Da emigração portuguesa para Angola

A angolana Leila Lopes (http://www.sempretops.com)

A angolana Leila Lopes (http://www.sempretops.com)

A dimensão social do movimento migratório de Portugal para Angola ainda não foi completamente percepcionada pela sociedade portuguesa. À medida em que a situação económica portuguesa passa de estagnação a crise profunda, quantidades crescentes de portugueses deixam o seu país e engrossam uma legião que nos últimos cinco anos conta já com 350 mil portugueses vivendo e trabalhando em Angola.

Esta massa migratória representa uma importante alteração em relação aos padrões migratórios dos anos precedentes (em que a emigração se encaminhava sobre tudo para o Reino Unido, Suíça e Espanha) e é especialmente notável se compararmos os 156 vistos emitidos pela embaixada angolana em Lisboa com os… mais de 23 já emitidos este ano. Tradicional fonte de imigrantes, os angolanos hoje em Portugal são quatro vezes menos que os portugueses em Angola…

A atração angolana advém das suas riquezas naturais e de um PIB que cresce a uma media de 14% desde 2003. A economia angolana está próspera, com afluxo constante de receitas do setor petrolífero e com a existência de múltiplos programas de reconstrução que requerem muita mão-de-obra especializada. Localmente, preferem-se técnicos que dominem a língua portuguesa e isso tem favorecido a emigração portuguesa.

Angola é contudo um país cheio de dificuldades. A corrupção é endémica, o atraso nas estruturas de comunicação, saúde e educação, terrível e apesar de todo o crescimento dos últimos anos, a esperança média de vida em Angola é de apenas 38 anos. Estas condições sao compensadas pelos elevados salários pagos a quem chegue ao país com as qualificações de que este desesperadamente precisa para manter e sustentar o desenvolvimento dos últimos anos: um engenheiro recém-licenciado ou um técnico especializada que em Portugal ganharia entre 750 e 1000 euros mensais, em Angola pode esperar auferir 3000 euros, com alojamento incluído, e por vezes, mesmo mais.

Fonte:
http://machimon.wordpress.com/2011/09/05/portuguese-emigration-to-angola/

Categories: Lusofonia, Política Internacional, Política Nacional, Portugal | Etiquetas: | 13 comentários

Navegação de artigos

13 thoughts on “Da emigração portuguesa para Angola

  1. Odin

    Sobre os países africanos de língua oficial portuguesa, o Brasil deve tê-los como prioridade diplomática, fazer o máximo possível de investimentos, contribuir para a geração de renda e empregos para as populações locais, com a finalidade de ajudar da melhor forma possível. E não fazer como os chineses, que investem para gerar empregos para chineses irem trabalhar em terras africanas.

    • E que nao hesitam em saquear recursos, deixando para tras corrupcao e paises esvaziados de recursos… E catastrofes ambientais.
      A China esta a aproveitar-se do facto de a Uniao Europeia exigir regras minimas de boa governanca aos paises ajudados, a China nao so nao exige nada, como corrompe ainda mais os lideres africanos ja muito corruptos. Dai a sua vantagem.
      O Brasil nao pode seguir este exemplo. Mas podera competir nestas condicoes?…

  2. concordo com a Tia Dilma.

    essa coisas de 156 e 23 vistos tem algúm nexo???

    sobre os salários, sim há esses casos, depende dos sectores, mas nem tudo são rosas nem essas facilidades.

    quanto a esses crescimentos económicos de 14% é por ser um país sub-desnvolvido, mais cedo ou mais tarde abrandará.

    finalizo dizendo que os portugueses tem sucesso em Angola não é por causa da língua que lá implantaram, é porque aquilo foi uma criação deles, lá nada funciona bem sem portugueses.

    • Os numeros sao estranhos, eu sei… De facto conheco pessoas que ja emigraram para o Brasil e acho pouco provavel que o seu numero esteja aqui incluso… Bem, deve ser um indicador, acho…
      Os crescimentos acima de dez por cento podem ser sustentaveis… Ve o caso da China: cresca acima de dez ha quantos anos? Tudo depende das condicoes locais e do contexto geral da economia mundial. Um pais que tenha grandes reservas de petroleo num planeta onde a sua producao ja esta em Pico vai provavelmente manter esse tipo de taxas enquanto tiver petroleo para exportar.

      A lingua em Angola ‘e um fator crucial para a presenca de tantos portugueses. ‘E o que toda a gente me diz, de ambos os lados, mas o temperamento parecido, e o facto de muitos portugueses terem ligacoes emocionais ao pais explica porque sao tambem capazes de aguentar todas as numerosas adversidades do pais melhor que os outros europeus que tambem por la vao passando…

  3. divirtam-se:
    http://www.economist.com/content/compare-cabana?fsrc=nlw%7Cnewe%7C09-05-11%7Cnew_on_the_economist

    o PIB per capita do D.F. Brasília é ligeiramente superior ao de Portugal. o resto é terceiro mundista “brabo”…
    realmente a prifissão de político no Brasil vale MESMO a pena!!!

    • A desigualdade social e economica no Brasil esta diretamente ligada ao grande cancro da sociedade brasileira que ‘e a criminalidade… E a corrupcao.
      Mas Portugal ‘e hoje o pais mais desigual da europa ocidental e o terceiro do continente apos a lituania e a bulgaria.
      Tambem nao ‘e uma posicao famosa…
      Algo que acontece por causa da ineficacia do sistema fiscal em taxar os mais ricos (nao confundir com os trabalhadores com ordenados mais altos), algo que o OE2012 ainda vai agravar mais!

    • CP

      infelizmente dou-te toda a razão, meu Agony Uncle…
      e Portugal sempre foi o mais desigual, o nosso índice Gini é vergonhoso.

      • Sim, na escala europeia e-o, absolutamente. Mas (e a desgraca alheia ‘e por vezes consoladora) ‘e apesar disso superior ‘a da maioria dos paises do mundo.

      • ora vês, como a Europa é que é o estado-da-arte da Existência Humana???
        por isso sigo aquele princípio muito testado e sempre certo: “junta-te aos bons e serás um deles”!!!

        P.S. – é por isso que gosto de te ter a ti também por perto na minha vida, fico sempre melhor na tua excelsa presença. 😉

        • E quem sao os “bons”? Sarko e Merkel?… Quanto ganhamos desde que nos juntamos ‘a UEM em noventas?

        • CP

          não me canses… sabes que os bons é são os povos, a civilização, a cultura, a organização, os valores, o modo de viver.
          essas coisas que enunciaste em breve eclipsar-se-ão, os povos e as nações sobreviver-lhes-ão e isso é que interessa.

          quanto ganhamos??? se não consegues ver isso não vale a pena continuar este diálogo.
          mas deve ter sido mais qualquer coisinha que o carregador de telemóvel universal… 😈

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: