Miguel Real: “Enredada no labirinto político circunstancial, comandada por políticos de vistas curtas, a CPLP tanto pode avançar magestaticamente como estagnar nos próximos dez anos”

Miguel Real (http://www.dn.pt)

Miguel Real (http://www.dn.pt)

“Enredada no labirinto político circunstancial, comandada por políticos de vistas curtas, a CPLP tanto pode avançar magestaticamente como estagnar nos próximos dez anos.”

Atualmente não podem restar grandes dúvidas a quem quer que contemple aquilo que a CPLP é hoje: uma estrutura burocratizada, excessivamente diplomática e “morna” e demasiado formal. Mas a potencialidade para que cresça até um patamar completamente novo, sonhado pelo seu grande inspirador, Agostinho da Silva, é possível. O facto de a organização não ser dominada por nenhuma “grande potência”, como a França, Reino Unido ou Alemanha, mostra que estamos perante algo novo. Potencialmente diferente de todas as organizações semelhantes e capaz de servir de alicerce para algo de completamente novo. Assim o queiram os políticos e os eleitores que os elegem.

O Futuro da Lusofonia
Miguel Real
In Revista Nova Águia, número 8

Categories: Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono, Política Internacional | Etiquetas: | 8 comentários

Navegação de artigos

8 thoughts on “Miguel Real: “Enredada no labirinto político circunstancial, comandada por políticos de vistas curtas, a CPLP tanto pode avançar magestaticamente como estagnar nos próximos dez anos”

  1. Riquepqd

    Em estratégias de integração, infelizmente a CPLP não é prioridade para o Brasil.

    O Brasil está mais preocupado em consolidar a sua iniciativa de criar a UNASUL e o Conselho de Defesa Sul-americano. As notícias que vemos na mídia brasileira são sempre de que o Brasil trabalha para integrar e ampliar as indústrias de defesa dos países sul-americanos, tirar do papel o Banco do Sul, estabilizar a região sendo um mediador para resolver as pendências entre os países da comunidade, de que o Brasil e industrias privadas brasileiras são os maiores investidores em obras de integração e desenvolvimento do subcontinente e etc.

    O Brasil também se preocupou em ficar com o lugar deixado pelos EUA na região, que devido às crises econômicas e as guerras no oriente médio, não teve mais como dar atenção aos assuntos sul-americanos, neste vácuo, o Brasil entrou para “liderar” a região.

    Esta situação aliada ao sucesso econômico do Brasil nas ultimas duas décadas tem criado sentimentos extremos entre os demais sul-americanos, pelo que vemos na internet, muitos jornalistas, economistas, políticos e etc dos demais países sul-americanos querem uma rápida e profunda integração com o Brasil através da UNASUL nos moldes da UE, outros chegam ao extremo de sugerir até mesmo a criação de um novo Estado confederal com a união dos países sul-americanos.

    Porém outros tantos tem julgado que os problemas dos seus países são culpa do “imperialismo” brasileiro, acusam o Brasil e suas empresas de explorarem seus recursos naturais e sua classe trabalhadora, que os produtos brasileiros causam desemprego em seus países, que o BNDES cobra juros abusivos para emprestar dinheiro às obras de infra-estrutura em seus países, que as tarifas alfandegárias e as barreiras comerciais brasileiras são a causa dos problemas da região, e blá, blá, blá, falam até mesmo que o plano de defesa brasileiro lançado por Lula é uma forma de amedrontar os demais países para que eles façam o que o Brasil deseja.

    Mas enfim, relatei isto tudo sobre a UNASUL e as relações entre o Brasil e seus vizinhos para que vocês percebam que pelo menos do que depender do atual governo brasileiro a CPLP não sairá disso tão cedo, e também não sai nada na mídia brasileira sobre a CPLP…

    E por outro lado, acho que este desinteresse do Brasil pela CPLP e por Portugal é devolvido na mesma moeda por Portugal, Portugal está muito mais interessado nos rumos da UE do que em desenvolver uma firme parceria com o Brasil. Portugal tem muito mais a oferecer ao Brasil do que qualquer outro sul-americano, e o Brasil também tem condições de substituir a Europa para Portugal em vários aspectos, sobretudo nas relações comerciais e culturais.

    Até mesmo na Argentina o Brasil se torna notícia fácil, abaixo colocarei algumas reportagens muito respeitosas de emissoras argentinas sobre à ascensão econômica e militar brasileira. E pasmem, não há criticas sobre imperialismo ou qualquer outra coisa, até dizem que o Brasil é exemplo pra Argentina nestes aspectos.

    Gostaria muito que Brasil e Portugal tivessem laços tão profundos como Canadá, Austrália e até mesmo os EUA tem com a Grã-Bretanha, segue também uma boa humorada, mas interessante reportagem sobre a união entre Brasil e Portugal.

    • Faz mal… o Brasil tem o direito e o dever de aspirar a ser uma potencia nao regional mas global e para tal poderia contar com uma ferramenta fantastica, presente em todos os continentes, que era a cplp. Mas continua apostado no mesmo isolacionismo bacoco da ditadura militar… compete apenas aos cidadaos brasileiros corrigir esse rumo e tenho fe de que o farão à medida que cresce a sua formacao academica e cresce o seu desenvolvimento economico.
      Mas no entretanto, penso que no curto prazo, Portugal terá mesmo que assumir sozinho o principal da tarefa de lançar uma União Lusófona.

      • Riquepqd

        O primeiro vídeo é muito bom, apesar do bom humor, o jornalista fala coisas importantes como quando diz que os brasileiros contemporâneos de D. Pedro queriam uma relação com Portugal semelhante ao que Canadá e Austrália tem com o Reino Unido, mas que devido a atitudes radicais da corte portuguesa, não houve outra saída senão o grito de independência.

        Fala também dos sete anos do Reino duplo luso-brasileiro, e que a ideia de separação surgiu apenas pouco tempo antes do grito de independência, e que apesar de hoje em dia ser clara a separação dos países, na época eramos verdadeiramente uma só nação, não apenas formalmente, mas literalmente.

        Fala também com suas próprias palavras na NAÇÃO de milhões de lusófonos espalhados pelo mundo e na força econômica que isto pode representar.

        Eu gostei bastante do vídeo, vale a pena gastar seis minutos para assisti-lo.

        • Seria o Quinto Império dos profetas… pagamos ainda hoje (com a separacao) pelos erros então cometidos… imagine-se a força de uma potencia que tivesse um pé na Europa e outro no Brasil? Sem falar nos nossos irmãos africanos, livres das peias coloniais…

          • Riquepqd

            É meu amigo CP, infelizmente este é um sonho distante…

            • Mas la chegaremos… sem duvida que a questao da lusofonia está hoje muito mais dentro da agenda mediática do que nunca… e o mesmo se passa na África Lusófona. No Brasil é que penso que não. Ainda!

  2. Riquepqd

    Obs: Os dois programas da DEF TV acima tem suas continuações no Youtube 🙂

  3. Enoque

    Comentando o 1º vídeo da Globo News:
    Sim, Brasil e Portugal hoje são dois países com muitas diferenças. Se eu estivesse vivo naqueles dias do início do século 19, eu também teria preferido um sistema semelhante à British Commonwealth. Mas para hoje, é muito complicado. O povo brasileiro abraçar o Cavaco Silva como líder? Nunca! Jamais eu aceitaria a pessoa do Cavaco Silva como o líder do meu país. Se fosse o Jorge Sampaio, ou melhor ainda, o falecido Francisco Sá-Carneiro, eu até aceitava. Mas o Cavaco Silva, mas de jeito nenhum. A “brincadeira” do Finantial Times foi de muito mau gosto. Ainda acho que os jornalistas do FT não têm moral para criticar os portugueses. Sobre a frase “a dívida não é nossa”, concordo também que a dívida “portuguesa” não é do povo de Portugal, e sim da elite política que foi irresponsável. Eu como brasileiro e como pessoa entendo que o povo português não merece passar pelo que está passando e, tem todo o direito de pegar nas armas e fazer uma revolução, derrubar o governo e o parlamento. O que estão fazendo com os gregos, com os portugueses… eu chamo de PALHAÇADA. E sim, a língua portuguesa tem valor econômico sim. Ao senhor Português de óculos no vídeo que se refere a países como empresas, discordo de sua opinião. Portugal não deve se tornar um estado do Brasil. Por favor, caro senhor! Não trate os povos como se fossem meras empresas. E respeite a história do seu próprio povo, por favor!
    América de língua espanhola e o Brasil.
    A respecto de los nuestros hermanos, yo no creo más en la UNASUR. ¡Que ellos hagan su comunidad de naciones con ellos mismos! Los argentinos se olvidaran de odiar a Brasil y ahora odian a México. Nosotros no les gustamos a nengún de ellos. Hasta los mexicanos nos desprecian. Los chilenos no quieren ser miembros del Mercosur. Perú y Colombia también no lo quieren. Pero ellos no van a conseguir la unión porque ellos se odian, se desprecian. Argentinos discriminan a los bolivianos, paraguayos, peruanos y hasta mexicanos. Toda Sudamérica y Centroamérica de lengua española discriminan a los mexicanos. Venezolanos e colombianos no se relacionan bien. Hispanoamérica es demasiado retrógrada para seguir el ejemplo de Europa. No es posible unir Latinoamérica.
    A Argentina tem mais respeito ou menos desrespeito hoje em dia pelo Brasil do que pelos demais países hispânicos da América Latina. Fiquei pasmo com a forte rivalidade que há entre eles.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: