Miguel Real: “Enredada no labirinto político circunstancial, comandada por políticos de vistas curtas, a CPLP tanto pode avançar magestaticamente como estagnar nos próximos dez anos”

Miguel Real (http://www.dn.pt)

Miguel Real (http://www.dn.pt)

“Enredada no labirinto político circunstancial, comandada por políticos de vistas curtas, a CPLP tanto pode avançar magestaticamente como estagnar nos próximos dez anos.”

Atualmente não podem restar grandes dúvidas a quem quer que contemple aquilo que a CPLP é hoje: uma estrutura burocratizada, excessivamente diplomática e “morna” e demasiado formal. Mas a potencialidade para que cresça até um patamar completamente novo, sonhado pelo seu grande inspirador, Agostinho da Silva, é possível. O facto de a organização não ser dominada por nenhuma “grande potência”, como a França, Reino Unido ou Alemanha, mostra que estamos perante algo novo. Potencialmente diferente de todas as organizações semelhantes e capaz de servir de alicerce para algo de completamente novo. Assim o queiram os políticos e os eleitores que os elegem.

O Futuro da Lusofonia
Miguel Real
In Revista Nova Águia, número 8

Categories: Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono, Política Internacional | Etiquetas: | 8 comentários

Navegação de artigos

8 thoughts on “Miguel Real: “Enredada no labirinto político circunstancial, comandada por políticos de vistas curtas, a CPLP tanto pode avançar magestaticamente como estagnar nos próximos dez anos”

  1. Riquepqd

    Em estratégias de integração, infelizmente a CPLP não é prioridade para o Brasil.

    O Brasil está mais preocupado em consolidar a sua iniciativa de criar a UNASUL e o Conselho de Defesa Sul-americano. As notícias que vemos na mídia brasileira são sempre de que o Brasil trabalha para integrar e ampliar as indústrias de defesa dos países sul-americanos, tirar do papel o Banco do Sul, estabilizar a região sendo um mediador para resolver as pendências entre os países da comunidade, de que o Brasil e industrias privadas brasileiras são os maiores investidores em obras de integração e desenvolvimento do subcontinente e etc.

    O Brasil também se preocupou em ficar com o lugar deixado pelos EUA na região, que devido às crises econômicas e as guerras no oriente médio, não teve mais como dar atenção aos assuntos sul-americanos, neste vácuo, o Brasil entrou para “liderar” a região.

    Esta situação aliada ao sucesso econômico do Brasil nas ultimas duas décadas tem criado sentimentos extremos entre os demais sul-americanos, pelo que vemos na internet, muitos jornalistas, economistas, políticos e etc dos demais países sul-americanos querem uma rápida e profunda integração com o Brasil através da UNASUL nos moldes da UE, outros chegam ao extremo de sugerir até mesmo a criação de um novo Estado confederal com a união dos países sul-americanos.

    Porém outros tantos tem julgado que os problemas dos seus países são culpa do “imperialismo” brasileiro, acusam o Brasil e suas empresas de explorarem seus recursos naturais e sua classe trabalhadora, que os produtos brasileiros causam desemprego em seus países, que o BNDES cobra juros abusivos para emprestar dinheiro às obras de infra-estrutura em seus países, que as tarifas alfandegárias e as barreiras comerciais brasileiras são a causa dos problemas da região, e blá, blá, blá, falam até mesmo que o plano de defesa brasileiro lançado por Lula é uma forma de amedrontar os demais países para que eles façam o que o Brasil deseja.

    Mas enfim, relatei isto tudo sobre a UNASUL e as relações entre o Brasil e seus vizinhos para que vocês percebam que pelo menos do que depender do atual governo brasileiro a CPLP não sairá disso tão cedo, e também não sai nada na mídia brasileira sobre a CPLP…

    E por outro lado, acho que este desinteresse do Brasil pela CPLP e por Portugal é devolvido na mesma moeda por Portugal, Portugal está muito mais interessado nos rumos da UE do que em desenvolver uma firme parceria com o Brasil. Portugal tem muito mais a oferecer ao Brasil do que qualquer outro sul-americano, e o Brasil também tem condições de substituir a Europa para Portugal em vários aspectos, sobretudo nas relações comerciais e culturais.

    Até mesmo na Argentina o Brasil se torna notícia fácil, abaixo colocarei algumas reportagens muito respeitosas de emissoras argentinas sobre à ascensão econômica e militar brasileira. E pasmem, não há criticas sobre imperialismo ou qualquer outra coisa, até dizem que o Brasil é exemplo pra Argentina nestes aspectos.

    Gostaria muito que Brasil e Portugal tivessem laços tão profundos como Canadá, Austrália e até mesmo os EUA tem com a Grã-Bretanha, segue também uma boa humorada, mas interessante reportagem sobre a união entre Brasil e Portugal.

    • Faz mal… o Brasil tem o direito e o dever de aspirar a ser uma potencia nao regional mas global e para tal poderia contar com uma ferramenta fantastica, presente em todos os continentes, que era a cplp. Mas continua apostado no mesmo isolacionismo bacoco da ditadura militar… compete apenas aos cidadaos brasileiros corrigir esse rumo e tenho fe de que o farão à medida que cresce a sua formacao academica e cresce o seu desenvolvimento economico.
      Mas no entretanto, penso que no curto prazo, Portugal terá mesmo que assumir sozinho o principal da tarefa de lançar uma União Lusófona.

      • Riquepqd

        O primeiro vídeo é muito bom, apesar do bom humor, o jornalista fala coisas importantes como quando diz que os brasileiros contemporâneos de D. Pedro queriam uma relação com Portugal semelhante ao que Canadá e Austrália tem com o Reino Unido, mas que devido a atitudes radicais da corte portuguesa, não houve outra saída senão o grito de independência.

        Fala também dos sete anos do Reino duplo luso-brasileiro, e que a ideia de separação surgiu apenas pouco tempo antes do grito de independência, e que apesar de hoje em dia ser clara a separação dos países, na época eramos verdadeiramente uma só nação, não apenas formalmente, mas literalmente.

        Fala também com suas próprias palavras na NAÇÃO de milhões de lusófonos espalhados pelo mundo e na força econômica que isto pode representar.

        Eu gostei bastante do vídeo, vale a pena gastar seis minutos para assisti-lo.

        • Seria o Quinto Império dos profetas… pagamos ainda hoje (com a separacao) pelos erros então cometidos… imagine-se a força de uma potencia que tivesse um pé na Europa e outro no Brasil? Sem falar nos nossos irmãos africanos, livres das peias coloniais…

          • Riquepqd

            É meu amigo CP, infelizmente este é um sonho distante…

            • Mas la chegaremos… sem duvida que a questao da lusofonia está hoje muito mais dentro da agenda mediática do que nunca… e o mesmo se passa na África Lusófona. No Brasil é que penso que não. Ainda!

  2. Riquepqd

    Obs: Os dois programas da DEF TV acima tem suas continuações no Youtube 🙂

  3. Enoque

    Comentando o 1º vídeo da Globo News:
    Sim, Brasil e Portugal hoje são dois países com muitas diferenças. Se eu estivesse vivo naqueles dias do início do século 19, eu também teria preferido um sistema semelhante à British Commonwealth. Mas para hoje, é muito complicado. O povo brasileiro abraçar o Cavaco Silva como líder? Nunca! Jamais eu aceitaria a pessoa do Cavaco Silva como o líder do meu país. Se fosse o Jorge Sampaio, ou melhor ainda, o falecido Francisco Sá-Carneiro, eu até aceitava. Mas o Cavaco Silva, mas de jeito nenhum. A “brincadeira” do Finantial Times foi de muito mau gosto. Ainda acho que os jornalistas do FT não têm moral para criticar os portugueses. Sobre a frase “a dívida não é nossa”, concordo também que a dívida “portuguesa” não é do povo de Portugal, e sim da elite política que foi irresponsável. Eu como brasileiro e como pessoa entendo que o povo português não merece passar pelo que está passando e, tem todo o direito de pegar nas armas e fazer uma revolução, derrubar o governo e o parlamento. O que estão fazendo com os gregos, com os portugueses… eu chamo de PALHAÇADA. E sim, a língua portuguesa tem valor econômico sim. Ao senhor Português de óculos no vídeo que se refere a países como empresas, discordo de sua opinião. Portugal não deve se tornar um estado do Brasil. Por favor, caro senhor! Não trate os povos como se fossem meras empresas. E respeite a história do seu próprio povo, por favor!
    América de língua espanhola e o Brasil.
    A respecto de los nuestros hermanos, yo no creo más en la UNASUR. ¡Que ellos hagan su comunidad de naciones con ellos mismos! Los argentinos se olvidaran de odiar a Brasil y ahora odian a México. Nosotros no les gustamos a nengún de ellos. Hasta los mexicanos nos desprecian. Los chilenos no quieren ser miembros del Mercosur. Perú y Colombia también no lo quieren. Pero ellos no van a conseguir la unión porque ellos se odian, se desprecian. Argentinos discriminan a los bolivianos, paraguayos, peruanos y hasta mexicanos. Toda Sudamérica y Centroamérica de lengua española discriminan a los mexicanos. Venezolanos e colombianos no se relacionan bien. Hispanoamérica es demasiado retrógrada para seguir el ejemplo de Europa. No es posible unir Latinoamérica.
    A Argentina tem mais respeito ou menos desrespeito hoje em dia pelo Brasil do que pelos demais países hispânicos da América Latina. Fiquei pasmo com a forte rivalidade que há entre eles.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: