Daily Archives: 2011/12/13

O Rover Curiosity pode esclarecer as dúvidas quanto à descoberta de vida em Marte pela Viking

Rover Curiosity (science.nasa.gov)

Rover Curiosity (science.nasa.gov)

Uma das mais antigas polémicas marcianas é aquela que questiona se a experiência “Labeled Release” da sonda Viking que visitou o Planeta Vermelho em 1976 terá ou não, detetado vida. A conclusão foi descartada porque um outro instrumento da Viking não encontrou materiais orgânicos, levando a NASA a concluir que a observação do LR se tratava de facto de um “falso positivo”.

As conclusões da NASA de 1976 foram entretanto questionadas por um dos criadores do LR, que questionou em 1997 a validade da experiência de deteção de material orgânico. É claro que se o novo rover Curiosity detetar matéria orgânica, a razão original da NASA em 1976 para invalidar a descoberta de vida desaparece…

Alem da LR a Viking descobriu no seu local de aterragem algumas rochas com aquilo que pareciam ser líquenes, algo que a câmara de alta resolução do Curiosity poderá também aclarar. Estes indícios estariam ligados à deteção recente de fontes regulares de metano na atmosfera marciana.

Fonte:
http://www.marsdaily.com/reports/Veteran_Mars_Researcher_Says_Curiosity_Spacecraft_Can_Confirm_Viking_Detected_Life_999.html

Anúncios
Categories: Ciência e Tecnologia, SpaceNewsPt | Etiquetas: | Deixe um comentário

Contestação Popular, Impostos e Cortes da Despesa Social

A receita que em resposta ao problema das Dívidas Soberanas está a ser aplicada na Europa é a da Austeridade. Este é o Mantra imposto pelos anónimos “Mercados” e recomendado pelos neoliberais que tecem as políticas impostas pelo FMI e pelo FEEF a todos os países que se deixam emaranhar nas suas redes.

Mas Austeridade leva sempre a contestação social. E quanto mais se corta nos benefícios sociais (Despesa), mais contestação se cria. A História demonstra que uma subida compensatória nos Impostos (Receita) não produz os mesmos efeitos, curiosamente. De facto, a contestação social é tipicamente inversa aos benefícios sociais existentes. Um seu aumento, diminui a contestação. Uma sua redução, aumenta-a, numa flutuação observada varias vezes nas ultimas décadas na Europa.

Estas são as conclusões do estudo “Austeridade e Anarquia: Cortes Orçamentais e Agitação Social na Europa, 1919-2009” e que comparam o grau de despesa com benefícios sociais com ocorrências classificadas de “contestação social”: “motins, manifestações, greves gerais, assassinatos políticos, crises governamentais e tentativas de revolução, ao longo de 90 anos, em 26 países, incluindo Portugal.”

Os investigadores concluem que a Paz Social beneficia mais do aumento da carga fiscal do que da redução das Despesas Sociais. O fenómeno explica-se, para os investigadores porque “Quem paga impostos tem emprego e portanto, tem muito a perder, enquanto quem recebe transferências sociais – grande parte da despesa pública nos países observados – tem pouco a perder”.

Obviamente, estas conclusões não podem ser lidas de forma absoluta. Os Impostos não podem ser aumentados a partir de um certo nível. Se este patamar máximo for ultrapassado, a Economia tende a deslocar-se para o subsolo e escapa à alçada do Fisco. Impostos demasiado elevados dissuadem também ao crescimento e permitem que se criem estruturas despesistas no Estado. Esse teto máximo varia de economia para economia, mas quando excede os 50% estamos certamente perante tal tipo de limite. Outra conclusão que importa evitar é a de que este aumento da Contestação Social pode ser evitado aumentando a Despesa: Há despesa e há despesa social. A despesa sumptuária, em investimentos estruturais inúteis (TGV, CCB, Ota, etc) ou dificilmente reprodutíveis (auto-estradas, transportes, etc) e sobretudo a despesa intermédia (despesas com pensões e salários elevados na Função Pública) pode e deve ser contida até aos níveis de riqueza gerados pela economia. Mas o Estado Social deve ser preservado. Porque uma sociedade em guerra consigo própria não pode jamais reencontrar o rumo da prosperidade.

Fonte:
http://www.dn.pt/inicio/economia/interior.aspx?content_id=2103175

Categories: Economia, Política Internacional, Política Nacional, Sociedade, Sociedade Portuguesa | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade