Sobre a “Parceira Especial” entre Cabo Verde e a União Lusófona, o “Passaporte Lusófono” e demais aproximações

CPLP (www.linguabrasilcultura.com)

CPLP (linguabrasilcultura.com)

Depois da “Força Lusófona de Manutenção de Paz“, uma das primeiras tomadas públicas de posição do MIL foi a defesa de um “Passaporte Agostinho da Silva” que facilitasse a circulação de pessoas entre o espaço lusófono. Em 2001-2002 a ideia foi acolhida com alguma frieza nos meios de comunicação porque se vivia então um sentimento quase generalizado anti-migrações. Volvidos mais de dez anos, Portugal acolhe hoje menos migrantes lusófonos do que aqueles que tem em qualquer PALOP e no Brasil. Nalguns casos, como Angola, por cada angolano em Portugal, estão quatro portugueses trabalhando em Angola… O “medo” de uma “invasão” africana ou brasileira é assim hoje completamente ridículo, dando assim razão às posições que defendíamos ja em 2001.

Os princípios que nos levavam a defender um “Passaporte Lusófono” são hoje ainda mais atuais. A aproximação de Cabo Verde à União Europeia tem aberto aliás portas que – perante uma atitude corajosa da CPLP – poderiam até levar à fundação do “Passaporte Lusófono”. No mais recente sucesso neste campo, Cabo Verde anunciou que os seus académicos, empresários e artistas terão a partir de 2012 um acesso mais fácil ao território da União Europeia. Esta simplificação dos vistos será feita no âmbito da “Parceria Especial entre a União Europeia” que foi assinada em 2007, mas pode e deve ser alargada a todos os outros países lusófonos, devendo Portugal assumir no seio da União Europeia de uma posição de liderança corajosa e decidida procurando assim alavancar um parceria mais ampla e extensa. Com a extensão da “parceria especial” a outras nações lusófonas Portugal veria assim vencida a barreira potencial que a Europa lançou sobre si, ciosa da exclusividade do seu poder, e as condições para um aprofundamento da CPLP e a fundação de uma “União Lusófona” que não excluísse, antes incluísse a Uniao Europeia saem reforçadas.

Fonte:
http://noticias.sapo.cv/lusa/artigo/13382578.html

Categories: Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono, Política Internacional, Política Nacional, Portugal | Etiquetas: | 4 comentários

Navegação de artigos

4 thoughts on “Sobre a “Parceira Especial” entre Cabo Verde e a União Lusófona, o “Passaporte Lusófono” e demais aproximações

  1. Concordo com a ideia de um «Passaporte Lusófono» , Jà ! Como primeiro passo para uma União mais alargada.

    • é uma das posicoes mais antigas do MIL, com direito a peticao online… E cada vez mais atual, especialmente agora que o “fantasma” da invasao africana ou brasileira se inverteu… E quantas criticas recebemos quando lancamos esta proposta…

  2. Que ideia brilhante !!!
    Agradeço a publicação , e dou todo o apoio, em nome da ALDH-Associação Lusófona de Direitos Humanos.
    Estou divulgando para todos os amigos de Timor, Cabo Verde, Angola e Brasil.

  3. Obrigado, Gisela!
    O tema da Lusofonia será sempre um dos dominantes, aqui pelo Quintus…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: