Domingos Simões Pereira: “Portugal continua a ter potencial para abrir as portas da Europa aos países lusófonos”

Domingos Simões Pereira (http://sol.sapo.pt)

Domingos Simões Pereira (http://sol.sapo.pt)

Recentemente, Domingos Simões Pereira, o atual secretário-executivo da CPLP referiu que “Portugal continua a ter potencial para abrir as portas da Europa aos países lusófonos” mas acrescentou que “Portugal tem esse potencial. Se consegue os mecanismos para dele se servir e promover é uma questão que deve ser colocada não só a Portugal, mas ao conjunto dos países. (…) Pode ser um exercício complicado (no actual contexto)”.

A questão de saber se Portugal consegue compatibilizar a sua presença na União Europeia enquanto a Troika lhe impõe uma austeridade severa e castradora (no que respeita à liberdade orçamental) é bem atual: um Portugal menos soberano terá liberdade para continuar a ser um membro ativo e dinamizador do desenvolvimento da CPLP até aquela “Comunidade Lusófona” a que o MIL almeja?… Portugal não deve esquecer a sua vocação atlântica e lusófona para permanecer na Europa. E se a Europa exigir que o façamos, então devemos sair de uma europa (com “e” pequeno) que exclui onde deve incluir, que absorve onde deve compatibilizar e que desperdiça o papel central que um dos seus Estados-membros pode desempenhar no estabelecimento de pontes culturais, económicas, diplomáticas e sociais com África e o Brasil.

Fonte:
http://www.dnoticias.pt/actualidade/mundo/305614-abrir-portas-da-europa-a-lusofonos-pode-ser-exercicio-complicado

Categories: Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono | Etiquetas: | 15 comentários

Navegação de artigos

15 thoughts on “Domingos Simões Pereira: “Portugal continua a ter potencial para abrir as portas da Europa aos países lusófonos”

  1. Enoque

    “E se a Europa exigir que o façamos, então devemos sair de uma europa (com “e” pequeno) que exclui onde deve incluir, que absorve onde deve compatibilizar e que desperdiça o papel central que um dos seus Estados-membros pode desempenhar no estabelecimento de pontes culturais, económicas, diplomáticas e sociais com África e o Brasil.”
    – Mas se o secretário-executivo da CPLP quer que Portugal espera que Portugal “abra as portas” da Europa para as nações lusófonas, você crê que a CPLP quer Portugal fora da UE?

    • A cplp hoje nao “quer” muito mais que palavras… não é uma entidade capaz de pensamento proprio ou autonomo. Falta-lhe para isso o financiamento, a autonomia e o mandato.
      Os países da cplp nao querem que Portugal saia da UE, preferem (como a maioria dos portugueses, eu incluído) que seja possivel reformar e desgermanizar esta ue, dando-lhe novo fôlego e vida e permitindo que seja possível a Portugal viver as suas duas vidas: a europeia e a lusofona. Sem ciosas exclusividades ou neocolonialismos de tipo algum.

  2. otusscops

    um comentário inócuo, tal como o secretário-geral e a CPLP.

    sobre as dissertações, invenções e projecções de cenários sempre com a lenga-lenga da troika mais a europa mázona que nãomedixaserlusófonoeirmanarmenopoderosotriangulabrasilangolaportugal então saímos da Europa, que seca… 😈
    além demais é inviável, pois nós somos Europa, nós levamos a Europa ao Mundo e a CPLP só tem interesse em Portugal inserido na Europa.

  3. Este discurso pelo menos ao que aos portugueses diz respeito já não cola, porque a Portugal não lhe interessa apenas esse papel de ser um veículo para…neste momento Portugal precisa da CPLP mas para outros voos e ambições e que o simples abrir de portas à Europa, já está intrínseco obviamente e até é desnecessário referir.
    A CPLP só vai cumprir efectivamente o seu papel a partir do momento que Portugal lidere o processo, creio que esse momento estará para breve, infelizmente por vias de factores externos, nomeadamente a crise internacional e que precipitará a que finalmente os políticos deste país se voltem para esse objectivo mais seriamente.

    • Infelizmente, estamos sem capital moral e financeiro para liderar tal projeto. Portugal vive hoje uma autentica depressao coletiva provocada pela incerteza do futuro (colapso da seguranca social, desemprego galopante, aumento constante de impostos, etc) que bloqueia qualquer grande projeto, como o do lancamento dessa “convergencia lusofona”. E o Brasil, francamente, parece ter outras prioridades…
      Devemos assim desaminar ou abandonar este projeto? Pelo contrario, ha que persistir e trabalhar na primeira fase do projeto que é a da recuperacao da economia local (pela via dupla da autonomia e do recentramento no local) para depois ter alicerces para liderar esse projeto que o Brasil – sozinho – nao parece capaz de assumir.

  4. otusscops

    CP

    xiiiiii, nem mereci um comentário, nem de repúdio nem nada, fiquei completamente inócuo…

    a que desprezo me votas, caramba.
    😈

  5. otusscops

    repetir???

    está lá “em cima”…

    • Para ti… eu respondo aos comentarios no android e so vejo o ultimo comentario… va la, faz um copy-pastezinho…

      • otusscops

        ora, ora, um administrador de blog que não controla a sua obra de arte (sim o Quintus é uma obra-de-arte e o CP é um Grande Artista) tem de mudar, muda de Sistema Operativo.
        desculpas!!!
        (não queres é responder…)

        • Pois, mas isso implicaria ter um hosting, fazer uma instalacao wordpress e mante-la, ou seja um nivel de profissionalizacao e custos que nao posso suportar…

  6. Riquepqd

    O Quintus ficou muito melhor agora, confesso que não gostei da ultima versão.

  7. Riquepqd

    Corrigindo, “que não gostava”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: