Clara Ferreira Alves: “A faceta religiosa de Pessoa era detestável”

Clara Ferreira Alves (http://www.truca.pt)

Clara Ferreira Alves (www.truca.pt)

“Em época menos recuada, concedeu Clara Ferreira Alves, na qualidade de diretora da Casa Fernando Pessoa, uma entrevista a um jornal diário, na qual declarava que não lhe interessava nada o “lado religioso” de Fernando Pessoa, faceta que a senhora, de resto, considerava “detestável”.
Pedro Martins
Nova Águia 7

Ignorar ou – pior – desprezar o lado religioso ou para-religioso do pensamento pessoano é escolher ignorar a parcela mais importante do pensamento político e filosófico de Fernando Pessoa.

A latitude religiosa e mental do pensamento e da ação humana é essencial para a realização do indivíduo e desprezá-la (como fez Clara Ferreira Alves) é procurar tornar a Pessoa numa máquina biológica, destituída de mais propósitos além dos reprodutivos e alimentares. E o Homem é imensamente mais do que isso… o aspeto religioso do Homem é determinante nas decisões pessoais e comunitárias desde sempre e condicionou e condicionará sempre as grandes decisões. Na Expansão portuguesa, essa pulsão foi determinante (por muito que António Sérgio não acreditasse nela) e ainda que o mundo contemporâneo possa parecer a-religioso ou mesmo anti-religioso não o é de facto, sob a superfície… os valores fundamentais da sociedade seguem sendo de base judaico-cristã, assim como as motivações finais, pessoais e coletivas e o Lucro não é o “deus” último e acabado que se pensou ser, havendo sinais claros que o paradigma económico está a começar a dar sinais de mudança: empresas cooperativas, índices de felicidade, aquecimento global, preocupações ecológicas e de sustentação ambiental começam a penetrar grande parte das atividades humanas e poderão ser dominantes no mundo económico e social que se seguirá a esta grave crise atual…

Categories: Lusofonia, Nova Águia, Política Nacional, Portugal | 3 comentários

Navegação de artigos

3 thoughts on “Clara Ferreira Alves: “A faceta religiosa de Pessoa era detestável”

  1. pedronunesnomundo@gmail.com

    por estas e por outras é que o ‘ateísmo’ há muito que se constituiu na pior das religiões que assolam o Ocidente

    1 – em primeiro lugar, qualquer disputa tida no campo da transcendência… é uma disputa transcendente. logo, qualquer tentativa de desconstrução laborada em função da ‘existência de Deus’ sujeita-se estritamente à afirmação do seu conceito; pelo que contribui para a própria – tão antagonizada – dialética de construção religiosa
    o único verdadeiro ‘ateísmo’ deveria ser o ‘ateísmo pragmático’, chamado também ‘apateísmo’. contrariamente à posição do crer, a posição de ‘transcendência? não sei nada disso. não sei nem me interessa!’
    http://en.wikipedia.org/wiki/Apatheism

    2 – porque, para além da essência dúbia, o próprio ‘ateísmo’ só é válido numa óptica de simplificação de albergue espanhol para uma gigantesca mescla de sensibilidades, entendimentos e posições díspares
    a partir do momento que existe uma diferença basilar entre ‘teísmo’ e ‘deísmo’, a proposta – supostamente antagónica – de um ‘ateísmo’ dorme automaticamente com os pés de fora da discussão
    e é revelador que a tentativa de homogeneizar o ‘ateísmo’ saia mais difícil do que uma definição comum das diferentíssimas formas de crer e interagir com o transcendente…

    3 – acontece que o ‘ateísmo’, nascido com EXACTAMENTE ESSE SENTIDO – oposição à estruturação da grença religiosa em sistemas organizados -, resvalou de há anos para uma perseguição não só ontologicamente absurda [v. ponto 1] como mais violenta que a experiência religiosa que visa ‘erradicar’
    http://en.wikipedia.org/wiki/New_Atheism
    cavalgando no ‘conhecimento científico’ – absurda ferramenta de uma área da experiência humana que rigorosamente nada tem a ver com a religião – o ‘neoateísmo’ exibe garras e caninos afiados na tentativa de exposição, ridicularização e eliminação de qualquer prática ou crença religiosa das ‘oprimidas’ sociedades ocidentais. mesmo que sob a capa de coisas soft e fofas como os bucólicos ‘Brights’
    http://en.wikipedia.org/wiki/Brights_movement
    i. é, sob argumento de ‘crimes do pai’ (as estafadas ‘cruzadas’, as estafadas ‘inquisições’, os estafados ‘extremismos’), é acossado todo aquele que professa individual ou colectivamente uma crença transcendente, quando a sua crença em nada vincula ou atropela o tão ‘bright’ ‘ateu’ que por força lhe quer entrar na cabeça e dar uma geral

    4 – é esta a cara de uma CFAlves tão fresca, bem-pensante e representativa da ‘intelectualidade’ tuga, europeia e cosmopolita actuais
    o Homem – na sua opinião – é um ser fatiável, com peças supérfluas que só o engordam, lhe pesam e só o retraem. o Homem – o SEU Homem ! – é uma realidade compartimentada de que é possível arrancar bocado para ficar mais perfeito. e, claro!, CFAlves presta-se a essa poda. porque ela a deseja. porque ela, claro!, a sabe fazer. e para o nosso bem. despojar-nos de uma parte nossa que a incomoda, para ficarmos todos um bocado mais parecidos com ela
    felizmente pessoas como Fernando Pessoa permanecem firmes e altivas como símbolos do Indivíduo Completo, cujas mil partes fazem um todo maravilhoso. um Todo admirado universalmente, mesmo que por aqueles a quem paga as côdeas para a boca seja estropiado e assim desprezado como Homem

    • Bem, estou a ver que esta questao ja te me mereceu amplo (e fundado) pensamento…
      Nao vou acrescentar muito ao que escreveste, apenas dizendo que:
      Por pura “formatacao” mental e genetica, o Homem tem uma amplitude religiosa ou transmaterial. Seja ela “real” ou “fisica” a verdade ‘e influi de sobremaneira no curso das civilizacoes e do pensamento humano individual e coletivo. Descartar assim como irrelevante a dimensao religiosa do Homem (como fez Clara Ferreira Alves) ‘e adotar uma atitude de tacanhez mental, que impede uma compreensao total (e logo correta) do pensamento pessoano.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: