O Rafale já não é o favorito no programa brasileiro F-X2…

As lutas entre a opção Rafale (favorecida pelo poder político) e a Gripen (preferida pela força aérea brasileira) parecem ter esmorecido com a estagnação de toda a evolução do programa F-X2 que se registou após a chegada de Dilma Rousseff a Brasília.

Com efeito, o programa de mais de 6 mil milhões de dólares está parado desde que Lula da Silva adiou esta decisão até depois da tomada de posse de Dilma. Dilma prolongou o processo de seleção durante mais alguns meses e é provável que o programa F-X2 seja reponderado por forma a ser compatível com a redução de despesa que o governo brasileiro colocou como prioritária por forma a travar as tendências inflacionistas que se registam hoje na economia do Brasil. O ministério da Defesa, por exemplo, terá que cortar 26% do seu orçamento mas não é  ainda claro se este corte vai ter ou não impacto no F-X2.

Em fevereiro, surgiram notícias de que Dilma teria confidenciado ao Secretário do Tesouro dos EUA que preferia o Super Hornet da Boeing sobre o Rafale (que parecia ser o favorito de Lula da Silva) uma inclinação que concorda com a do CEO da influente Embraer que admitiu o mesmo tipo de inclinação, segundo se veio a saber através do Wikileaks. Isto coloca o Rafale em muitos maus lençóis já que a Força Aérea prefere o Gripen NG e Lula da Silva (que preferia o Rafale e uma aliança global de Defesa com França) já não está em Brasília…

Fonte:
http://www.flightglobal.com/articles/2011/04/04/355044/waiting-continues-for-brazils-f-x2-contract-decision.html

Categories: Brasil, DefenseNewsPt | Etiquetas: , | 23 comentários

Navegação de artigos

23 thoughts on “O Rafale já não é o favorito no programa brasileiro F-X2…

  1. Odin

    O Sarkozy vai virar a cara para o Brasil… 🙂

  2. Juca

    É, mas a Dassault está arrumando terreno pra investimentos nos pólos de tecnologia de São Paulo e a Embraer e Odebrecht estão comprando empresas da área de Defesa. Pode ser q o Rafale brasileiro substitua componentes americanos do Rafale francês. Se antes a briga era entre Rafale e Gripen, agora é SuperHornet e Rafale.

  3. podes crer… os suecos ficaram bem para trás.
    mas o clima é mesmo pró-americano…
    por muito que façam os franceses, parece que perderam (também) este barco.

  4. Otus scops

    F-18, são mesmo burros estes responsáveis brasileiros…

    eu e o LuisM vamos ficar tristes se o Rafale não for o escolhido.

    • Nao sei se serao burros… Mas as contrapartidas economicas (e outras, nomeadamente na reforma do cs da onu) podem revelar-se irresistiveis para um pais que ambiciona a ser uma potencia mundial…

      • Odin

        Clavis Prophetarum

        Baseado em experiências passadas, o governo brasileiro não devia confiar nos americanos. Eu ainda prefiro o Rafale. Acho que os franceses são mais tolerantes em transferir tecnologia ao Brasil do que os americanos. E não concordo que uma vaga permanente no CS da ONU tem que ser tão prioritário assim. Porque em caso de guerras, a palavra final é sempre dos EUA. Nem sei se o Brasil está preparado pra tamanha responsabilidade.

        • Otus scops

          Odin

          eu não sou estratega mas penso assim:
          NINGUÉM vai transferir tecnologia (a não ser que o Brasil se torne num aliado de facto) e o Rafale é o melhor dos 3 como máquina. além de mais é mais moderno que o F-18, com mais margem de progressão que o americano.

          quanto a vagas no CS pelo que tenho visto a diplomacia do Brasil está num cinismo inadmissível: abstem-se oficialmente em tudo que é votação e ainda critica oficiosamente…
          até na Costa do Marfim!!! é ridículo.
          quanto ao preparo, ninguém está de início mas pode-se sempre aprender.

          • Pois eu acho que todos querem mesmo transferir toda a tecnologia que puderem se isso assegurar o negocio. As dificuldades dos eua e da Europa neste atual contexto podem (e vao) jogar a favor do Brasil.

        • Odin

          Otus Scops
          Cinismo, não! Eu chamo de covardia mesmo. Pensa que vai conseguir agradar à todos.
          E o F-X2 implica na transferência de tecnologia, e os franceses e suecos diziam concordar.

        • Sim… A historia da proibicao da venda dos Super Tucano ‘a Venezuela. Isso devia estar bem presente na memoria da Dilma.

      • Otus scops

        CP

        mas os EUA são patrões da ONU ou do CS???
        a China já disse que apoia o Brasil e a França idem.
        aliás, trocar a entrada no CS por uns aviõezinhos é um péssimo começo moral e ético, está a comprar uma entrada, quem respeita assim o CS??? haja verticalidade…

        • Nao sao, claro, mas sabemos como sao as coisas… Ou porque achas que a reforma do cs (negociada no tempo de Freitas do Amaral) esta encravada?…

          • Otus scops

            CP

            sinceramente não sei do que estás a falar, queres esclarecer???

            • Nao… Porque estou a responder a isto no blackberry e a app da wordpress aqui nao permite (estupidamente!!!) Ver o post que se comenta! Ridiculo.

    • LuisM

      😀

  5. Juca

    Essa campanha brasileira pelo assento permanente ajuda mais o Japão e Alemanha do q o próprio Brasil. Se o crescimento do país continuar no ritmo q está e o Brasil continuar a ser referência para os emergentes, a entrada será óbvia, quase como q obrigatória. O mais provável é q o CS crie um anel de países emergentes e médias potências (Brasil, Índia, África do Sul, Alemanha, Japão e algum outro), com assento permanente, mas com o poder de veto somente quando decisão unânime. A economia brasileira já está passando a França, UK e Alemanha.

    Não sei se o Rafale é melhor do q o Super Hornet, mas qualquer um dos dois serviria às necessidades brasileiras. Acho q o q interessa (e ainda trava a negociação) é os termos de compra (como a transferência de tecnologia)e os bônus de cada proposta (investimentos em empresas e cidades brasileiras). Definitivamente, não estamos comprando somente caças.

    • O Brasil tem que se concentrar em que ocorra uma – qualquer – reforma do cs. Caso esta tenha lugar ‘e inevitavel que ele obtenha um assento permanente, quer pelo seu peso de demografia quer pelo seu crescimento economico recente.

      • Otus scops

        CP

        esta é para ti: esse useiro argumento do tamanho realmente é irritante, parece o SLBenfica, sempre com as manias da grandeza…
        vejamos, por essa ordem de ideias a Índia teria mais razões para o acento permanente, ou então a Indonésia.
        o Brasil ainda não provou nada para se meter nessas “altas cavalarias”, aliás, se tivesse “juízo” nem o faria.
        na minha opinião isso é uma conversa para distrair dos graves problemas e para motivar os cidadãos brasileiros.
        basta ver TODAS as últimas posições da diplomacia brasileira para se tornar num parceiro sem credibilidade, sobretudo no caso da Líbia e da Costa do Marfim. essa atracção pelo abismo é preocupante…

        cá para nós, não terá acento no CS tão cedo.

        p.s. – por critérios demográficos então o Paquistão, o Bangladesh ou mesmo a Nigéria podia acalentar aspirações ao CS. havia de ser lindo!

        • Juca

          A Índia já reinvidica, e com razão. É potência emergente, tem influência política e econômica regional e tem força militar condizente. O interessante é q o Brasil deverá alçar uma posição permanente no CS pelo seu desenvolvimento econômico, não pela força militar. No futuro, esses países q vc citou poderão reinvidicar as mesmas condições se conseguirem se desenvolver (o Paquistão já tem munição nuclear, um dos motivos para q a Índia ingresse no CS). Realmente, não é impossível a entrada de países assim no CS. E por isso deveriam reformar para ser algo mutável, não um clube de vencedores da Segunda Guerra.

        • Tens razao num ponto muito importante: o Brasil nao pode seguir estando ausente em todos os cenarios de crise no mundo (excepcao ao Haiti) e aparecer ao lado de tiranos no Irao e pretender assumir um cargo permanente no cs.
          Ha que acabar com essa timidez e corrigir esses erros de percurso.

  6. Otus scops

    Juca e Clavis Prophetarum

    a propósito destes assuntos:
    http://www1.folha.uol.com.br/mundo/901976-china-frustra-brasil-e-nega-apoio-a-vaga-no-conselho-de-seguranca.shtml

    é bem feito!!! o Brasil não tem maturidade política, cultural nem de estado para integrar nada. fizeram uma aliança para darem prioridade ao fornecimento de matérias-primas para a China, em detrimento dos EUA, e agora levam este desaforo!
    pelo que tenho visto escrito por aqui, então comprem caças à China! pelos vistos isso é “moeda de troca” para ocupar lugares permanentes em órgãos internacionais inúteis.
    o futuro passa por alianças regionais, blocos estratégicos.

    quanto ao CS com China e Índia é como ter na mesma equipa de arbitragem um adepto do C.R Vasco da Gama e outro do Flamengo, haveria de ser o caos…

    gostei da ideia “não um clube de vencedores da Segunda Guerra.”

Deixe uma Resposta para Otus scops Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: