Daily Archives: 2012/02/23

A força aérea russa vai receber 60 aviões MiG-31 Foxhound modernizados até 2020

A força aérea russa vai receber 60 aviões MiG-31 Foxhound modernizados até 2020. Os interceptores serão atualizados para o padrão MiG-31BM, o que permitirá manter este aparelho (que entrou ao serviço em 1982) com aviónica moderna, data links digitais, radar multimodal, entre outros aperfeiçoamentos.

A versão 31BM consegue detetar alvos a mais de 320 kms e seguir simultaneamente até dez alvos sendo capaz de transportar mísseis ar-ar como o AS-17 Krypton anti-radar.

Com esta actualização a Rússia mantém uma estrutura de defesa aérea capaz e relativamente moderna, capaz de atacar quer aeronaves, quer mísseis balísticos e de cruzeiro que ameacem o território da Federação.

Fonte
http://www.defencetalk.com/russia-to-modernize-60-mig-31-interceptors-by-2020-39241/#ixzz1iUjVtvFi

Anúncios
Categories: DefenseNewsPt | Etiquetas: | 8 comentários

QuidsL1: O Cinema da Guiné-Bissau

Clique Aqui!

Pontos:
Clóvis Alberto Figueiredo (6) [Kristang, São Tomé e Príncipe, Guerra Civil em Angola, Timor-Leste, Alcácer Quibir, Cinema da Guiné-Bissau]
Luis Brântuas (2) [Agostinho da Silva, Literatura Brasileira]

Regulamento:
1. Todos os quids valem um ponto
2. Os Quids são lançados a qualquer momento do dia ou da noite, de qualquer dia da semana
3. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 20 pontos
4. Sai vencedor do Quid o primeiro concorrente a acertar em todas as respostas
5. Cada participante só pode responder uma vez

Categories: Lusofonia, QuidsL1 | 7 comentários

João Franco: “Com a perda de interesse dos EUA no eixo atlântico, parece despertar com muito interesse para Portugal, o triângulo atlântico Portugal-Angola-Brasil”

“Com a perda de interesse dos EUA no eixo atlântico, parece despertar com muito interesse para Portugal, o triângulo atlântico Portugal-Angola-Brasil, sendo de desejar o aumento da cooperação militar entre estes três países, bem como a cooperação tecnológica militar entre Brasil e Portugal.”

Portugal, Uma Análise do Poder
João Franco
Finis Mundi, número 3

É sobre o triângulo estratégico lusófono Portugal-Angola-Brasil que a União Lusófona tem que se fundar. Com estes três pontos de apoio, em três continentes, em posições estratégicas privilegiadas, a União Lusófona terá assegurada a base territorial essencial para se afirmar enquanto potencia pluricontinental de escala mundial. Angola desenvolve-se a um ritmo muito intenso, e o mesmo sucede com o Brasil.  Ao ritmo atual, e tendo em conta a necessária “cura de emagrecimento” que Portugal terá que enfrentar nas próximas duas décadas, não faltará muito para que as economias dos três países alcancem níveis muito semelhantes. Esta aproximação de níveis económicos, vai facilitar a integração cruzada das três economias e criar condições para um aprofundamento relacional sem precedentes.

Mas para que tal aproximação se possa aprofundar, há que vencer alguns complexos africanos (justos) com a colonização e dispensar de vez a bloqueante “culpa do Homem Branco” que ainda mácula as relações de muitos portugueses com os povos lusófonos africanos… Com o Brasil, esses complexos não existem, mas existe um grande nível de desconhecimento mútuo, fruto de décadas de costas voltadas, que ainda vai exigir muito esforço antes de ser vencido.

Categories: Lusofonia, Política Internacional, Política Nacional, Portugal | 6 comentários

António Marques Bessa: “Virar as costas ao mar foi uma decisão desastrosa e cega”

António Marques Bessa (http://farm3.static.flickr.com)

António Marques Bessa

“Virar as costas ao mar foi uma decisão desastrosa e cega. Com um triângulo estratégico importante, com pólos nos Açores, Madeira e território Continental, com uma zona exclusiva invejável, a política orientou-se para minimizar essa vantagem natural, acabar praticamente com a sua frota de pesca, financiar minimamente a Marinha de Guerra, portanto, retirar capacidade de fiscalização de pescas ilegais e mesmo de protecção aos poucos navios ainda em operações. A obliteração desta dimensão marítima e da vida costeira, segundo o teórico almirante Mahan, enfraquece os países e retira-lhes maritimidade. Será pena se esta orientação continuar, porque não há espaços geopolíticos vagos no mundo: quem sai é substituído.”

António Marques Bessa
As Grandes Linhas da Política Externa Portuguesa nos Últimos Anos
Finis Mundi, número 3

Portugal está em crise. Não somente numa crise financeira, moral e económica, mas também numa crise de desígnios estratégicos. Perdido o Império, esquecido o Mar que ligava a metrópole às colónias dispersas pelo mundo fora, Portugal julgou ter encontrado novo rumo através de uma adesão entusiástica à União Europeia.

Mas a União Europeia é apenas uma pálida e deturpada amostra daquilo que o projeto europeu prometia em meados da década de oitenta. Destituída de vigor e dinamismo, a União Europeia deixou-se transformar numa rede clientelar e empregos para boys, com instituições sem poder real e sem competências concretas, como o Parlamento Europeu ou a Comissão Europeia. Sem autoridade nem meios (o orçamento da CE è de menos de 1% do PIB europeu), a União deixou-se tornar no palco onde os germânicos ensaiam os primeiros passos do seu regresso à imperial ribalta europeia.

Perdido que está o sonho europeu, Portugal deve eleger novo rumo estratégico de longo e fundo prazo. Esse rumo só pode passar pelo reavivar dos seus laços económicos e culturais com os povos de fala lusófona e pela reconstrução do seu tecido económico, recusando o papel terciário que para nós desenharam os “herrenvolk” do norte da Europa e fazendo assentar numa plena e ambiciosa economia do mar (pescas, transportes, portos, energia e recursos minerais) a recuperação de Portugal.

Categories: Política Nacional, Portugal | 6 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade