Porque não houve ainda Regulação financeira?

A crise de 2008 e a sua atual descendente “crise das dívidas soberanas” têm como primeira causa a fúria desregulatória dos últimos 25 anos. Seria assim razoável esperar que os governos tivessem retomado um caminho de regulação dos mercados financeiros. Isso não aconteceu. Para além de tímidas e cosméticas “reformas” nos EUA do pífio Obama, nada de significativo se fez.

Nenhuma grande ou pequena instituição financeira ou Banco foi judicialmente processado em nenhum país do mundo e, sobretudo, nenhum dos gestores que afundaram com os seus desmandos a economia mundial e centenas de milhões de famílias teve que devolver um só cêntimo dos grandes bónus que receberam nas últimas décadas. Pelo contrário, muitos destes banqueiros acabaram a trabalhar para os governos britânico e norte-americano, quer no próprio governo, quer como “conselheiros”, o que lhes permitiu bloquear qualquer impulso regulatório e continuarem a defender os seus interesses e dos seus comparsas.

As populações, contudo, parecem aceitar bovinamente esta situação. Por todo o mundo – com ou sem FMI/FEEF – fazem-se cortes na despesa pública, Saúde e Educação, fundamentalmente, mas a Banca e os banqueiros continuam imunes a todos estes sacrifícios. As populações rebelam-se mais facilmente contra estes cortes na Saúde e Educação do que contra os continuados e escandalosos privilégios dos Bancos. Sem esta justiça, sem a necessária reforma regulatória, abrem-se as portas para uma nova crise financeira mundial, a partir dos ecos longínquos da de 2008 e da mais próxima “crise da dívida soberana” (refúgio dos investidores de 2008).

Não há dúvidas que nova recessão mundial levará a uma grave crise social mundial. E é improvável que esta onda não toque aqueles que estiveram no epicentro de todas as crises económicas das últimas décadas: os banqueiros e os especuladores. Uma vez que os políticos não quiseram (ou não puderam) corrigir as disfunções desregulatórias no sistema financeiro, esses desequilíbrios vão acumular-se num descontentamento popular que criará as revoltas que antecipamos.

Fonte:
http://www.guardian.co.uk/commentisfree/2011/may/30/outrage-banks-riots-streets-muddled

Categories: Economia | 2 comentários

Navegação de artigos

2 thoughts on “Porque não houve ainda Regulação financeira?

  1. Odin

    “Nenhuma grande ou pequena instituição financeira ou Banco foi judicialmente processado em nenhum país do mundo e, sobretudo, nenhum dos gestores que afundaram com os seus desmandos a economia mundial e centenas de milhões de famílias teve que devolver um só cêntimo dos grandes bónus que receberam nas últimas décadas. Pelo contrário, muitos destes banqueiros acabaram a trabalhar para os governos britânico e norte-americano, quer no próprio governo, quer como “conselheiros”, o que lhes permitiu bloquear qualquer impulso regulatório e continuarem a defender os seus interesses e dos seus comparsas.”

    Por que será?

    “…vão acumular-se num descontentamento popular que criará as revoltas que antecipamos…”

    Guerras Civis? O caos vai se instalar nas nações?

    • Se nada de muito radical suceder a prazo e falo de aprofundamentos da democracia pela sua revivificacao e pela introducao de mecanismos de democracia participativa que recoloquem o setor financeiro na posicao regulada que tinham na decada de 90 e que renegociem a divida externa em conjunto, sim: revoltas (que nao sao sempre revolucoes) massivas e em varios paises do globo, ao estilo do que ja hoje sucede no mundo arabe…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: