“Em 1961, Nehru anunciou que “a Índia não estava disposta a tolerar a presença dos portugueses mesmo que os goeses os quisessem lá”

Controlo de fronteiras em Goa (1961) (http://www.film.queensu.ca)

Controlo de fronteiras em Goa (1961) (http://www.film.queensu.ca)

“Em 1961, Nehru anunciou que “a Índia não estava disposta a tolerar a presença dos portugueses mesmo que os goeses os quisessem lá.”
John P. Cann “Contra-Insurreição em África”

A suprema estupidez do regime de Salazar na questão da Índia portuguesa consistiu precisamente em não dar aos goeses a oportunidade de livremente se exprimirem – na forma de um Referendo livre e isento – sobre a sua vontade quanto à continuação da presença portuguesa, de uma autonomia muito ampla, da independência plena ou da pura e simples integração na Índia.

Historicamente, a União Indiana não tinha (nem tem) a legitimidade para “libertar” Goa já que nem a cidade, nem Damão, nem Diu faziam de facto parte de uma “Índia” passada ou até mítica que nunca existiu historicamente a não ser depois de 1947. Mas se Salazar tinha razão ao sustentar a ilegitimidade das pretensões indianas não a tinha ao não dar aos locais a opção de escolherem os seus destinos. Nehru admitia que um referendo na Índia Portuguesa poderia dar a vitória à continuidade da presença de Portugal, mas Salazar nunca poderia consentir num referendo em Goa… Desde logo porque isso abriria a mesma hipótese às restantes províncias ultramarinas e até à própria metrópole onde as eleições eram pouco mais que formais e a democracia uma ilusão. Como lançar assim um referendo em Goa se um referendo democrático colidia tão frontalmente com os princípios autoritários do regime?

Categories: História, Política Internacional, Portugal | Etiquetas: | 11 comentários

Navegação de artigos

11 thoughts on ““Em 1961, Nehru anunciou que “a Índia não estava disposta a tolerar a presença dos portugueses mesmo que os goeses os quisessem lá”

  1. Riquepqd

    A fraqueza política e militar de Portugal daquela época, infelizmente fez morrer antes de nascer, uma nova nação lusófona na Ásia. Um verdadeiro aborto pátrio.

    E hoje, este sonho é mais do que impossivel, porque lá a India já fez o português ser relegado a idioma de segunda categoria, com pouquíssimo uso. Um verdadeiro homicidio da língua.

    • ‘E verdade a situacao do portugues em Goa ‘e quase terminal… Ainda nem tudo esta perdido, e ainda ‘e possivel inverter essa tendencia, mas o desinteresse de Lisboa pela questao tem agravado ainda mais este problema.

      • Riquepqd

        Como você acha que a situação poderia ser revertida?

        • Enviando professores, instalando escolas de portugues e abrindo programas de cooperacao no ensino superior para estudantes oriundos da “lingua portuguesa”…

          • riquepqd

            O que seria dos homens se não pudessem sonhar 😉

            Você realmente acha que a Índia permitiria uma coisa dessas…

            • Pode permitir… Se vir beneficios de curto prazo, por exemplo, em relacoes comerciais com os paises da lusofonia.

              • Riquepqd

                Para a Índia, o idioma português em Goa é um perigo a sua integridade territorial, nas ultimas décadas tomou medidas para aniquilar este idioma em seu território, por isso:

                1º Nenhum país do mundo arriscaria sua integridade territorial em troca de qualquer compensação comercial, por maior que fosse esta vantagem.

                2º Mesmo que a Índia aceitasse tal coisa, qual a grande vantagem comercial que a CPLP poderia oferecer em troca a este gigante emergente que justificasse (para eles) por em risco a manutenção de Goa em seu território?

                3º A CPLP com este modelo meramente ilustrativo, não agiliza trocas comerciais nem entre seus membros, quem dirá com a Índia.

                4º Com exceção de Portugal, não acredito que qualquer outro membro da CPLP aceitaria beneficiar a Índia por causa de Goa, agora se também tirassem alguma vantagem…

                • Nesse respeito, a China ‘e muito mais inteligente (os chineses tem muitos defeitos – enquanto Estado – mas a falta de inteligencia nao ‘e um deles): delegou em Macau todos os contactos com os paises da CPLP. A Índia podia fazer o mesmo.
                  Mas ate que percebo Nova Dehli… Goa nunca fez historicamente parte da “Índia” (ao contrario de Macau) e ha na regiaoque reclame de facto a independencia…

  2. Gaspar

    Sorry but there is a very different Goa today in India, Portuguese is a language taught in Goa University with a full fledged department and Portuguese books are available to read in the library.

    • Indeed. But the language has completely disapeared from the common usage, and it is only spoken at some home, by some elders that still remember the Portuguese presence… And a living language must be spoken outsite academic buildings…

  3. Riquepqd

    Only the fact Gaspar write here in English, says it is as much about the Portuguese language in Goa.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: