Daily Archives: 2011/12/19

Sobre a suspensão do investimento da Nissan em Portugal

A recente suspensão do investimento da Nissan-Renault em Aveiro, para a construção de uma fabrica de baterias resulta do acordo com a Troika, da sua alínea em que se proíbem expressamente a atribuição de novos benefícios fiscais.

Segundo o governo, “o acordo assinado entre o Estado português e a troika impede expressamente novos benefícios fiscais ou o alargamento dos existentes”. Ou seja, Portugal foi impedido de cativar esse investimento estratégico para a economia e independência energética nacionais pela Troika.

O projeto iria criar pelo menos 200 postos de trabalho em Aveiro e permitiria que todas as baterias para os novos carros elétricos fossem produzidas no país já a partir do começo do próximo ano.

Segundo a Renault-Nissan, a suspensão da construção da fabrica deve-se não à impossibilidade do aumento das facilidades fiscais, mas à “conclusão de que as quatro fábricas espalhadas por todo o mundo seriam suficientes”, tendo em conta o abrandamento da procura resultante da recessão mundial que parece cada vez mais inevitável.

Os números das necessidades nacionais em carros elétricos foram também revistos – em baixa – pelo governo, cujo secretário de Estado da Energia, Henrique Gomes, afirmou não existir mercado para uma quarta fábrica de baterias para carros elétricos da Nissan: “A empresa tem três fábricas de baterias em todo o mundo. Se considerássemos a produção da unidade de Cacia, estaríamos falar de uma produção de 500 mil baterias em quatro anos. Pessoalmente não vejo onde haveria mercado na Europa”. Tal declaração confirma que o Governo desistiu do projeto e não pretende bater-se pelo seu estabelecimento em Portugal, nem mesmo recorrendo aos incentivos ja existentes em Portugal e na base dos quais o projeto da Nissan-Renault tinha sido estabelecido.

O governante adiantou também que o “projeto de mobilidade elétrica português (MOBI.E) “está em avaliação para garantir a sustentabilidade, nomeadamente o modelo tarifário, que não deve sobrecarregar a parte energética”, mas sabe-se já que em vez de 250 mil carros elétricos em 2020 se estima agora que nesse ano existam pouco mais de 50 mil veículos elétricos a circular nas estradas portuguesas, ou seja 2% do total… Terá sido esta estimativa; assim como a revisão do MOBI.E que terão levado mais à suspensão do projeto de investimento do que a negação de novos benefícios fiscais por parte da Troika, suspeitamos nós…

Fonte:
http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia-nacional/nissan-fabrica-baterias-agencia-financeira-incentivos-fiscais/1308069-5205.html

Categories: Ciência e Tecnologia, Economia, Política Nacional, Portugal | Deixe um comentário

Temos 5 anos para fazer algo sobre o Aquecimento Global. Ou então é tarde demais.

Um relatório recente da “Agência Internacional da Energia” (International Energy Agency) indica que temos apenas cinco anos para impedir uma mudança climática irreversível. Esta informação – a confirmar-se – não podia vir em pior altura. O Ocidente (EUA e União Europeia) está paralisado por uma “crise da dívida soberana” que vai demorar nunca menos de dez anos a resolver… a China tomou recentemente algumas medidas, mas ainda de forma tímida e inconsistente e o resto do mundo está basicamente expectante quanto ao que a Europa vai fazer. Ora como esta está paralisada…

A situação ainda é mais grave do que parece, porque embora a economia mundial esteja anémica, o consumo de energia subiu 5% entre 2009 e 2010. Este aumento de consumo implicou um aumento das emissões de CO2 e, logo, do Efeito de Estufa que ameaça colocar em risco a sobrevivência do Homem neste planeta.

Ainda não é tarde. E a descida muito significativa dos preços dos painéis solares registada nos últimos anos pode ser decisiva. Infelizmente, além da gigantesca dificuldade que seria converter a economia mundial para fora do Carbono num prazo tão curto (inferior a 5 anos!) o recente desprestígio da Energia Nuclear, depois do desastre de Fukushima e as grandes dificuldades orçamentais dos países do Ocidente (que liderava no mundo o processo de combate às alterações climáticas) não auguram nada de bom…

Fonte:
http://science.slashdot.org/story/11/11/10/037228/iea-warns-of-irreversible-climate-change-in-5-years

Categories: Ciência e Tecnologia, Ecologia, Economia, Política Internacional, Sociedade | 2 comentários

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy