“Para Pessoa, o Quinto Império, que surgiria após as quatro idades – Grécia, Roma, Cristandade, Europa – é um império de fraternidade e de paz universais”

“Para Pessoa, o Quinto Império, que surgiria após as quatro idades – Grécia, Roma, Cristandade, Europa – é um império de fraternidade e de paz universais, de acordo com o ideal de paz universal adotado pelos rosacrucianos, depois de percorridas as etapas de um percurso iniciático em que o seu humano redescobriria a sua essência perdida, o que significa o reconhecimento do seu elemento divino. Finda a iniciação que conduz à redenção, o ser humano estaria preparado para viver num espaço que se situa fora das fronteiras portuguesas, um espaço universal.”

> Pessoa via assim o Quinto Império como um fenómeno interior e pessoal. A revolução ou o estabelecimento do Quinto Império seriam acontecimentos interiores, a decorrer no interior do indivíduo quando as devidas condições se encontrassem em cruzamento no seu interior e não no mundo exterior pela aparição miraculosa de um qualquer “rei encoberto” ou da expansão militar ou política de um império continental, marítimo ou global. O Quinto Império brotaria na mente dos portugueses, o Encoberto seria materializado dentro de cada lusófono, alavancando assim a transição para um novo estádio de consciência na forma portuguesa de “estar no mundo” e que teria sido levada até ao seu apogeu pelo Brasil e pela “vida conversável” das sociedades africanas de fala portuguesa.

“A Super-Nação, imagem especular do Éden Primordial, situa-se para além das fronteiras definidas pelos homens e é alcançada através da pulsão humana que encaminha o homem em direção à sua natureza essencial. A criação de uma visão mítica da nossa História transforma o presente num agente criador do futuro da História transforma o presente num agente criador do futuro da História da Humanidade, pois o Quinto Império, que seria vivido na terra, significa a união fraterna entre todos os povos, após o renascimento humano numa outra era”.

> Não pode assim haver Quinto Império pelas armas, nem pela pura e simples via da constituição de alianças militares ou políticas, nem sequer pela direta transmutação da CPLP numa União Lusófona, à imagem e semelhança da União Europeia (e que estaria fadada ao mesmo estéril destino desta, a prazo).
> Antes de reformar as instituições, os Estados e a forma como eles se organizam e distribuem, importa trabalhar no interior do indivíduo: procurando os mecanismos de satisfação e realização pessoal, capacitando os cidadãos para o pleno e empenhado exercício dos seus direitos e deveres de cidadania e induzindo uma revolução interior que depois – pela virtude inexcedível do Exemplo – possa depois propagar-se a toda a comunidade onde este está inserido e depois, a toda a comunidade lusófona que por temperamento, laços culturais e língua lhe estão umbilicarmente ligados.

Gabriela Lança
Revista Nova Águia, número 7

Categories: Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono, Nova Águia, Política Nacional, Portugal | 1 Comentário

Navegação de artigos

One thought on ““Para Pessoa, o Quinto Império, que surgiria após as quatro idades – Grécia, Roma, Cristandade, Europa – é um império de fraternidade e de paz universais”

  1. Cláudia S. Tomazi - Brasil SC

    O quinto império é facto
    de lentes apuradas
    de vertentes do acto
    curar vidas rasuradas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: