Monthly Archives: Junho 2011

Quids S23: Quem era este homem?

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 21:00 e as 24:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30) ou mais cedo, se possível. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 20 pontos.

6. A qualquer momento, poderão sair “QuidsExtra” de texto ou de imagens, com as mesmas regras dos demais, mas sem limite de dia ou de hora. Estes quids valerão sempre 3 pontos e correrão até que um nickname novo, num IP novo, chegue aos 100% ou se tendo passado mais de 48 horas, ao participante que recolher melhor classificação.

7. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S23 | 5 comentários

Domingos Simões Pereira sobre a livre circulação e a cidadania lusófona na CPLP

Domingos Simões Pereira (http://www.dn.pt/)

Domingos Simões Pereira (http://www.dn.pt/)

Domingos Simões Pereira, o secretário executivo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), afirmou recentemente que apesar dos avanços recentes, ainda há muito a fazer no campo da livre circulação e da cidadania lusófona entre os países da Comunidade. O secretário executivo pronunciou-se sobre este tema na última reunião dos responsáveis pelos serviços de migração da CPLP que teve lugar em Bissau.

Domingos Pereira assumiu algo que vai na alma de muitos cidadãos da CPLP ao admitir que “vai uma grande distância” entre os discursos dos responsáveis dos governos da CPLP e as ações já que nestes 15 anos pouco se avançou no domínio da livre circulacao de pessoas e da cidadania lusófona.

Em países como Moçambique assistiu-se recentemente a um grande aumento do preço dos vistos, com graves efeitos na comunidade local de origem portuguesa e angolana e a Guiné-Bissau também ainda não ratificou o acordo de supressão de vistos em certas categorias de passaportes.

Atualmente os fluxos migratórios entre países da CPLP convergem sobretudo para Portugal e Angola, havendo cerca de um milhão de lusofalantes vivendo em países da CPLP e provenientes de outras nações. No geral, admitiu o secretário-executivo, não se registam fenómenos de racismo ou segregação, apesar de certos episódios recentes em Angola, Moçambique e Portugal, havendo um bom acolhimento.

Decisões recentes no âmbito da SADC, entidade multinacional que agrupa os países do sul de África, levaram à adoção da livre circulação de pessoas e bens. Na CPLP, contudo, ainda não se fez nada de tão decisivo ou ousado… Em países como Portugal e Angola continua a haver um receio (infundado) de que a livre circulação de pessoas leve a uma “invasão” migratória e em Portugal, a União Europeia assume-se como um obstáculo adicional… Os outros países da CPLP (tradicionalmente emissores de migrantes) não avançam porque a livre circulação deve ser lançada no seio da CPLP.

Para desbloquear a livre circulação de pessoas entre os países da CPLP, há assim apenas uma forma: avançar com acordos bilaterais, negociados no âmbito da CPLP e usando textos comuns, que preparem gradualmente uma verdadeira e plena “livre circulação”, uma vez vencidos os naturais complexos e receios por uma adoção demasiado rápida e radical, possibilitando igualmente o encontro de ferramentas que contabilizem tal conceito com as regras de circulação de migrantes na União Europeia.

Fonte:
http://macua.blogs.com/moambique_para_todos/2011/06/muita-coisa-falta-fazer-para-a-livre-circula%C3%A7%C3%A3o-no-espa%C3%A7o-da-cplp.html

Categories: Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono, Política Internacional, Política Nacional, Portugal | Etiquetas: | 4 comentários

Quids S23: Que tipo de navio era este?

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 21:00 e as 24:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30) ou mais cedo, se possível. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 20 pontos.

6. A qualquer momento, poderão sair “QuidsExtra” de texto ou de imagens, com as mesmas regras dos demais, mas sem limite de dia ou de hora. Estes quids valerão sempre 3 pontos e correrão até que um nickname novo, num IP novo, chegue aos 100% ou se tendo passado mais de 48 horas, ao participante que recolher melhor classificação.

7. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S23 | 4 comentários

Programa de Governo PSD/PP (Passos Coelho/Paulo Portas): Balanço

Doravante, tentarei ir publicando no Quintus as medidas governamentais mais importantes, e classificando-as em função de 6 notações (de -3 a +3).

Comecemos então:

1. Executivo confirma privatizações e fim dos direitos especiais
+1

Atenção ao “fim dos direitos especiais” do Estado sobre as Empresas Públicas ou a privatizar… Espanha usa e abusa do “nacionalismo económico”, Portugal não pode abdicar assim, sem mais, da derradeira defesa dos interesses nacionais que são as Golden Shares (ver caso Vivo)

2. Governo lança Programa de Emergência Social
+2

Precisa-se mais detalhes e sobretudo concretização, mas é um passo no bom sentido.

3. Pensões mínimas actualizadas à inflação
+3

Tem que haver recursos para quem menos ganha e mais precisa.

4. Todas as medidas do Governo terão de ter ‘visto familiar’
+3

De acordo. Vamos ver o impacto prático da medida.

5. Escalões de IRS vão ser reduzidos
-2

Mau. Mais um aumento de impostos, quando o PSD tanto falou de conter a Despesa…

6. Governo quer impor prazo para termo das investigações criminais
+1

Ótimo, desde que se dêem mais recursos às polícias, se não multiplicar-se-ão os “arquivamentos administrativos”, especialmente no complexos casos de corrupção…

7. Hospitais públicos poderão ter gestão privada
-1

Mau… Ver exemplo (mau) do Amadora-Sintra.

8. IMI agravado nos devolutos e despesas de reparação podem ser deduzidas
+3

Excelente. O mercado do arrendamento precisa de ser agilizado. E os preços moderados… Aqui falta ainda algo a fazer (uma tabela?)

9. Independentes com acesso a subsídio de desemprego
+3

Ótimo. Já era tempo… Especialmente com o conhecido abuso dos “recibos verdes” por parte das empresas e do Estado.

10. Código do Trabalho será revisto e feriados e pontes alteradas
+1

Pontes: ok… Código Laboral… Mau… Vamos ver quanto.

11. Concessão dos transportes da Carris e Metro será avaliada
-2

Cuidado! Ter em atenção exemplo do Reino Unido! Privatizar sem regular bem tem riscos sérios para a vida e segurança dos portugueses!

12. Cidadãos passam a poder escolher centros de saúde?
+2

Os melhores tenderão a ser mais procurados… E os piores terão que melhorar.

13. Apoio ao cinema ligado às bilheteiras e revisão das entradas gratuitas nos museus
+2

Ok… Com reticências, mas também não creio que um filme que tem na assistência menos pessoas que o fizeram deva ser subsidiado.

14. Parte do salário do trabalhador coberta por subsídio de desemprego
+1

Cuidado aos abusos… Não quero os meus impostos a pagar salários em empresas privadas. Mas é uma boa ideia, se bem fiscalizada e pode salvar milhares de empregos por ano.

15. Nova legislação para combate à pirataria no prazo máximo de um ano
-2

Para servir que interesses?… Lobbies em marcha… Fiscalizar e punir como? Cuidado!

16. Gestores públicos com salários tabelados e por objectivos
+3

Muito bem! Só peca pela tardeza!

17. Programa confirma reforço de poderes do Tribunal de Contas
+3

Especialmente com Guilherme de Oliveira Martins à frente do TC. Muito bem.

18. Despejos fora dos tribunais e novo mecanismo de actualização de rendas
+3

De novo, agilizar o arrendamento. Ok.

19. Subsídio de desemprego com majoração para casais desempregados
+3

Um drama crescente que não merecera ainda qualquer atenção! muito bem!

20. Exames para candidatos a professores
+3

E tendo em conta tantos maus professores e o dano que fazem na nossa juventude, muito bem!

21. Ensino do português no estrangeiro é prioridade política
+3

Excelente! Vamos ver a parte prática…

Em suma:

33 pontos em 63 possíveis… 52.14%

Não está mal… Mas podia (devia) ser melhor…


Sim… Os melhores tenderão a vir acima, assim como os mais convenientes e menos lotados.

Categories: Política Nacional, Portugal | 15 comentários

Quids S23: Que batalha naval foi esta?

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 21:00 e as 24:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30) ou mais cedo, se possível. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 20 pontos.

6. A qualquer momento, poderão sair “QuidsExtra” de texto ou de imagens, com as mesmas regras dos demais, mas sem limite de dia ou de hora. Estes quids valerão sempre 3 pontos e correrão até que um nickname novo, num IP novo, chegue aos 100% ou se tendo passado mais de 48 horas, ao participante que recolher melhor classificação.

7. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S23 | 6 comentários

Roubini: Salvar a Grécia é uma “Missão Impossível”

O economista Nouriel Roubini (que em 2005 foi o primeiro a prever o estouro da bolha imobiliária de 2008) alertou que salvar a Grécia é uma “missão impossível”. O clarividente economista avisou que Espanha é um outro caso de idêntica gravidade, mas cuja queda terá um impacto muito maior na economia mundial, já que Espanha é “demasiado grande para cair, mas também demasiado grande para ser salva”. Este aviso reforça o do comissário europeu da Concorrência, Joaquín Almunia, que avisou Espanha para o fim do acesso aos mercados (e consequente bancarrota ou ajuda internacional) caso o país não consiga cumprir as suas metas orçamentais.

Roubini revelou que a única forma de colocar de novo a economia espanhola a crescer é descer os preços do imobiliário, pelo menos 25% e encetar rapidamente um processo de redução da dívida externa. O economista acrescentou ainda que “É um erro socializar as perdas do sistema financeiro. As dívidas deveriam converter-se em ações” o que significa que cada euro injetado pelos Estados nos Bancos deveria sê-los em troca de ações ou controlo de gestão, algo que não aconteceu nem na Europa, nem nos EUA, durante os resgates estatais a vários Bancos.

O economista alertou ainda para aquela que considera ser atualmente a maior ameaça à economia mundial: a crescente dívida externa dos EUA. Sem que os EUA comecem a pagar esta dívida, cortando com a doentia dependência das importações chinesas e asiáticas não restará aos EUA outra via uma bancarrota que terá consequências inimagináveis para o globo.

Há que renegociar as dívidas externas dos Estados – mantendo a solvabilidade dos Bancos e sacrificando os lucros dos especuladores, reestruturar as dívidas públicas e privadas, restaurando assim as economias dos países globalmente afetados por esta catástrofe antes que ela tenha efeitos duradouros e terminais sobre a economia mundial. Sacrificando os credores, em prol dos devedores e dos Estados, se necessário.

Fonte:
http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia/roubini-espanha-grecia-crise-mercados-agencia-financeira/1260323-1730.html

Categories: Economia, Política Internacional | Etiquetas: | 9 comentários

Quids S23: Que tipo de engenhos eram testados nestas instalações (supostamente)?

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 21:00 e as 24:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30) ou mais cedo, se possível. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 20 pontos.

6. A qualquer momento, poderão sair “QuidsExtra” de texto ou de imagens, com as mesmas regras dos demais, mas sem limite de dia ou de hora. Estes quids valerão sempre 3 pontos e correrão até que um nickname novo, num IP novo, chegue aos 100% ou se tendo passado mais de 48 horas, ao participante que recolher melhor classificação.

7. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S23 | 12 comentários

Será que os discos voadores de Roswell eram de facto… armas secretas alemãs utilizadas por soviéticos?

Disco de Roswell (http://i437.photobucket.com)

Representação de Disco de Roswell... (http://i437.photobucket.com)

Todos conhecemos o “Mistério de Roswell”. Eu próprio já o abordei várias vezes, aqui no Quintus: http://movv.org/?s=Roswell e de facto, continua a ser o acontecimento OVNI mais intrigante da História… Ora surgiu a propósito de Roswell uma nova teoria que é – no mínimo – muito interessante e que gostaria de partilhar convosco: Os discos voadores de Roswell seriam… tecnologia nazi, utilizada pelos soviéticos.

Segundo esta teoria, em julho de 1947 os radares norte-americanos teriam localizado dois objetos deslocando-se a alta velocidade através do sul dos EUA. Os dois objetos moviam-se como um avião normal, mas mais rápido e parando no ar, subitamente, recomeçando depois o seu voo. Na época, nenhum aparelho voador era capaz de tal desempenho, pelo que foi ordenado ao experiente piloto Kenny Chandler que descolasse do seu aeródromo da Base Aérea de Kirtland procurando intercetar estes dois objetos. O piloto nunca chegou a observar visualmente os dois veículos voadores, mas pouco tempo depois um dos objetos iria despenhar-se no solo, perto de Roswell, no Novo México. Imediatamente, ao ver este acontecimento nos monitores de radar o “Joint Chiefs of Staff” assumiu o comando das operações de resgate e enviou uma equipa ao local que recuperou a estrutura da aeronave, assim como partes do seu sistema de propulsão e a energia que o propulsava. O veículo não tenha cauda nem asas, era completamente redondo, mas tinha uma cúpula montada no topo. Estes detalhes surgem num memorando militar desclassificado em 1994 e descrevem aquilo a que hoje poderíamos chamar de “disco voador”. Mais intrigante era ainda o facto existir num anel em torno do corpo redondo do disco uma fila muito longa de carateres cirílicos, o alfabeto usado na então União Soviética (hoje Federação Russa).

A conclusão era óbvia: os soviéticos dominavam uma tecnologia aeronáutica muito superior à dos EUA. Pouco depois, o “Joint Chiefs of Staff” recebeu informações sobre um segundo disco voador caído no solo. De urgência, os cientistas alemães Wernher Von Braun e Ernst Steinhoff, recuperados dos destroços da Alemanha nazi e trazidos para os EUA foram chamados e o mesmo aconteceu com outros alemães especializados em medicina aeronáutica.

Começou então a chamada “Operação Harass” dedicada a estudar a tecnologia recolhida nestes dois acidentes, sob a direção de um grupo militar de inteligência, o G-2. Algum tempo depois as conclusões preliminares foram conhecidas: os dois engenhos voadores tinham sido construídos pelo Homem e derivavam diretamente do trabalho de dois geniais engenheiros aeronáuticos alemães: os irmãos Walter e Reimar Horten… os conhecidos construtores de uma série de asas voadoras a propulsão hélice ou a reação.

Não há muitos elementos a reforçar esta teoria… Até certo ponto é plausível: os alemães trabalham de facto em vários projetos de engenhos voadores em forma de disco (como o V-7 e o V-8) e por aqui, no Quintus, já os abordámos com alguma extensão. Não é assim possível que os soviéticos tenham colocado as mãos em alguns protótipos ou planos destes engenhos. Já é mais difícil que os fossem experimentar em território dos EUA, quando tinham um país tão vasto para os experimentar em completa confidencialidade. Não há também qualquer indício de que os irmãos Horten tivessem trabalhado em discos voadores, já que todo o seu trabalho se concentrou efetivamente na concepção e fabricação de asas voadoras. A alusão ao seu nome poderia advir do conhecimento de que os cientistas alemães do projeto Paperclip tinham de forma imprecisa do seu trabalho especulando e dizendo aos seus novos amigos americanos que os estranhos objetos eram fruto do trabalho dos irmãos Horten. Tudo isto pode ser assim apenas um equívoco… mas ficam por explicar os carateres cirílicos (a menos que fossem também eles um erro de reconhecimento) e a própria presença destes engenhos, naturalmente, o maior e grande Mistério de Roswell…

Fonte:
http://gizmodo.com/5807380/were-roswells-aliens-nazi+powered-soviet-spies

Categories: OVNIs | 9 comentários

Fernando Ilharco: “estamos a viver na pós-democracia, e por isso as pessoas se desinteressam cada vez mais por votarem, ou preferem fazê-lo em branco ou nulo”

Fernando Ilharco (http://www.cecc.com.pt)

Fernando Ilharco (http://www.cecc.com.pt)

“Fernando Ilharco, professor da Universidade Católica, parece ter posto o dedo na ferida numa conferência: estamos a viver na pós-democracia, e por isso as pessoas se desinteressam cada vez mais por votarem, ou preferem fazê-lo em branco ou nulo. E explica esta pós-democracia com o facto de o voto cada vez menos poder dar lugar a verdadeiras alternativas políticas, pelo poder e influência dos grandes grupos económicos, multinacionais, como Bruxelas ou o FMI.”
Pedro d’Anunciação
Sol 8 de abril de 2011

Ora bem: Eis muito bem e sumariamente explicado porque é que os Partidos não param de perder militantes ativos e realmente dedicados e ganham apenas boys e boyas. Eis porque a abstenção sobre sem parar, eleição após eleição, e porque é que na Partidocracia ninguém faz realmente nada para resolver este problema (aparentemente terminal para a democracia) da separação entre cidadãos e a políticos: porque resolvê-lo era colocar em causa a regência do Santo Rotativismo que assegura que os mesmos Interesses de sempre mantêm um controlo exato e apertado sobre a Democracia e os Povos permanecem dóceis e amestrados como eles os querem manter.

As pessoas não se desinteressam da Política porque são burras (como sugerem os Partidocratas) ou porque acham que a Política é para os Políticos (primeiro requisito para a instauração de uma Ditadura). As pessoas, os eleitores, sabem que Votam em testas-de-ferro do “comando europeu”, em meros obedecedores dos comandos de Bruxelas, que mudam rotativamente de voz ou de rosto, mas onde todos percorrem sempre uma via de obediência ao diretório europeu que é cada vez mais estreita. E desinteressam-se. Com razão!

Mas o que sucede às sociedades onde os mecanismos de expressão democrática se esgotam e deixam de funcionar e onde (sobretudo) o nível de vida sofre uma erosão constante? Revolta!

Categories: Política Nacional, Portugal | 3 comentários

Quatro veículos espaciais dos EUA (MPCV, Dragon, SpaceShipTwo e X-37)

Multi-Purpose Crew Vehicle (MPCV): Desenhado para enviar astronautas para a ISS e para expedições para a Lua e mais além (asteróides e Marte). O MPCV foi desenhado para ser muito mais seguro que o Space Shuttle sendo inclusivamente capaz de se ejetar do foguetão lançador através de um sistema de emergência, algo que nunca esteve ao alcance dos astronautas do Shuttle (embora estivesse nos planos iniciais a ejeção da cabine). Existem planos para lançar um ou vários MPCV para Marte em 2030, mas não é claro ainda se serão cumpridos.

A SpaceX conseguiu recentemente uma notável série de feitos bem sucedidos e o seu fundador já anunciou planos para uma missão circum-marciana com a sua cápsula Dragon entre 2020 e 2030.

A Virgin Galactic, empresa que brevemente estará a enviar seis turistas de cada vez para voos suborbitais no seu SpaceShipTwo não anunciou planos para ir mais além, Lua ou Marte, mas dependendo do sucesso comercial dos seus projetos suborbitais, poderá brevemente avançar também nessa frente.

O X-37 transporta apenas um passageiro, sendo essencialmente um VTHL (vertical-takeoff horizontal-landing) desenvolvido pela Boeing a partir de 1999 e financiado através de fundos militares, o X-37 foi concebido como um veículo espacial militar desde o princípio. O primeiro voo do veículo teve lugar em 2010 e um segundo em abril de 2011. Pouco se sabe do veículo, além de que é capaz de transportar pequenos satélites ou equipamento de vigilância e de que é capaz de alterar a sua órbita (tendo, portanto, um sistema de propulsão autónomo)

Fonte:
http://blog.koldcast.tv/2011/koldcast-news/private-spaceships-whos-building-them-where-theyre-going/

Categories: SpaceNewsPt | 2 comentários

O “Projeto Icarus”: Uma sonda interestelar para Alfa de Centauro

Sonda interestelar "Icarus" (http://www.centauri-dreams.org)

Sonda interestelar "Icarus" (http://www.centauri-dreams.org)

Espantosamente, uma das ideias mais promissoras para o futuro da humanidade poderá ser… minerar o planeta Urano.

Com efeito, Urano é rico em Helio-3, o combustível que se acredita ser o futuro da fusão nuclear e da propulsão interestelar e a fonte do combustível para o ambicioso “Projeto Icarus” que pretende lançar uma sonda não tripulada para a estrela Alfa de Centauro.

O “Projeto Icarus” é liderado pela “Tau Zero Foundation” e pela “British Interplanetary Society”, que tem como objetivo construir esta sonda em apenas cinco anos.

Um dos objetivos do projeto e a cargo de Adam Crowl, o responsável pelos sistemas de combustível e “aquisição de combustível” é obter Helio-3 no espaço interestelar.

O “Projeto Icarus” usará como combustível uma combinação de deutério-tritio, cuja combinação irá gerar neutrões de alta energia que impulsionarão a sonda a altas velocidades Espaço fora.

O Helio-3 tem menos um neutrão que o Helio normal, mas é muito mais raro do que este o que coloca um problema aos diretores do projeto já que na Terra este gás é extremamente raro. Uma solução poderia passar pela mineração massiva do regolito lutar (onde o Helio-3 se acumula desde há milhões de anos), mas este seria um processo lento e ineficiente. Existe contudo uma alternativa: Urano.

Os planetas gigantes do Sistema Solar têm grandes quantidades de Helio-3 e na década de 70 os teóricos por detrás do “Projeto Daedalus” pensavam minerar este gigante gasoso recolhendo nele o Helio-3 de que precisavam para o seu projeto. A ideia foi agora recuperada para o “Projeto Icarus”.

Aproveitando a baixa gravidade da superfície de Urano e o facto de ter a mais baixa velocidade de fuga orbital de todos os planetas gigantes a sonda pode aproximar-se do plante recolhendo Helio-3 e armazenando-o para a viagem interestelar.

Para chegar a Urano, a “Icarus” terá que recorrer a propulsão nuclear de fissão, uma tecnologia estudada desde a década de 70 na Terra, mas logo que os seus reservatórios estiverem cheios… As estrelas serão o destino!

Fonte:
http://news.discovery.com/space/project-icarus-helium-3-mining-uranus-110531.html

Categories: SpaceNewsPt | 2 comentários

Quids S23: Que batalha foi esta?

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 21:00 e as 24:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30) ou mais cedo, se possível. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 20 pontos.

6. A qualquer momento, poderão sair “QuidsExtra” de texto ou de imagens, com as mesmas regras dos demais, mas sem limite de dia ou de hora. Estes quids valerão sempre 3 pontos e correrão até que um nickname novo, num IP novo, chegue aos 100% ou se tendo passado mais de 48 horas, ao participante que recolher melhor classificação.

7. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S23 | 2 comentários

A NASA vai lançar em 2016 a missão OSIRIS-Rex para estudar o perigoso asteroide 1999 RQ36

A NASA identificou um asteroide de 7 metros de comprimento, designado de 2009 BD, que em julho vai passar muito perto da Terra, a uma distancia inferior aquela que separa a Terra da Lua. Nas passagens seguintes, o 2009 BD vai aproximar-se mais e mais do nosso planeta até acabar por colidir com ele, sem grandes consequências porque devido ao seu relativo pequeno tamanho o asteroide vai acabar por se desintegrar na atmosfera.

O problema é que andam por aí asteroides muito maiores e imensamente mais perigosos… Foi por causa destes que a NASA decidiu lançar em 2016 a missão OSIRIS-Rex com o objetivo de recolher amostras do asteroide 1999 RQ36 e de trazê-las para Terra por forma a que estas possam ser estudadas já que (além de ser um asteroide cientificamente muito interessante) existe uma possibilidade em mil de que este asteroide de 579 metros colida com a Terra em 2182… desta feita com graves consequências, já que a queda de um objeto espacial destas dimensões poderia destruir por completo a camada de ozono com o impacto para as colheitas que se espera elevado.

Compreender a natureza dos materiais do 1999 RQ36 é crucial para estudar formas de o fragmentar ou desviar antes deste provável e cataclísmico impacto.

Fonte:
http://www.foxnews.com/scitech/2011/06/03/truck-sized-asteroid-has-close-encounter-with-earth/#ixzz1OI7d1rjA

Categories: Ciência e Tecnologia, SpaceNewsPt | Deixe um comentário

Quids S23: Quem é esta mulher?

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 21:00 e as 24:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30) ou mais cedo, se possível. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 20 pontos.

6. A qualquer momento, poderão sair “QuidsExtra” de texto ou de imagens, com as mesmas regras dos demais, mas sem limite de dia ou de hora. Estes quids valerão sempre 3 pontos e correrão até que um nickname novo, num IP novo, chegue aos 100% ou se tendo passado mais de 48 horas, ao participante que recolher melhor classificação.

7. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S23 | 3 comentários

O relatório da “Global Commission on Drug Policy” e liberalização do consumo e comercialização de Drogas

É por demais evidente que a longa, tortuosa, custosa e trágica “guerra contra o narco-tráfico” foi perdida. Perante tal constatação, os Governos de todo o mundo deviam começar a trabalhar na legalização das drogas leves. Essa é a minha convicção pessoal e a de uma comissão que produziu a mesma conclusão e que inclui vários antigos chefes de Estado e o antigo secretário-geral da ONU, Kofi Anan, entre varias outras personalidades.

A “Global Commission on Drug Policy” menciona os terríveis efeitos na criminalidade e nas sociedades do comércio clandestino de drogas e o facto de nunca num país este combate ter sido vencido, havendo apenas interregnos seguidos de transferências de sedes do narcotráfico, como sucede atualmente entre a Colômbia e o Peru.

Segundo o texto do relatório que sumariza as suas conclusões: “os líderes políticos e as figuras públicas devem agir corajosamente por forma a articular publicamente o que muitos afirmam em privado: que as provas demonstram de forma esmagadora que as estratégias repressivas não vão resolver o problema das drogas, e que a guerra contra as drogas não foi vencida e nao pode, nunca, ser vencida”.

Se a nível global – e teria que ser assim – vários ou pelo menos vários países limítrofes acordassem entre si na liberalização total do consumo e venda de drogas, o incrivelmente rico e poderoso submundo do narcotráfico seria destruído de uma só assentada e seria forçado a transferir os gigantescos capitais de que dispõe (muitas máfias da droga têm mais recursos do que os seus próprios governos) para a economia real. A legalização do comércio e do consumo faria com que de um dia para o outro, os preços e os lucros do narcotráfico se eclipsassem e taxando-os, os Estados recuperariam os recursos que depois poderiam investir em redes de recuperação de tóxico-dependentes e em campanhas informativas divulgando os malefícios do consumo de drogas.

A legalização radical do comércio e consumo de drogas não resolveria o problema do consumo, de certo. Mas esse problema (o verdadeiro, aqui) não se resolve pela repressão policial, mas criando sociedades mais justas e que abram mais oportunidades aos jovens para expressarem as suas capacidades… O fim da repressão não curaria milagrosamente nenhum tóxico-dependente, mas tira-lo-ía do mundo do crime (pela drástica queda dos preços das drogas) e daria aos Estados recursos (libertados da guerra contra a droga e da redução da criminalidade) para procurar curar muito mais pessoas das dependências. Baixaria também para níveis inéditos na História os níveis de criminalidade, já que se sabe que mais de 60% de toda a criminalidade radica precisamente no narco-tráfico ou em atividades ou necessidades a ele ligadas. Razões bastantes, para apoiar esta recomendação do “Global Commission on Drug Policy”.

Fonte:
http://www.msnbc.msn.com/id/43248071/ns/us_news-crime_and_courts/

Categories: Política Internacional, Política Nacional, Portugal, Saúde, Sociedade, Sociedade Portuguesa | 4 comentários

Quids S23: Que projeto é este?

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 21:00 e as 24:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30) ou mais cedo, se possível. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 20 pontos.

6. A qualquer momento, poderão sair “QuidsExtra” de texto ou de imagens, com as mesmas regras dos demais, mas sem limite de dia ou de hora. Estes quids valerão sempre 3 pontos e correrão até que um nickname novo, num IP novo, chegue aos 100% ou se tendo passado mais de 48 horas, ao participante que recolher melhor classificação.

7. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S23 | 2 comentários

Sobre o estado tecnológico das forças armadas chinesas

Nos últimos anos têm-se multiplicado as noticias que dão conta do reforço de meios por parte das forças armadas chinesas. Tal multiplicação de meios e sobretudo o reforço do investimento em tecnologia indica que a China está cada vez mais próxima da capacidade militar das nações ocidentais.

Mas os peritos militares ocidentais são unânimes a dizer que apesar de todos os esforços dos últimos anos a tecnologia militar chinesa ainda tem um atraso de pelo menos vinte anos em relação ao Ocidente. Isto mesmo foi reconhecido por altas patentes militares chinesas que reconheceram que apesar de todos os programas de modernização dos últimos anos, a “maioria do equipamento militar chinês é de segunda geração”. Por exemplo, a grande maioria do seu exército ainda não é sequer motorizado, quando mais mecanizado, como sucede com os exércitos ocidentais.

Outro exemplo, é a Marinha: o seu principal navio é um antigo porta-aviões soviético modernizado e o muito badalado “caça furtivo” será de facto um produto de espionagem industrial sobre o F-117A (um aparelho com mais de 30 anos e já abandonado pela USAF).

Se o progresso económico da China persistir durante mais umas décadas e se conseguir manter níveis mínimos de estabilidade social e política, ao ritmo atual a que está a tentar adquirir tecnologia de ponta ocidental poderá recuperar este atraso muito rapidamente, talvez em menos de dez anos, especialmente se o ocidente continuar disposto a trocar a sua vantagem tecnológica por dinheiro chinês, compensando assim os gigantescos défices comerciais que favorecem Pequim mas ao custo de assim sacrificar a derradeira vantagem que lhe resta: o know-how tecnológico… É claro que quando até essa desvantagem se for é que começarão os verdadeiros problemas…

Fonte:
http://defensetech.org/2011/06/08/chinas-military-tech-20-years-behind-u-s/#ixzz1OhO3U7LJ
Defense.org

Categories: Uncategorized | 11 comentários

Quids S23: Que proposta de casamento é esta?

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 21:00 e as 24:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30) ou mais cedo, se possível. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 20 pontos.

6. A qualquer momento, poderão sair “QuidsExtra” de texto ou de imagens, com as mesmas regras dos demais, mas sem limite de dia ou de hora. Estes quids valerão sempre 3 pontos e correrão até que um nickname novo, num IP novo, chegue aos 100% ou se tendo passado mais de 48 horas, ao participante que recolher melhor classificação.

7. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S23 | 7 comentários

Sobre a possibilidade de existência de vida nos asteróides do Sistema Solar

As "células" da Chuva Vermelha de Kerala (http://www.thelivingmoon.com)

As "células" da Chuva Vermelha de Kerala (http://www.thelivingmoon.com)

Já abordámos antes no Quintus a fascinante temática da vida trazida para a Terra dentro de meteoritos (nomeadamente a propósito da misteriosa “chuva vermelha de Kerala”). A possibilidade da existência de células vivas ou em estado de vida latente no interior de meteoritos recebeu agora mais uma força com a publicação dos resultados das análises a um meteorito que em janeiro de 2000 explodiu no ar, no Canadá. A explosão foi observada por muitas testemunhas e vários fragmentos foram assim entregues na Universidade de Alberta. Dada as condições do lago gelado onde caiu, estes fragmentos têm pouca contaminação biológica.

A análise dos fragmentos concluiu pela presença de carbono, em grandes quantidades (o que não é propriamente uma novidade) mas localizaram também amino-ácidos, os blocos construtores da vida, o que também não aconteceu pela primeira vez num meteorito, mas desta vez numa variedade e quantidades completamente inéditas, entre dez a cem vezes mais do que qualquer outro meteorito.

Esperemos agora – pacientemente – pelas amostras meteóricas que a missão OSIRIS-REx da NASA trará para a Terra.

Fonte:
http://www.spacedaily.com/reports/Asteroid_Served_Up_Custom_Orders_of_Life_Ingredients_999.html

Categories: Ciência e Tecnologia, SpaceNewsPt | 1 Comentário

Quids S23: Quem tirou esta fotografia?

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 21:00 e as 24:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30) ou mais cedo, se possível. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 20 pontos.

6. A qualquer momento, poderão sair “QuidsExtra” de texto ou de imagens, com as mesmas regras dos demais, mas sem limite de dia ou de hora. Estes quids valerão sempre 3 pontos e correrão até que um nickname novo, num IP novo, chegue aos 100% ou se tendo passado mais de 48 horas, ao participante que recolher melhor classificação.

7. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S23 | 3 comentários

Sobre o estado atual do exército da África do Sul

MBT Olifant Mk2 (http://sa-transport.co.za)

MBT Olifant Mk2 (http://sa-transport.co.za)

A modernização das componentes aéreas e naval do exército sul africano durante a década de 1990 e 2000 foi muito ambiciosa, incluindo novas fragatas, submarinos e caças Gripen. Nestes programas, o grande ausente era o Exército. Isto acentuou a grave crise da indústria de defesa sul-africana, um fenómeno pela corrupção que grassa em todos os níveis do governo e pelos cortes orçamentais.

As restrições orçamentais estão a reduzir a mínimos absolutos o número de horas de voo na força aérea e as saídas para o mar da marinha. A grande carestia de quadros técnicos para estas armas que empregam meios tecnologicamente mais sofisticados estão também a reduzir a níveis inéditos a capacidade das forças armadas da nação que ainda é o maior e melhor exercito a sul do Sara.

No Exército, as duas maiores fragilidades encontram-se nas forças blindadas em que restam apenas 34 MBTs Olifant Mk2 e na artilharia (onde era excelsa até à pouco) somente restam um batalhão ativo com 43 G-6 autopropulsionados de 155 mm.

Fonte:
Défense & Sécurité internationale
junho 2011

Categories: DefenseNewsPt | Etiquetas: | 2 comentários

Sobre os SSN britânicos da classe “Astute”

Os submarinos nucleares de ataque da nova classe Astute são maiores que a classe Trafalgar precedente algo que resulta em grande medida das maiores dimensões do reator nuclear do navio, um Rolls-Royce PWR2 desenvolvido para os submarinos balísticos da Royal Navy. Os Astute têm praticamente o dobro de armas que a Trafalgar, contando com 38 torpedos e mísseis de cruzeiro Tomahawk Block IV, mas nenhum Harpoon, o que reduz a sua capacidade anti-navio de forma muito significativa. O navio tem, contudo, uma capacidade para operações especiais graças a um “dry dock shelter”.

O primeiro navio, o Ambush, entrou ao serviço em 2010 depois de um grande atraso (a sua construção começou em 2001 e o orçamento foi excedido em 57%) e a segunda deverá estar pronta até 2012. Os planos preveem seis unidades, com uma sétima em opção.

Os atrasos na construção, o ultrapassar de orçamentos, a entrega da gestão do programa a uma empresa norte-americana e as dificuldades mecânicas recentes com o primeiro Astute conjugados com a escassez do seu número representam uma significativa perda de capacidade pelo menos até 2022, data em que o último navio deverá entrar em serviço.

Fonte Principal:
Défense & Sécurité internationale
junho 2011

Categories: DefenseNewsPt | Deixe um comentário

O Governo Passos-Portas: Primeiras Impressoes

Agora que temos Governo, gostaria de partilhar convosco algumas primeiras impressões… Desde logo, positivas e isto embora esteja altamente suspeitoso da agenda neoliberal e de todo o servilismo para com os interesses dos credores da nossa impagável divida e dos seus fieis agentes, o BCE, o FEEF e o FMI.

1. Rapidez

Este é o governo formado mais rapidamente desde o 25 de abril. Numa fase de grande emergencia nacional, tal celeridade não pode deixar de transparecer um sentido de urgência (necessário) e que foi respeitado com grande cuidado e rigor. Nota positiva.

2. Discrição

Num pais onde tudo (ou quase tudo) se acaba sempre por saber, alimentando os escaparates dos jornais e à custa de pagamentos nem sempre legais aos múltiplos informadores dos meios de comunicação, ter chegado à véspera e saber-se apenas antecipadamente o nome do futuro MNE é sem duvida um feito inédito. Mais uma nota positiva.

3. Nomes

Esta é que é a questão verdadeiramente importante. A perspetiva geral é de que se trata de um governo composto de técnicos, jovens, politicamente inexperientes mais tecnicamente muito qualificados. Não vou aqui enunciar nomes nem currículo (haverá muito tempo para o fazer nos próximos meses)Mas destaco a Saúde, onde um gestor de meritos comprovados tem a cargo a espinhosa missão de enfrentar o mais poderoso lobby do país e de reduzir custos, da educação, que enfrenta uma missão tao ou ainda mais espinhosa (pela resistência acerrima que a classe dos professores fez ao modelo de avaliação) e às Finanças, o ministério mais crucial nos anos que se seguem.
Os Lobbies e as Corporações estão atentos e com eles, o Funcionalismo tudo fará para manter o Status Quo sendo a sua tarefa facilitada pela inexperiência do elenco, certamente…
Mas aquilo que mais reservas me deixa não é o elenco: é a estratégia: o servilismo em relação à Europa é total. A presença no Euro, o pagamento de uma divida externa de natureza duvidosa um dogma e não há energia nem vontade para vencer uma tercializacao da economia que nos levou a este ponto. Nota neutra, neste ponto… Vamos ver se no curto prazo conseguem pagar as dividas mais prementes e dentro de meses começar a devida e indispensável reestruturação deixando um plano para sair do Euro nos próximos anos, regressando assim à soberania económica, monetária e agrícola de que tanto precisamos.

4. Tamanho

A diminuição do executivo representa desde logo uma poupança de 1.3 milhões de euros por ano. Trata-se de um bom sinal e um bom exemplo a propagar para o resto da sociedade e do funcionalismo publico. Dir-se-á que isso representa também um risco para a eficácia do governo, mas tal pode ser compensado com a qualidade e as assessorias dos ministérios.

5. Em Suma

No global, e como durante o primeiro governo Sócrates estou esperançoso de que este governo seja melhor que o anterior. Estou céptico porque nenhum governo do bi-partido mostrou ate hoje força e vontade para quebrar os numerosos bloqueios que travam desde há décadas o nosso desenvolvimento.
Suspeito muito do lema da “redução do Estado” em setores (sobretudo) como a Saúde e vendo de perto o exemplo dos EUA a este respeito e o da privatização dos British Railways… Mas tenho fé que pelo menos sejam menos ineptos que os últimos governos Sócrates. A ver vamos.

Categories: Política Nacional, Portugal | 9 comentários

Assinatura de Protocolo Pró-AGLP/MIL e Debate MIL: Cooperação Lusófona no Ensino de 18 de junho de 2001


Intervenção de Maria Dovigo na assinatura do protocolo Pró-AGLP / MIL


Debate MIL: Cooperação Lusófona no Ensino – parte 1


Debate MIL: Cooperação Lusófona no Ensino – parte 2

Professora Maria de Deus Manso da Universidade de Évora e do Conselho Consultivo do MIL, Professora Sandra Oliveira do ISCTE e Mário Constantino, da CPLP e Renato Epifânio, Presidente do MIL, no Debate MIL: Cooperação Lusófona no Ensino de 18 de junho de 2011

Categories: Educação, Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono, Política Internacional, Portugal | Etiquetas: | 3 comentários

Porque não houve ainda Regulação financeira?

A crise de 2008 e a sua atual descendente “crise das dívidas soberanas” têm como primeira causa a fúria desregulatória dos últimos 25 anos. Seria assim razoável esperar que os governos tivessem retomado um caminho de regulação dos mercados financeiros. Isso não aconteceu. Para além de tímidas e cosméticas “reformas” nos EUA do pífio Obama, nada de significativo se fez.

Nenhuma grande ou pequena instituição financeira ou Banco foi judicialmente processado em nenhum país do mundo e, sobretudo, nenhum dos gestores que afundaram com os seus desmandos a economia mundial e centenas de milhões de famílias teve que devolver um só cêntimo dos grandes bónus que receberam nas últimas décadas. Pelo contrário, muitos destes banqueiros acabaram a trabalhar para os governos britânico e norte-americano, quer no próprio governo, quer como “conselheiros”, o que lhes permitiu bloquear qualquer impulso regulatório e continuarem a defender os seus interesses e dos seus comparsas.

As populações, contudo, parecem aceitar bovinamente esta situação. Por todo o mundo – com ou sem FMI/FEEF – fazem-se cortes na despesa pública, Saúde e Educação, fundamentalmente, mas a Banca e os banqueiros continuam imunes a todos estes sacrifícios. As populações rebelam-se mais facilmente contra estes cortes na Saúde e Educação do que contra os continuados e escandalosos privilégios dos Bancos. Sem esta justiça, sem a necessária reforma regulatória, abrem-se as portas para uma nova crise financeira mundial, a partir dos ecos longínquos da de 2008 e da mais próxima “crise da dívida soberana” (refúgio dos investidores de 2008).

Não há dúvidas que nova recessão mundial levará a uma grave crise social mundial. E é improvável que esta onda não toque aqueles que estiveram no epicentro de todas as crises económicas das últimas décadas: os banqueiros e os especuladores. Uma vez que os políticos não quiseram (ou não puderam) corrigir as disfunções desregulatórias no sistema financeiro, esses desequilíbrios vão acumular-se num descontentamento popular que criará as revoltas que antecipamos.

Fonte:
http://www.guardian.co.uk/commentisfree/2011/may/30/outrage-banks-riots-streets-muddled

Categories: Economia | 2 comentários

Sobre a compra conjunta de aeronaves militares nos Balcãs e a proposta para uma “central de compras lusófona”

A Bulgária anunciou que iria promover junto dos países da região uma iniciativa para a aquisição conjunta para a compra de aviões de combate naquilo a que o primeiro-ministro búlgaro Boyko Borisov chamou de “Joint purchase of fighter aircraft” convidando a Croácia, a Roménia e a Turquia.

A escolha destes parceiros seguiu o critério de que todos eles (com excepção da Turquia) estão em processo de seleção e aquisição de novos aparelhos de combate para reequipar forças aéreas obsoletas da era soviética: MiG-29 ou – pior ainda – MiG-21. Estes países irão muito provavelmente optar pelo norte-americano F-16, pelo preço e pela influência política que os EUA detêm hoje na região.

Esta aquisição conjunta irá permitir reduzir de uma forma muito significativa os custos de aquisição e manutenção dos aparelhos, de treinamento de pilotos devido às economias de escala que vai permitir.

Este novo conceito pode ser facilmente replicado noutros locais recolhendo o mesmo tipo de vantagens. Por exemplo, havendo necessidades militares muito semelhantes entre os países da Lusofonia (por exemplo, novos APCs, novos patrulhas oceânicos ou até a atualização da frota de aviões de combate) faz todo o sentido em que concertem entre si, no quadro multilateral ou da CPLP e consigam assim dos fornecedores externos as condições mais vantajosas para os seus interesses. Esta “central de compras lusófona” poderia também dar prioridade a empresas do espaço lusófono e propiciar assim ao desenvolvimento económico e tecnológico dos países da lusofonia.

Fonte:
http://www.flightglobal.com/articles/2011/06/06/357601/bulgaria-proposes-four-nation-fighter-deal.html

Categories: DefenseNewsPt, Defesa Nacional, Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono, Política Internacional, Política Nacional, Portugal | Etiquetas: | 46 comentários

Terá sido descoberta uma “base alienígena” em Marte ou… será um engano da compressão para JPEG?

A partir da sua própria sala, um norte-americano de nome David Martines alegou ter encontrado na superfície do planeta Marte uma estrutura retangular quando “navegava” no Google Mars.

A anomalia marciana consiste num objeto longo, branco, muito pixelizado e estaria situada nas coordenadas 49’19.73″N 29 33’06.53″W. As dimensões da estrutura seriam de 213 metros de comprimento e 75 metros de largura e aparentaria ser construída a partir de uma série de cilindros ligados entre si.

Os peritos que analisaram as imagens concluíram que a fonte seria um erro comum na captação da imagem e provocado pela interferência de raios cósmicos na câmara, um fenómeno que é registado em diversas observações astronómicas fora da proteção da magnetosfera terrestre.

Quando um raio cósmico atravessa o sensor de imagens de uma câmara numa sonda orbital, a sua carga elétrica transfere-se para pixeis na imagem captada eletronicamente. Se esta passagem ocorre numa linha reta, um grupo de pixeis em linha reta é assim afetado e imagens como esta detetada por David Martines aparecem, especialmente se sobre as imagens origens corre software de compressão que as torna em jpegs, como sucede com o Google Mars.

O Google Mars não identifica a origem da imagem, pelo que é impossível aceder à imagem original (antes da compressão para jpeg feita pela Google) e confirmar a leitura da imagem esclarecendo assim um mistério que… se arrisca a ficar em aberto para sempre.

Não é a primeira vez que se julga reconhecer estruturas construídas em Marte, sendo a “cidade” das planícies de Cydonia o melhor exemplo: uma região litoral a um antigo mar marciano que teria além da famosa (e entretanto desmentida) “face marciana”, um conjunto de gigantescas pirâmides e outras construções retangulares. A maior parte dos cientistas acredita que estas “ruínas” são produto de erosão e das forças da natureza. Se esta imagem do Google Mars for algo mais que uma pixelização provocada por raios cósmicos pode ser ainda assim (como as “ruínas” de Cydonia) uma formação natural. Mas a certeza depende da Google e de estar colocar no seu Google Maps a origem exata das fotos (data da captura e o nome da sonda que as tirou). Aguardemos então. Sentados.

Fonte:
http://www.lifeslittlemysteries.com/amateur-astronomer-spot-secret-mars-base-bio-station-1754/

Categories: Ciência e Tecnologia, Hoaxes e Mitos Urbanos, OVNIs, SpaceNewsPt | Etiquetas: | 5 comentários

Quids S23: Quem é este desenhador?

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 21:00 e as 24:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30) ou mais cedo, se possível. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 20 pontos.

6. A qualquer momento, poderão sair “QuidsExtra” de texto ou de imagens, com as mesmas regras dos demais, mas sem limite de dia ou de hora. Estes quids valerão sempre 3 pontos e correrão até que um nickname novo, num IP novo, chegue aos 100% ou se tendo passado mais de 48 horas, ao participante que recolher melhor classificação.

7. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S23 | 9 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade