. Concentrando essa despesa no projeto lunar durante dez anos, seria assim possível realizar esse projeto.

Os veículos de lançamento e viagem até à Lua já existem. E novos veículos de lançamento – reutilizáveis – poderiam ser desenvolvidos, ou então a série de lançadores Falcon 9 e as cápsulas Dragon da SpaceX poderia ser usada a uma fração dos custos convencionalmente gastos na NASA. Outra opção poderia passar pelo desenvolvimento do programa militar X-37 até um avião espacial capaz de transportar astronautas até à órbita terrestre e daqui até um veiculo de transbordo lunar.

É claro que tal opção implicaria abandonar a ISS e o transporte de astronautas norte-americanos para a Estação Espacial Internacional em cápsulas russas Soyuz…

Fonte:
http://www.spaceref.com/news/viewnews.rss.html?id=1606&utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+spaceref%2Fjext+%28SpaceRef+-+Space+News+as+it+Happens%29&utm_content=Google+Reader

Categories: SpaceNewsPt | 2 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade