Na China, censuram-se as notícias sobre a revolta popular no norte de África…

Revolta popula na Líbia (http://images.alarabiya.net)

Revolta popula na Líbia (http://images.alarabiya.net)

“As palavras Egipto e Cairo têm estado o mais possível arredadas dos noticiários (chineses).
Temendo que as revoltas a favor da reforma política no país mais populoso do mundo árabe possam ser imitadas, o regime chinês têm estado o mais possível arredadas dos noticiários.”
(…)
“Na terça-feira, quando se escrevia a palavra “Egipto” nos congéneres chineses do Twitter (bloqueado na China desde 2009) a resposta era: Segundo as leis em vigor, o resultado da sua pesquisa não pode ser comunicado”.
(…)
“Desta vez, Pequim terá instruído secretamente os órgãos de comunicação social a usarem apenas os despachos da agência oficial Xinhuan a reduzirem as noticias do que se passa no Egipto e, por outro lado, a salientarem as que dizem respeito aos efeitos adversos da contestação.”
(…)
“As manifestações contra a corrupção ou má governação não param de aumentar de ano para ano na China. Tal como os protestos a favor de melhores condições de vida laborais ou ambientais. Não há uma oposição organizada, mas tem havido iniciativas de contestação política.”
Sol 4 de fevereiro de 2011

A China segue sendo um autêntico barril de pólvora… Os contrastes flagrantes entre a riqueza de alguns, o poder absoluto nas mãos da elite do Partido Comunista e a exploração e pobreza da maioria da população cedo se tornarão insanáveis para um povo que assim que o insustentável ritmo de crescimento da economia chinesa abrandar ou que a (crescente) bolha imobiliária chinesa estourar se vai ver confrontado com uma vaga de contestação popular difícil de travar.

O regime de Pequim tem sido sustentado por uma combinação de censura, repressão e crescimento económico. Basta que um dos apoios deste tripé ceda para que toda a estrutura trema e – eventualmente – colapse. O regime tem sabido dosear repressão e censura em doses inteligentes e, assim, perpetuar-se no poder. Mas consegue-o também porque o nível de vida de muitos chineses tem melhorado de forma notável desde 90. Mas se uma Bolha Imobiliária, uma hiperinflação ou um colapso súbito do comércio mundial (pela bancarrota dos seus principais clientes internacionais) então não haverá repressão e censura que cheguem para suster o caldeirão…

Categories: China, Política Internacional | 5 comentários

Navegação de artigos

5 thoughts on “Na China, censuram-se as notícias sobre a revolta popular no norte de África…

  1. Fenix

    E porquê será?!

    • Odin

      Deve ser porque os chineses podem seguir o exemplo dos árabes, e como a população chinesa tem aquela quantia toda, vai ser muito mais difícil reprimir.

  2. Isso não chega a ser uma grande novidade

  3. Fenix

    Se ouve-se maneira de passar a mensagem para população a chinesa seria assim. Sigão o exemplo arabe de revolta para bem da euuropa.遵循为欧洲而阿拉伯起义的例子。

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: