“Economicamente, Portugal está integrado na União Europeia e como tal sofreu os efeitos negativos da PAC e das políticas pesqueiras, e a diminuição da competitividade por via da adesão a uma moeda única excessivamente forte para a economia portuguesa”

“Economicamente, Portugal está integrado na União Europeia e como tal sofreu os efeitos negativos da PAC e das políticas pesqueiras, e a diminuição da competitividade por via da adesão a uma moeda única excessivamente forte para a economia portuguesa. Os fundos comunitários que poderiam ter sido utilizador para a reconversão da economia foram desviados para interesses corruptos, ou malbaratados.”

A integração europeia não foi, com efeito, aquele doce “mar de rosas” que os pro-europeístas nos quiseram vender. Sem dúvida que uma certa elite privilegiada recebeu muito dinheiro do norte da Europa (sob a forma de subsídios ou “empregos”) para servir os interesses estratégicos do norte da Europa e que visavam tornar a periferia europeia num deserto industrial e agrícola, paraíso do Sol e da Praia para os envelhecidos germanos que enchiam o sul nas suas abastadas e eternas férias de ricos. O plano – que encontrou em Cavaco Silva um eco perfeito – era o de Tercializar a economia portuguesa, transferindo a agricultura para França e Espanha e a indústria para a Alemanha e China, onde operavam as multinacionais norte-europeias.

“O facto de Portugal ser um país geograficamente periférico da UE também não é favorável à sua economia, pelo factor dos custos de transporte dos seus produtos para os mercados dos países centrais. É igualmente impossível a Portugal competir com os produtos provenientes do Extremo Oriente que entram na Europa e que muitas vezes através de práticas de dumping têm destruído as indústria, têxtil e de calçado, no nosso país.”

Situado no extremo geográfico absoluto do continente europeu, Portugal deveria ter uma compensação financeira permanente dessa sua situação que protegesse a sua economia dos custos associados a essa presença. Ao invés, a Europa preferiu usar essa situação e esvaziar o setor primário luso enquanto inundava os nossos mercados com os seus produtos e nos embriagava em doses massivas de crédito barato.

Fonte:
Portugal, Uma Análise do Poder
João Franco
Finis Mundi, número 3

Categories: Uncategorized | 28 comentários

Navegação de artigos

28 thoughts on ““Economicamente, Portugal está integrado na União Europeia e como tal sofreu os efeitos negativos da PAC e das políticas pesqueiras, e a diminuição da competitividade por via da adesão a uma moeda única excessivamente forte para a economia portuguesa”

  1. De facto hoje estamos a pagar essa factura e de que maneira!
    Como diria alguém sábio que conheci, “não importa onde estejas, até podes viver num sítio recôndito, desde que faças algo que valha a pena e que leve os outros a te procurarem”. Sábias palavras e que sintetizam qual a saída económica portuguesa e que curiosamente o sector do calçado já está dando o mote, ou seja não competir internacionalmente pela quantidade e baixo preço mas sim pela qualidade e inovação.
    Inovação e qualidade são as palavras chave e com isso incorporado nas nossas exportações, a questão de ser ou não periférico não se põe.
    Portanto podemos inovar não só nos sectores em que somos tradicionalmente competitivos, caso dos têxteis, vinhos, cortiça, azeite, café, frutas e legumes, conservas, etc…como também em sectores em que temos possibilidades de ser referência, nomeadamente nas novas tecnologias e nas energias alternativas.
    Há matéria prima humana e potencial natural, desde o clima, território terrestre e marítimo extenso, haja políticos capazes de apostar e direccionar estratégias e fundos para que se concretizem e agora vem mesmo a propósito dos fundos do CREN.

    • O problema é que é impossível ser sempre inovador e competitivo em todas as áreas e setores… Ha que repor algum tipo de restauro do controlo de fronteiras contra os países que não cumprem as mais básicas regras comerciais.

  2. Riquepqd

    Há que ponto a UE chegou, em uma tentativa desesperada de manter o bloco unido, partiram para um ataque xenófobo à parte “não branca” dos BRIC.

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/03/acusada-de-xenofoba-propaganda-da-uniao-europeia-e-retirada-do-ar.html

    • Enoque

      Ahahahahahahahahah… 😀
      Que propaganda cômica! Usar uma mulher em vez de um homem para representar a Europa, eu gostei. A Europa tem uma “ar feminino”, polido, pomposo, enquando o Novo Mundo (Américas) tem um “ar masculino”, mais rude. Eu não interpreto a propaganda como racista, mas sim como xenófoba. A Rússia é parte dos BRICS mas é Européia, é predominantemente eslava, e a porção européia é mais populosa do que a porção asiática. Tem a maior parte de seu território na Ásia mas é um país de alma européia.
      Agora, tem um detalhe que eu não compreendo nas civilizações do Ocidente. A China, a Índia, os países médio-orientais têm milênios de história, já eram civilizações enquanto a Europa* (exceto Mediterrâneo), as Américas, a Austrália e Nova Zelândia eram habitadas por tribos que estavam na pré-história, a China, a região Índia-Paquistão, os Medo-Persas, a Mesopotâmia, a região de Canaã/Palestina, a Anatólia (Turquia), os Egípcios, os Cretenses… já usavam o bronze, já usavam a escrita, já tinham cidades formadas, e não entendo qual é o problema dos “hiperbóreos” com as civilizações não-ocidentais, a razão de tanto desprezo, de tanta rejeição. Eu também reprovo o regime de governo atual da China, mas não a nação chinesa em si mesma. Eu sei que a China e a Índia têm problemas sérios de desrespeito aos direitos dos cidadãos ao bem-estar social, e o Brasil também os têm. Mas a história nos ensina que cada época tem as suas potências dominantes. O que eu achei ridículo foi ter visto lutador chinês de Kung Fu que não representa o regime chinês e sim a cultura milenar chinesa, um lutador de capoeira brasileiro afrodescendente, e um lutador indiano que também representa a cultura milenar indiana querendo agredir uma mulher que representa a civilização européia. Aqui no Brasil, eu desconheço alguém entre da elite que queira ver o fim da UE e do euro. Por que os europeus acham que o Brasil quer derrubar a UE? Por acaso foi o Brasil que causou a crise mundial de 2008? Por acaso foi o Brasil que causou a dívida pública dos países da Zona Euro? Por acaso, os fundadores e maiores defensores do Movimento Internacional Lusófono que defende a saída de Portugal da UE e do euro para criar uma união análoga através da CPLP são brasileiros? Não sei quanto à China e a Índia, mas no Brasil ninguém quer tomar a iniciativa de destruir a Europa.
      Clavis Prophetarum, faça uma gentileza! Pare de defender a saída de Portugal da UE e do euro, e pare de defender a União Lusófona porque os europeus já desconfiam do Brasil. 😉

      • Apesar de tudo, eu não daria demasiada importância a esta peça de má propaganda “pro-federação” europeia… foi criada por algum acéfalo gabinete ou agência de marketing e essa gente geralmente não pensa mesmo muito… Grave, grave é ter sido aprovada por alguns funcionários não eleitos e ter chegado ao publico.
        A campanha revela uma UE doente e – como dizes – onde a xenofobia crescer a olhos vistos (basta ver as recentes declarações de sakor e merkel contra os estrangeiros nos seus países)

  3. Riquepqd

    Enoque, eu só acrescento que apesar de também termos problemas sociais, felizmente, neste campo, estamos muito melhores que chineses e indianos.

    E quanto à Europa, esta propaganda foi o ápice da xenofobia, mas a direção da UE parece ter achado normal, queria ver se fosse um tipo de propaganda da Liga Árabe, UNASUL ou outra organização propondo uma aliança maior entre os países e usando da mesma xenofobia contra a UE.

    Aí viriam os principais governantes europeus com aqueles discursos prontos pra criticar as civilizações não europeias e principalmente as orientais.

    • Enoque

      Riquepqd,
      O Brasil pode estar melhor do que a China e a Índia, mas tem muito para melhorar ainda, estamos longe do padrão ideal.
      O que eu acho ridículo e de muito mau gosto, é colocar lutadores de artes marciais simbolizando três dos países dos BRICS, querendo agredir a mulher simbolizando a Europa Unida. Quanto a China, eu acho que os governantes chineses querem mesmo ver a Europa ruir, mas a propaganda seria melhor aceita se fosse um militar chinês hodierno, porque representa mais o partido comunista chinês que governa atualmente, e não uma arte milenar como o Kung Fu. Os governantes indianos, eu não sei. Mas os governantes brasileiros não querem ver o fim da UE e do euro. O vice-presidente brasileiro pediu à China que exporte menos ao Brasil para que a Europa tenha espaço. A nossa matriz cultural-civilizacional é a Europa Ocidental, portanto, a propaganda é totalmente fora da realidade.
      Eu simpatizo com uma aproximação geopolítica entre os países de língua portuguesa devido aos laços históricos, culturais e linguísticos. Mas em termos de economia, há no mundo países muito mais de acordo com as necessidades brasileiras, como países na África, na Ásia, na própria América Latina, e para o Brasil é mais vantajoso Portugal permanecer na UE. Vou citar alguns exemplos de países, a África do Sul, a Nigéria, a República Democrática do Congo, o Egito, a Argélia e a lusófona Angola, a Índia, a Indonésia e outros países do Sudeste Asiático, a Coréia do Sul, o Japão, alguns países do Oriente Médio como a Turquia, países árabes do Golfo Pérsico, Israel, o México, a Rússia… o Brasil tem um leque de opções para formar um megabloco, escolhendo alguns países. Dos BRICS, sou à favor de que o Brasil se alie a Índia e sou contra que o Brasil se alie à China, pensando em geopolítica. Os países árabes não têm um padrão ideológico geopolítico, então, eu sou a favor de que o Brasil se aproxime do Egito (exceto se a shariah for implantada lá) e dos países árabes do Golfo Pérsico, e sou contra que o Brasil se alie ao Irã. Prefiro ver o Brasil aliado à Israel do que ao Irã, se necessário. Na América Latina, sou à favor de que o Brasil tente uma aproximação com o México e o Chile. Na África, sou a favor de uma aliança com a África do Sul. Na Europa, aproximar porém não demais da Rússia.

  4. (sobre racismo-xenofobia na UE que não tem nada a ver com o assunto inicial)

    Riquepqd e Enoque (que raio de nome foste arranjar Odin querido do meu coração)

    como somos velhos amigos estamos à vontade:
    curioso ver a perspectiva dos sul-americanos (filial da Europa 😈 ) neste assunto.
    ora foi a própria UE que após protestos decidiu retirar o vídeo – que não considerei xenófobo sinceramente – dando uma vez mais uma lição de democracia.
    não entendo essa preocupação com a capoeira, uma parte considerável dos brasileiros não gosta, nem de samba, nem de carnaval, tal como eu não gosto particularmente de fado ou de ranchos folclóricos…
    os valores e idiossincrasias europeias estão a ser trucidados pelo “políticamente correcto”, negar que há problemas etnicos e culturais é perigoso, daí o vídeo.
    curiosa a vossa reacção na altura que o Lula foi racista e xenófobo quando mencionou os “senhores loiros de olhos azuis” (por causa da crise) não suscitou em vós crítica de espécie alguma.<
    assim se vê quem é xenófobo…

    confessem lá, vós adoraveis vir viver na Europa. (e eu também, ter-vos por aqui)
    😉

    • Enoque

      Otus scops,´
      “Riquepqd e Enoque (que raio de nome foste arranjar Odin querido do meu coração)”
      -a troca do nick é devido à mundança de opiniões. O “Odin” é a favor de armar o Brasil, o “Enoque” é pacifista. 😉 O nick foi baseado num profeta bíblico do Gênesis, ancestral de Noé.

      “como somos velhos amigos estamos à vontade”
      – Perfeitamente. 🙂
      “curioso ver a perspectiva dos sul-americanos (filial da Europa ) neste assunto.”
      – Filial da Europa? Como assim? Quanto a perspectiva, é que a América do Sul é mal estereotipada na Europa e nos EUA. E a Comissão Européia vem e “põe mais lenha na fogueira”.
      “ora foi a própria UE que após protestos decidiu retirar o vídeo…”
      – Ainda bem! Fico contente por saber que a UE percebeu que o vídeo é um erro. Errar é humano, tudo bem.
      “que não considerei xenófobo sinceramente”
      – Porque você é europeu ocidental, e vê o mundo pelo ponto de vista dos europeus ocidentais. Se você fosse brasileiro, ou indiano ou chinês, sentiria o desconforto que eu e o Riquepqd sentimos.
      “não entendo essa preocupação com a capoeira, uma parte considerável dos brasileiros não gosta, nem de samba, nem de carnaval, tal como eu não gosto particularmente de fado ou de ranchos folclóricos…”
      – E eu sou um dos que não gostam da capoeira, nem do samba, nem de carnaval, nem de cachaça, nem de novelas… mas é a visão que a maioria dos estrangeiros tem do Brasil, um país cheio de índios nas florestas e de afrodescendentes passando o ano todo num eterno carnaval que nunca acaba, e mulheres promíscuas e quase nuas nas praias, e favelas controladas por narcotraficantes armados com armas do exército em guerra civil nas cidades.
      “os valores e idiossincrasias europeias estão a ser trucidados pelo “políticamente correcto”, negar que há problemas etnicos e culturais é perigoso, daí o vídeo.”
      – E você acha que é só na Europa (e nos EUA)? Aqui no Brasil, falar contra a homossexualidade, falar contra algumas práticas religiosas, falar contra grupos étnicos da sociedade ultimamente tem sido perigoso também. E na hora que este país aqui estiver cheios de imigrantes, quero só ver o tamanho do trabalho que a polícia e a justiça vão ter por causa dos xenófobos.
      ” curiosa a vossa reacção na altura que o Lula foi racista e xenófobo quando mencionou os “senhores loiros de olhos azuis” (por causa da crise) não suscitou em vós crítica de espécie alguma.”
      – Ô meu Tugão Minhotão! Não senhor! Não fiquei em silêncio! Eu me recordo de ter insultado o intelecto do Lula e dito que ele se esquece que no Brasil há milhões de brancos loiros de olhos azuis. E não só de descendentes do norte europeu (Alemanha, Holanda…), mas de portugueses, espanhóis e italianos também. Aqui no Brasil há descendentes de sírios e libaneses brancos e com olhos claros. O prefeito de São Paulo, o Kassab, é um deles. O Lula foi muito infeliz ao usar a expressão racista que usou. Lhe faltou inteligência naquele momento.
      “confessem lá, vós adoraveis vir viver na Europa.”
      – No caminho (econômico) em que a Europa anda, eu já acho mais seguro para mim ficar aqui mesmo ou emigrar para algum país de outro continente. Em breve, os países europeus perderão a sua soberania para criar os Estados Unidos da Europa. É o que vai acontecer para evitar que as nações européias passem a ser periféricas. E se for bem sucedida a união plena, outros continentes vão seguir o exemplo, incluso a América Latina.

  5. A tragédia grega foi o canto do cisne da UE conforme intento dos idealistas europeus aquando da criação da CEE, presentemente no caso de Portugal não deverá apostar tudo no mesmo cavalo ou seja na Europa, a estratégia portuguesa deverá ser de geometria variável, começando por reactivar as relações centenárias que tem com muitos povos e que por vias da entrada na CEE e agora UE não houve qualquer progresso nesse sentido, é sabido e os europeus sabem-no bem que Portugal é dos poucos países da Europa ocidental capaz de ganhar influência só pelo facto do seu legado natural ao longo dos séculos em todo o mundo.
    Como tal concordo absolutamente com a estratégia de reactivação económica e cultural com a China, independentemente do seu regime, mas não só à China, a índia também deverá entrar nesse plano bem como a Rússia, um enorme mercado por explorar e com dinheiro para comprar produtos de qualidade nacionais.
    Nesta estratégia é fundamental Portugal demarcar-se de Espanha e trilhar caminhos inversos às tendências iberistas que sempre foram nefastos ao nossos desenvolvimento.
    Outra situação a rever são as nossas relações com os ditos “amigos e aliados” mas concretamente da onça…falo concretamente dos ingleses e americanos, deveremos ser muito mais exigentes nessas relações e claramente teremos que ganhar muito mais com isso, caso contrário há que nos afastar gradualmente.
    Quanto aos outro europeus pois deveremos manter relações dentro da UE obviamente mas um pouco como o mestre de cerimónias, muitos sorrisos e muitos sorrisos…
    Por último a questão da CPLP é fundamental mas a elite política brasileira não está querendo avançar para uma situação mais eficaz e visível dessa comunidade a nível internacional, o que poderá querer evidenciar que não quererão ferir susceptibilidade em países que tem relacionamento comercial nomeadamente a França e Alemanha, assim sendo penso que Portugal deverá avançar com os outros países de língua oficial portuguesa para o maior aprofundamento político, económico e militar, creio que depois do processo estar em fase adiantada o Brasil forçosamente entrará nesse processo e dissipará todos os seus receios.
    Portando no presente o futuro de Portugal é montar uma multi-estratégia não dependente da Europa mas ao mesmo tempo estando nela e participando nos seus desígnios.

    • A minha estratégia preferida tem sido a de favorecer a aproximação com o Brasil devido à sua maior proximidade em desenvolvimento social, cultural e económico para com Portugal. Por regra, os mais semelhantes, aproximam-se de forma mais natural e fácil que os mais dissemelhantes…
      Mas de facto, não se sente muito entusiasmo “pro-lusófono” no Brasil. Nem pela politica externa ou diplomacia, de resto. O Isolacionismo da ditadura militar ainda tem o seu peso em Brasília, aparentemente…
      Angola está a adquirir uma pujança económica notável. Se o pais conseguir democratizar-se efetivamente (o que parece muito difícil hoje) e livrar-se da hiperdependencia dos hidrocarbonetos pode assim nessa futura UL o papel que o Brasil não parece querer assumir… Cabo Verde pode ser aqui o nodo fulcral…

      • Creio que o Brasil lhe interessa que a CPLP fique em banho maria, passo a expressão, precisamente porque agora lhe está interessando a França e a Alemanha, mas realmente quem está ganhando com isso para já são os franceses a venderem armamento nomeadamente caças de combate, não sei o que realmente o Brasil está lucrando mas enfim, ilusões…
        A curto prazo teremos que avançar para uma efectivação da CPLP e Angola está-se posicionando muito bem para isso, Moçambique parece que também está receptivo, já para não falar de Cabo Verde, S.Tomé e Príncipe e Timor e a Guiné que anseia por efectivos no terreno.
        Como tal deveremos avançar mais aprofundadamente com aqueles que querem sem equívocos, quanto ao Brasil quando começar a sentir como é o jogo a doer de facto no seio do G20 quererá com certeza apanhar o comboio.

  6. Riquepqd

    Sábio corujão do Minho, somente você pra descobrir que o Enoque é o Odin disfarçado o tempo todo????

    Enoque, ou Odin? Agora fiquei de bobeira, nem desconfiava disso.

    • Rique

      eu certeza não tinha, mas desconfiava e um dia mandei uma “boca” mas ele só se acusou mais tarde!!!
      o estilo dele é marcante, é completo, enciclopédico, escorreito, leal, positivo.
      confesso que de início não reparei mas depois…

      🙂

  7. Odinoque e Riquepqd

    um depoimento IMPRESSIONANTE!!!

    tem legendas em Português-Portugal e em Português-Brasil (a vossa preferida e a do CP…) 😈

    • Enoque

      Otus scops
      Ou você me chama de Enoque ou você se dirige a mim assim: Odin, pá! 😀
      Eu só consegui ver até o 13:26 min. E concordo sim com o general Van Uhm. Um dos meus maiores arrependimentos é de não ter entrado na Força Aérea quando eu tinha 18 anos. Com as informações que eu tenho hoje sobre o mundo, eu preferia ter tido uma “educação espartana”. Você optar por ser uma pessoa pacífica é nobre, e eu aplaudo. Mas o problema que você não pode contar com toda a humanidade. Muitos indivíduos, por diversos motivos, se acham no direito de tomar a iniciativa de agredir as pessoas, de controlar as pessoas. Enquanto você europeu fala em desarmamento, em democracia, em direitos humanos, em liberdade, há pessoas em outros continentes falam em corrida armamentista, em obrigar-lhe a se submeter as leis de alguma religião, em destruir o vosso modo de vida, em obrigar-lhe a concordar com o que você não quer concordar. Assim como na Alemanha apareceu um tal de Hitler, que atacou a Holanda que nem sequer participou da Primeira Guerra Mundial, uma país que estava em paz, mas não estava devidamente preparado para uma invasão, foi ocupado e conheceu os horrores do Nazismo, do holocausto.
      Hoje eu já não confio mais nos governos, nem nos democráticos. Eles não são imparciais em relação a sociedade, eles privilegiam um grupo em detrimento de outros grupos, e você imagina se um país como os Estados Unidos da América se tornar uma ditadura? Um país com o poder bélico e tecnológico que os americanos têm? Os maiores prejudicados serão de longe os próprios cidadãos americanos. Se o Brasil se armar muito com F-X2 ou F-x3… quem vai controlar obviamente o aparato bélico é o governo federal, e não o povo do Brasil. E se ocorrer um golpe de Estado por parte de quem governa para se perpetuar no poder?
      Mas, se você tem um bom treinamento militar para autodefesa, para a defesa dos seus, as suas oportunidades de resistência e sobrevivência aumentam.
      Quem precisa do poder, precisa do caos para poder apresentar a solução e ter respaldo para permanecer no poder. Não se deixe enganar com a crise.

    • Riquepqd

      Excelente discurso deste general holandês, concordo em tudo, por isso também defendo para o Brasil o uso consciente da força, apenas para defesa própria, e para isso precisamos de forças armadas ainda mais preparadas.

      E fazendo um paralelo, o pai dele e seus compatriotas contemporâneos combateram os nazistas com armas e recursos inferiores, e receberam ajuda de vários países, inclusive do Brasil que enviou tropas pra combater os alemães na Itália, estes holandeses devem ter lutado e passado por momentos muito difíceis, e semelhantes aos que os brasileiros passaram quando lutaram contra certos invasores holandeses no nordeste durante o século XVII, o mundo gira e o tempo passa…

  8. Ao contrário do que muita gente afirma , na minha opinião , Portugal é um pais com um GRANDE potencial económico , pois vejamos : Não creio que sejamos um pais periférico , somo o pais Europeu mais próximos do continente Americano e Costa Ocidental-Africana , poderíamos explorar o Porto de Sines ( o mais profundo da Europa ) e tirar partido da nossa posição geográfica . Deixem-me dar um exemplo absurdo da nossa posição geográfica altamente estratégica : Caso fossemos um pais irrespondível , uma nação ” rebelde ” com uma boa marinha de guerra teríamos poder para fechar a entrada e saída ao Mediterrâneo , deixando assim toda o Norte de África , Itália , Sul de França e restantes nações da região a pão e agua . Agora pergunto , somos assim tão periféricos ? O que será então a Suiça , a Holanda , Austrália ou Nova-Zelândia . Somos o pais Europeu com mais horas de sol , temos produtos agriculas de qualidade única a nível mundial , temos uma costa marítima extensa , rica em flora e fauna , temos minério em quantidade para explorar , temos planícies , serras , montanhas , neve , praias , tudo a pouco de meia dúzia de quilómetros Não creio que nações como a Suiça , Luxemburgo , Áustria , Holanda , Alemanha , entre muitas outras nações Europeias , tenham mais condições que Portugal . Acham mesmo que este pais é fraco em recursos ? Acham que esta nação não foi abençoada por Deus ? A grande diferença está na organização e na vontade de trabalhar dos povos das nações . Quando este povo decidir voltar a trabalhar , produzir riqueza e abandonar o chico-espertismo , então este pais será uma grande potência económica , tenho a certeza disso, até lá só nos resta a miséria e a mendicidade internacional e estar mergulhado numa situação ridícula completamente desajustada á historia deste pais .

  9. Somos uma nação falida , meia-dúzia de chicos-espertos enriquecem todos os dias á custa da miséria e desespero de milhares de Portugueses , um dia o desespero sairá a rua , quando isto acontecer os Judas que venderam e traíram esta nação serão pendurados por aqueles que foram roubados e enganados , o povo Português , os Faraós que encarceraram o futuro deste pais em nome dos seus interesses mesquinhos e das sua falsas promessas , serão consumidos por pragas de raiva lançada pelos novos esfomeados que eles criaram . Pela mão do povo muitos foram eleitos através do voto . mas será por essa mesma mão que um dia os elegeu que os castigarão sem dó nem piedade , que se faça DEMOCRACIA seja no voto ou seja na porrada , malditos políticos !!!!

    “…. Os valores totais da parte fixa das PPP ´s que o estado terá que pagar até 2050 , não deverá andar longe dos 50 BILIÕES DE EUROS , 50 BILIÕES DE EUROS …… ” 05:45 , programa olhos nos olhos , TVI 24 12 de Março 2012

    • Mas não ha tradição de revolta popular em Portugal… Ja se fizeram e disseram enormes barbaridades e o máximo que os portugueses fizeram foi, nas eleições, ficarem em casa e absterem-se de ir votar, para depois ficarem anos no emprego e no café a dizerem mal dos políticos que permitiram que fossem eleitos…
      Pode haver uma explosão social em Portugal? Teoricamente sim. Na prática? Duvido… Mas a situação não tem precedentes nos últimos cem anos, pelo que não tenho – hoje – nenhuma certeza.

  10. http://www.tvi24.iol.pt/programa.html?prg_id=4407

    Somos uma nação falida , meia-dúzia de chicos-espertos enriquecem todos os dias á custa da miséria e desespero de milhares de Portugueses , um dia o desespero sairá a rua , quando isto acontecer os Judas que venderam e traíram esta nação serão pendurados por aqueles que foram roubados e enganados , o povo Português , os Faraós que encarceraram o futuro deste pais em nome dos seus interesses mesquinhos e das sua falsas promessas , serão consumidos por pragas de raiva lançada pelos novos esfomeados que eles criaram . Pela mão do povo muitos foram eleitos através do voto . mas será por essa mesma mão que um dia os elegeu que os castigarão sem dó nem piedade , que se faça DEMOCRACIA seja no voto ou seja na porrada , malditos políticos !!!!

    “…. Os valores totais da parte fixa das PPP ´s que o estado terá que pagar até 2050 , não deverá andar longe dos 50 BILIÕES DE EUROS , 50 BILIÕES DE EUROS …… ” 05:45 , programa olhos nos olhos , TVI 24 12 de Março 2012

    • As PPPs são um autêntico pesadelo! A única saída é a nacionalização de todas essas monstruosidades que os mais políticos do bipartido negociaram dando milhões e milhões a ganhar (sem risco!) a privados e especuladores!
      Nacionalize-se!

  11. Enoque

    Clavis Prophetarum e Otus scops
    “A integração europeia não foi, com efeito, aquele doce “mar de rosas” que os pro-europeístas nos quiseram vender.”
    – Não! Realmente não foi.
    CP, apesar de eu ter ficado irritado com a propaganda da União Européia sobre os BRICS, vou me expressar à favor da UE, mesmo não sendo europeu e mesmo estando fora da Europa.
    Você está vendo a situação do ângulo de Portugal, e considera um erro a entrada de Portugal na UE e no euro. Mas eu observo a intenção da existência da UE do ponto de vista dos Franceses e dos Alemães. Vamos analisar a História relativamente recente da Europa. Houve a 2ª Guerra Mundial, e após a guerra, a descolonização da África e da Ásia. A França, a França, a Holanda e a Bélgica perderam os seus ímpérios. Portugal perdeu mais tarde, nos anos 70. Não estou levando em conta questões de moralidade, mas de como eu acho que um europeu patriota cansado das guerras no continente pensaria. Além da descolonização, a Guerra-Fria. O Leste Europeu estava submisso aos interesses da União Soviética. E os países europeus capitalistas submissos aos interesses dos Estados Unidos, que está no outro lado do Atlântico. Talvez os Britânicos não se incomodem muito que a superpotência tenha passado a ser outro país anglo-saxão. Mas o pouco que eu conheço dos Franceses, estes se incomodam muito. Os Alemães estavam divididos em dois países, um capitalista e outro comunista, e Alemães corriam o risco de ter que exterminar Alemães para defender interesses de Norte-Americanos e de Russos. No Extremo Oriente da Ásia, o Japão ressurgiu como gigante econômico e tecnológico a partir dos anos 70. No ponto de vista de Alemães Ocidentais, de Franceses, de Holandeses, de Belgas, de Italianos, qual era a melhor opção? A criação da União Européia. Um clube de países europeus desenvolvidos, democráticos, ninguém imaginaria que seria uma má idéia. Era a melhor forma das nações européias permanecerem entre as potências globais. A Grécia, a Irlanda, Portugal e Espanha pediram para entrar e foram aceitos, e tiveram grande desenvolvimento econômico e social. A Áustria, a Suécia e a Finlândia se identificaram com a UE e pediram adesão. Com a queda do bloco comunista, alguns países do Leste Europeu se democratizaram, adotaram o capitalismo e foram aceitos no bloco. A China surgiu como nova potência global, são muitos os desafios para o futuro. Se eu fosse um Europeu, por exemplo, um Francês, eu ainda defenderia a entrada da Suíça, da Noruega, da Ucrânia e da Rússia na UE. E há um país que não é europeu, mas devido a sua estrutura, o seu alto nível de desenvolvimento, sua tecnologia avançada, eu também seria favorável a sua presença na UE. O país a que me refiro é Israel. Só que para entrar na UE, eu seria favorável que desse definitivamente a independência à Palestina, saísse de vez da Cisjordânia e da Faixa de Gaza, voltasse às fronteiras que tinha até 1967, se eu fosse europeu. A UE foi uma das idéias mais geniais que os Europeus já tiveram. Podia ter desbancado os EUA da condição de 1ª potência global. Mas os governos gastaram demais, deixaram a dívida pública crescer muito. Pode ser que a Europa se recupere futuramente.
    http://www.elmundo.es/elmundo/2010/02/01/internacional/1265039795.html
    Parte de nossa matriz cultural/civilizacional é hebraica, lembre-se que o Cristianismo se tornou religião predominante na Europa e nas Américas, apesar da máscara greco-romana, o Cristianismo nasceu entre os judeus.

  12. O facto de estarmos na UE não tem que implicar a nossa omissão nos destinos da Europa a todos os níveis, esse foi o maior erro que a classe política portuguesa pós 25 de Abril e que ainda hoje persiste, como que se estivesse-mos a pagar por algo escabroso que tenhamos feito aos europeus, adoptando uma postura de vassalagem ao eixo Franco-Germânico, nós sempre trilhámos caminhos diferentes aos europeus e deveremos ser fiéis ao nosso ADN histórico, se isso sempre incomodou e incomoda aos outros europeus, então paciência temos pena.

    • Os europeus do norte portam-se para com os do sul com uma estranha esquizofrenia: por um lado, sente, ciumes quando nos aproximamos dos lusofonos, por outro lado, tratam-nos com desdem que tem muito de racista.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: