Daily Archives: 2011/12/19

Sobre a suspensão do investimento da Nissan em Portugal

A recente suspensão do investimento da Nissan-Renault em Aveiro, para a construção de uma fabrica de baterias resulta do acordo com a Troika, da sua alínea em que se proíbem expressamente a atribuição de novos benefícios fiscais.

Segundo o governo, “o acordo assinado entre o Estado português e a troika impede expressamente novos benefícios fiscais ou o alargamento dos existentes”. Ou seja, Portugal foi impedido de cativar esse investimento estratégico para a economia e independência energética nacionais pela Troika.

O projeto iria criar pelo menos 200 postos de trabalho em Aveiro e permitiria que todas as baterias para os novos carros elétricos fossem produzidas no país já a partir do começo do próximo ano.

Segundo a Renault-Nissan, a suspensão da construção da fabrica deve-se não à impossibilidade do aumento das facilidades fiscais, mas à “conclusão de que as quatro fábricas espalhadas por todo o mundo seriam suficientes”, tendo em conta o abrandamento da procura resultante da recessão mundial que parece cada vez mais inevitável.

Os números das necessidades nacionais em carros elétricos foram também revistos – em baixa – pelo governo, cujo secretário de Estado da Energia, Henrique Gomes, afirmou não existir mercado para uma quarta fábrica de baterias para carros elétricos da Nissan: “A empresa tem três fábricas de baterias em todo o mundo. Se considerássemos a produção da unidade de Cacia, estaríamos falar de uma produção de 500 mil baterias em quatro anos. Pessoalmente não vejo onde haveria mercado na Europa”. Tal declaração confirma que o Governo desistiu do projeto e não pretende bater-se pelo seu estabelecimento em Portugal, nem mesmo recorrendo aos incentivos ja existentes em Portugal e na base dos quais o projeto da Nissan-Renault tinha sido estabelecido.

O governante adiantou também que o “projeto de mobilidade elétrica português (MOBI.E) “está em avaliação para garantir a sustentabilidade, nomeadamente o modelo tarifário, que não deve sobrecarregar a parte energética”, mas sabe-se já que em vez de 250 mil carros elétricos em 2020 se estima agora que nesse ano existam pouco mais de 50 mil veículos elétricos a circular nas estradas portuguesas, ou seja 2% do total… Terá sido esta estimativa; assim como a revisão do MOBI.E que terão levado mais à suspensão do projeto de investimento do que a negação de novos benefícios fiscais por parte da Troika, suspeitamos nós…

Fonte:
http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia-nacional/nissan-fabrica-baterias-agencia-financeira-incentivos-fiscais/1308069-5205.html

Categories: Ciência e Tecnologia, Economia, Política Nacional, Portugal | Deixe um comentário

Temos 5 anos para fazer algo sobre o Aquecimento Global. Ou então é tarde demais.

Um relatório recente da “Agência Internacional da Energia” (International Energy Agency) indica que temos apenas cinco anos para impedir uma mudança climática irreversível. Esta informação – a confirmar-se – não podia vir em pior altura. O Ocidente (EUA e União Europeia) está paralisado por uma “crise da dívida soberana” que vai demorar nunca menos de dez anos a resolver… a China tomou recentemente algumas medidas, mas ainda de forma tímida e inconsistente e o resto do mundo está basicamente expectante quanto ao que a Europa vai fazer. Ora como esta está paralisada…

A situação ainda é mais grave do que parece, porque embora a economia mundial esteja anémica, o consumo de energia subiu 5% entre 2009 e 2010. Este aumento de consumo implicou um aumento das emissões de CO2 e, logo, do Efeito de Estufa que ameaça colocar em risco a sobrevivência do Homem neste planeta.

Ainda não é tarde. E a descida muito significativa dos preços dos painéis solares registada nos últimos anos pode ser decisiva. Infelizmente, além da gigantesca dificuldade que seria converter a economia mundial para fora do Carbono num prazo tão curto (inferior a 5 anos!) o recente desprestígio da Energia Nuclear, depois do desastre de Fukushima e as grandes dificuldades orçamentais dos países do Ocidente (que liderava no mundo o processo de combate às alterações climáticas) não auguram nada de bom…

Fonte:
http://science.slashdot.org/story/11/11/10/037228/iea-warns-of-irreversible-climate-change-in-5-years

Categories: Ciência e Tecnologia, Ecologia, Economia, Política Internacional, Sociedade | 2 comentários

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade