Daily Archives: 2011/12/17

O chefe das Forças Armadas de Timor-Leste, general Lere Anan Timur, dizer que Timor deve a Portugal “a transformação de uma guerrilha num exército regular”

Não há dúvidas de que Portugal não esteve à altura do que era exigido de si quando retirou de Timor e deixou o povo irmão de Timor à mercê dos invasores javaneses. Mas quando na década de 90 o país inteiro se juntou na defesa inequívoca da causa timorense, Portugal redimiu-se dessa retirada vergonhosa em 1975.

Resulta assim particularmente honroso ouvir o chefe das Forças Armadas de Timor-Leste, general Lere Anan Timur, dizer que Timor deve a Portugal “a transformação de uma guerrilha num exército regular” acrescentando que “foram eles os primeiros a treinar e a instruir os que vieram do mato para  se tornarem numa força regular ou numa força profissional”. A declaração foi produzida no contexto da visita do chefe de Estado-Maior do Exército português, general Pinto Ramalho, um sinal de que a  cooperação técnico-militar entre Portugal e Timor está de boa saúde e recomenda-se, apesar da influência do vizinho australiano e das atuais dificuldades orçamentais portuguesas.

Timor é um país irmão, com o qual Portugal tem uma ligação emocional muito forte e que apesar da distancia, dos atuais problemas financeiros e da presença intimidante de duas grandes potencias regionais (a Indonésia e a Austrália) tem todo o interesse em continuar a manter ligações estreitas com os países da CPLP. Nação pequena, encastrada entre grandes potencias e com um recurso marítimo valioso (o petróleo do Mar de Timor), o país tem todo o interesse em manter uma rede alargada e distante de alianças diplomáticas e militares que assegurem a sua Defesa, de uma forma que os meios militares locais nunca poderão garantir.

Fonte:
http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?contentID=8317ED76-E89B-4953-9B61-E8387D229BDC&channelID=00000021-0000-0000-0000-000000000021

Categories: Lusofonia, Política Internacional, Política Nacional, Portugal | Etiquetas: , | 2 comentários

O reator de Fusão Fria E-Cat de Andrea Rossi

O reator de Fusão Fria "E-Cat" e Andrea Rossi (http://scm-l3.technorati.com)

O reator de Fusão Fria "E-Cat" e Andrea Rossi (http://scm-l3.technorati.com)

A recente noticia do sucesso da experiência da equipa do físico italiano Andrea Rossi a 28 de outubro pode ter marcado uma data decisiva na Historia da “Fusão Fria” e da Energia Nuclear.

O reator da equipa de Rossi terá sido demonstrado a um investidor norte-americano anónimo e logrou produzir 470 kilowatts de potencia durante algumas horas. Infelizmente, os jornalistas presentes não tiveram acesso total ao reator, o que é lamentável, dada toda a polémica que rodeia a “fusão fria”.

Este investidor terá comprado o reator demonstrado, que tem a designação “E-Cat”. Segundo Rossi, existem mais 30 encomendas dos EUA e da Europa para um reator que custará cerca de dois milhões de dólares por unidade. Rossi promete lançar ainda em 2012 uma versão domestica do “E-Cat”. A equipa italiana está também a desenvolver uma variante do reator que seja capaz de converter o calor que gera diretamente em eletricidade, mas esta versão não devera ver a luz do dia antes de 2013.

Todas estas alegações são animadoras. Mas persiste uma nuvem… O impedimento de acesso aos jornalistas não foi positivo. Não ficou claro se o E-Cat estava ou não completamente desligado de qualquer cablagem externa. A potencia obtida (de 470 kilowatts) foi também suspeitosamente baixa, ja que o reator tem uma capacidade teórica de gerar o dobro…

O que causa mais suspeição é o facto de Rossi estar precisamente na fase em que procura cativar mais capital e investidores… O facto de – alegadamente – estar apenas a receber encomendas de “grandes clientes” que testarão (supostamente) os reatores antes de os pagarem credibiliza-o, mas restam as citadas nuvens de incerteza…

Fonte:
http://www.wired.co.uk/news/archive/2011-11/06/cold-fusion-heating-up

Categories: Ciência e Tecnologia, Economia | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy