Sobre o perdão da dívida externa da Guiné-Bissau

Carlos Gomes Júnior (http://www.africanidade.com)

Carlos Gomes Júnior (http://www.africanidade.com)

“Na visita que fez aos EUA no âmbito da missão da ONU conseguiu um apoio de 16.8 milhões de dólares. Atingiu os objetivos?
– A missão correu da melhor maneira, graças ao apoio que tivemos do Governo português e de todos os países da CPLP, porque permitiu desanuviar uma certa tensão que se prendia com a reunião de 29 de março com a União Europeia.” (…) “O facto de termos conseguido um perdão da dívida externa na ordem dos 90% demonstrou o empenho do Governo, todo o esforço na consolidação da paz.”

Entrevista a Carlos Gomes Júnior
primeiro-ministro da Guiné-Bissau
Sol 1 de abril de 2011

A situação na Guiné-Bissau segue sendo a mais grave entre todos os países da Lusofonia. A Guiné nunca conseguirá sozinha erguer a cabeça da situação onde atualmente se encontra. O perdão da dívida externa guineense exemplifica bem a este respeito o que pode a comunidade lusófona fazer em prol dos seus membros em dificuldades, pela simples via da pressão e influencia diplomática.

Muito mais poderá ser feito se a Guiné der provas decisivas de que consegue aproveitar a presença de polícias e militares angolanos para sanear o seu exército de todos os militares ligados ao narco-tráfico e começar a enfrentar as máfias colombianas e nigerianas que controlam o narcotráfico na Guiné-Bissau. Para isso é também preciso ajuda dos países da CPLP, especialmente no patrulhamento dos mares e ares guineenses… mas para isso é preciso que o governo guineense peça esse auxílio. E isso ainda não aconteceu.

Categories: Guiné-Bissau, Lusofonia, Política Internacional, Política Nacional, Portugal | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: