Francisco Sarsfield Cabral: “Há anos receava-se uma UE comandada por um Diretório dos Estados membros de maior peso. Pois o Diretório está aí em descarado funcionamento”

Francisco Sarsfield Cabral (http://imagens.publico.pt)

Francisco Sarsfield Cabral (www.publico.pt)

“Há anos receava-se uma UE comandada por um Diretório dos Estados membros de maior peso. Pois o Diretório está aí em descarado funcionamento, constituído por apenas um país, a Alemanha, ainda que apoiado pela Finlândia, Áustria e Holanda nas questões do euro.”
Francisco Sarsfield Cabral
Sol 1 de abril de 2010

Esta não é certamente aquela Europa com que sonharam os pais fundadores. Esta aquela Europa que não teve pudor em vender os seus produtos Nokia, Philips, Audi, BMW, Siemens, etc para os países do sul em troca da concessão de “generosos e abnegados” subsídios pelo abate da frota pesqueira, do arranque de culturas agrícolas e para aceitar a deslocalização de indústrias para o oriente e leste europeu.

Estes germânicos também não exprimiram reservas em emprestar dinheiro aos países periféricos até patamares perfeitamente irrealistas porque os juros cobrados lhes pareciam muito interessantes…

Agora germânicos e nórdicos vêm exigir juros muito superiores à inflação nos seus países para “ajudarem” Portugal. Para se esforçarem em fazer o seu dever que é o de serem solidários para com os seus parceiros europeus em dificuldades os europeus do norte querem juros e lucro.

Portugal hiperconsumiu (por ano gastamos mais 10% do que produzimos) durante quase dez anos e esse hiperconsumismo tem que ser travado. Mas quem emprestou correu riscos e por isso mesmo cobrou juros (crescentes, recentemente…) e lucrou muito com esses empréstimos. A Portugal restam mais opções além de aceitar um protetorado do diretório europeu e deixar que lhe imponham um jugo que o arrastará para uma década de severa recessão e de uma queda brutal do nível de vida. Portugal pode repetir o que fez em 1911 e declarar bancarrota parcial, pagar apenas os juros que são razoáveis pagar (os que os mercados exigiam em 2007) e continuar a existir enquanto país soberano e independente. Ou não, e sujeitar-se a ser uma colónia norte-europeia.

Como vai ser, Portugal?

Anúncios
Categories: Economia, Política Internacional, Política Nacional, Portugal | 1 Comentário

Navegação de artigos

One thought on “Francisco Sarsfield Cabral: “Há anos receava-se uma UE comandada por um Diretório dos Estados membros de maior peso. Pois o Diretório está aí em descarado funcionamento”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: