No começo de 2011, o Irão deverá lançar o satélite “Fajr”

No começo de 2011, o Irão deverá lançar o satélite “Fajr”. O “Fajr” será assim o segundo satélite iraniano, depois do “Omid”, lançado em fevereiro de 2009. Tratar-se-á de um “satélite de reconhecimento” e será seguido pouco depois por um segundo satélite com o nome “Rasad 1” (“observação”) cujo lançamento chegou a estar agendado para agosto de 2010.

O Fajr é um satélite de reconhecimento alimentado por painéis solares e possui um sistema de propulsão que lhe permitirá manter-se em órbita durante longos períodos de tempo.

Fonte:

http://www.defencetalk.com/iran-to-launch-reconnaissance-satellite-30829/

Categories: SpaceNewsPt | Etiquetas: | 33 comentários

Navegação de artigos

33 thoughts on “No começo de 2011, o Irão deverá lançar o satélite “Fajr”

  1. carlos santos

    Mas onde, como e quem é que lhes fornece o conhecimento tecnologico para realizarem estes eventos ?!

  2. Juca

    O Irã sofre embargo comercial de tecnologia de vários anos e tem capacidade pra lançar um satélite por meios próprios. O Brasil tem uma posição geográfica sem igual para lançamentos de foguetes, engenharia competente e relação comercial e diplomática com o mundo todo e ainda engatinha com seu programa espacial.

    A futura quinta economia do mundo terá q sofrer mais humilhações? Será um gigante manco e de um olho só?

  3. LuisM

    Com armas atómicas e foguetes e a tecnologia de lançamento de satélites, o Irão passará a dispôr de ICBMs e aí será intocável.

    • HSMW

      E no dia em que as usar assinará a sua sentença de morte…

      • LuisM

        Apesar da fanfarronice daquela amostra de presidente, os persas ao longo da história já revelaram uma sabedoria e astúcia que os previne de decisões tolas. Na minha opinião tem a ver com a enorme asneira criminosa que um asno cometeu há uns anos atrás quando estava na Casa Branca, em invadir, mal ou bem, um país soberano à revelia da comunidade internacional. Desde aí, este tipo de países ficaram numa insegurança permanente pois se foi feito no Iraque, eles podem ser os próximos (e efectivamente o Irão é o próximo na estratégia de algumas cabeças). Como tal há que adquirir o mais rápido possível o “escudo de invulnerabilidade”.

        Outro factor também tem a ver com o arsenal nuclear isrealita e que negligentemente a comunidade internacional vira a cara para o lado.

      • Odin

        LuisM

        antes dos persas tentarem usar, os hebreus terão destruído, eu acho.

        Quanto ao Bush, você tem toda a razão. Aquele cara/gajo foi burro de uma tal maneira, que antecipou o início da decandência dos EUA como superpotência dominante. Já estava ocupado com o Afeganistão, para quê invadir o Iraque? O que ganharam com isso?

        • TONIO RODRIGO

          O que ganharam foi destruir um país que não queria o dólar como moeda e recebia em euros, o foi destruindo aos poucos depois de 1991, o invadindo 2º vez,com o logro das armas de destruição em massa, com o conluio de Blair, esse fantoche dos americanos, e de mais alguns “pequeninos”, quando já estava escrito em memorando aquilo que queriam fazer, tudo pelo petróleo barato e gás sem fim, impondo uma democracia sem rumo, encharcada por centenas de milhares de mortos e milhares de estropiados, um país próspero em ruínas, os criminosos de guerra americanos não foram julgados, querem protelar a sua ruína, mas ela aí está, para onde caminhas, América???

      • Otus scops

        LuisM

        na minha opinião a questão “em invadir, mal ou bem, um país soberano à revelia da comunidade internacional.” não se põem sequer. é MAL!!!

        “o arsenal nuclear isrealita e que negligentemente a comunidade internacional vira a cara para o lado.” bem lembrado, mas… se não o tivessem, será que Israel ainda existia???

        Odin

        infelizmente tem bastante razão… quanto à decadência é um facto, mas deixar de ser super-potência dominante é um exagero, ainda o são e num futuro a médio prazo assim continuarão.
        quando os desafiadores chegarem perto ou igualarem apenas nalguns casos a tecnologia de ponta norte-americana, eles apresentaram de seguida algo vanguardista que os colocará novamente à frente!

        • LuisM

          “mas… se não o tivessem, será que Israel ainda existia???”

          Claro que existia pois Israel dispõe do melhor dissuassor que nação alguma se pode dar ao luxo de possuir.

          Esse dissuassor chama-se Estados Unidos da América.

        • Odin

          Otus Scops

          “infelizmente tem bastante razão… quanto à decadência é um facto, mas deixar de ser super-potência dominante é um exagero, ainda o são e num futuro a médio prazo assim continuarão.
          quando os desafiadores chegarem perto ou igualarem apenas nalguns casos a tecnologia de ponta norte-americana, eles apresentaram de seguida algo vanguardista que os colocará novamente à frente!”

          Os Estados Unidos têm um território muito grande, muitas riquezas naturais, e um povo amante das ciências. Então, eles acabarão por dar a volta por cima e superarão a China novamente. Se conseguirem a integração com o Canadá num só país, mesmo que o Quebec francófono não faça parte, aí que ninguém vai segurar aquele país. Os Estados Unidos vieram a existir para serem superpotência mundial. Mas esse abalo, essa fragilidade que os EUA sofrem hoje, é consequência da desastrosa política externa do Bush sim. Os EUA vão cair um pouco, mas no futuro se levantarão de novo.

          Eu acredito que a Rússia não será sempre assim atrasada em relação ao Ocidente. Um dia, um líder sábio vai levantar aquele gigantesco país novamente. A não ser que a Rússia se fragmente em pequenos países. Ou a Rússia acabará por entrar na UE, após aceitar as reformas necessárias para isso.

          Mas o futuro será dos países de grande extensão territorial e populosos, por isso que para os países europeus, ficarem unidos num bloco é importante. Acabar com a UE e com o Euro, até por motivos civilizacionais mesmo, não são só motivos os econômicos, seria uma desgraça para as nações européias. Daí, só a Alemanha e Rússia permaneceriam entre os grandes do mundo no futuro próximo, apesar da pequena extensão territorial alemã.

        • Otus scops

          Odin

          “um dia (…) vai levantar aquele gigantesco país novamente.”
          tirando alguns records sinistros de matanças (atenção, isto não se refere APENAS ao período da URSS) que algo de grandioso ou significativo tem feito a Rússia???
          na minha opinião pouco ou nada. (agora é que o LuisM vai zangar-se a sério comigo…) 🙂

          estão abertas as hostilidades:

        • Odin

          Otus Scops

          Nossa Otus! Como você é eurocêntrico e ocidentalísta! A ex-URSS lançou o 1.º satélite artificial, o 1.º ser vivo no espaço, o 1.º homem no espaço, só não chegou à Lua antes dos EUA porque o engenheiro chefe dos soviéticos morreu e fez com que eles perdessem o rumo. Se tivesse vivido mais tempo… O foguete N1 dos russos era mais potente que o Saturno V se bem que muito mais complexo, já que tinha 32 propulsores em vez dos 5 do Saturno V.
          Eles tiveram 2 lançamentos falhados com os foguetes N1 e isso fez com que os membros da equipe do Wernher von Braun ganharem a corrida para a Lua.

          Na Rússia foi demonstrado que o proletariado revoltado pode causar sim sérios problemas a burguesia sim, serviu de advertência para o mundo. Não sufocar tanto os trabalhadores senão os comunas vão conseguir espaço para os seus intentos.

        • Otus scops

          Odin

          confesso que até corei com tantos elogios:
          – eurocêntrico
          – ocidentalista (apesar de estar em PT_br)
          não mereço tanto! 😀

          vou explicar melhor, as conquistas científicas, nomeadamente na astronáutica, foram à custa dos cientistas alemães.
          quanto ao resto foram coisas menores, quase sempre inferiores tecnologicamente e SEMPRE atrasados em relação ao Ocidente e com muita espionagem envolvida. hoje em dia está tudo na mesma, inovação zero com a agravante que já não tem ninguém para conquistar e obrigar a trabalhar para eles (russos).
          “capisce”???

          quanto à revolução social que eles conseguiram fazer digo-te duas coisas:
          – foi uma sorte terem-na conseguido fazer e manter durante os primeiros 20 anos
          – o sistema implementado foi terrível para a causa comunista, com o exemplo que deram só quem não tiver juízo não pensa 30 vezes primeiro antes de pensar em ser comunista. fizeram o pior serviço à causa dos trabalhadores de todo o mundo!

          p.s. – sempre detestei a expressão “comunas”, revela desprezo por uma opção politico-ideológica perfeitamente lícita e respeitável.

        • Odin

          Otus Scops

          ” as conquistas científicas, nomeadamente na astronáutica, foram à custa dos cientistas alemães.”

          Questo è vero.

          “…e obrigar a trabalhar para eles (russos).”
          Richtig, Herr Otus Scops! Ein Detail. И американцы? Nunca obrigaram ninguém de países derrotados a trabalhar para eles? Are yo sure about that?

        • Otus scops

          Odin

          tem pena de mim, repete a pergunta de outra maneira que não entendi… 🙂

          seu poliglota!
          😀

          • Odin

            Translating to Portuguese:
            Certo, Sr. Otus Scops!Um detalhe. Os americanos? Nunca obrigaram ninguém de países derrotados a trabalhar para eles? Você tem certeza disso?

          • Otus scops

            Odin

            quanto “auz americanús” que eu saiba (ou que me recorde de momento) não.
            se sucedeu pontualmente, se raptaram um ou outro não faço ideia, mas deles (leia-se CIA-Pentágono) não me espantaria se o tivessem feito o façam, mas não é política. por muitas coisa más que tenham, se há ambiente de meritocracia é nos States e reconhecido com muitos dólares…
            não quero comentar períodos de guerra onde uma série de liberdades individuais ficam cerceadas e se cometem abusos, mesmo em democracias. veja-se este vergonhoso Patriot Act.
            mas o meu comentário tem a ver com o período pós guerra e não são trabalhadores escravos no campo ou em linhas de montagem com chicotes, sevícias várias e esfomeados. não, são cientistas e técnicos que viviam com boas condições materiais e físicas mas estavam impedidos de partir, com as famílias retidas em regime de permanente de chantagem.
            mas sabes de alguma coisa???

          • Odin

            Otus Scops

            Saber, ter provas, não! Não sei! Quem sabe o Assange, o Wikileaks…
            Mas cuidado para não idealizar os Estados Unidos da América como “super-heróis” e um dia decepcionar-se muito. Os soviéticos erraram muito, mas mostraram do jeito deles à humanidade que o espaço cósmico é acessível, se as nações realmente quiserem ir para lá fazer novas descobertas. Tal como os vossos (e de certa forma nossos também) antepassados fizeram sobre os oceanos na era das grandes navegações.

          • Otus scops

            Odin

            normalmente eu não sou assim… 🙂

            “cuidado para não idealizar os Estados Unidos da América”
            gosto mais supper-heros do que de super-heróis…
            não idealizo os EUA mas também não diabolizo, aí é que está. vejo é muita gente “a bater no ceguinho” e considero que em muitos casos é ingratidão por tudo de bom que tem feito.
            e vendo bem os Russos, na sua essência mais pura, são uns bárbaros.
            obviamente que tenho que ser justo, nem tudo ou todos são assim, de lá vem coisas boas também mas na minha contabilidade civilizacional acho que estão em deficit, aliás, sempre estiveram.
            são uma espécie de castelhanos lá da zona: opressores, expansionistas, predadores de riquezas, esclavagistas, tem ainda, todos os predicados de um império colonial clássico, até tem uma companhia majestática e tudo: a Gazprom.
            cuidado com esta gente!

          • Otus scops

            Odin

            realmente não há coincidências, este vídeo http://www.youtube.com/watch?v=rDmdtcyDVlg revela a essência dos Russos: o comportamento cobarde desta feras ferozes que nutrem o mais absoluto desprezo.
            quanto mais vejo mais me convenço daquilo que penso, cuidado com esta gente!

            p.s. – sugestão: vai ao Youtube e busca uns vídeos da Marinha Portuguesa ao largo da Somália para veres como se actua, com eficiência e civilidade.

          • Odin

            Otus Scops

            “não idealizo os EUA mas também não diabolizo… e considero que em muitos casos é ingratidão por tudo de bom que tem feito.”

            Não digo que “odeio” os EUA, porém, bato palmas por poucos feitos deles. O feito n.º 1 que eu bato palmas é a ida para a Lua em 1969. Sei que Neil Armstrong e Edwin Aldrin não são brasileiros, mas tenho orgulho deles como se fossem. De igual forma, tenho de Yuri Gagarin. São do planeta Terra e da espécie humana, isso me basta.
            Também, Thomas Jefferson, Benjamin Franklin, Abraham Lincoln, John Fitzgerald Kennedy… são nomes pelos quais eu tenho respeito, assim como outros que agora não me recordo seus nomes. O que digo agora chega a parecer esoterismo, mas é como se os EUA tivessem vindo a existir neste mundo para mudar a ordem mundial, trazer a liberdade, desfazendo a tirania e o autoritarismo através de seu exemplo de Democracia, de maturidade política e judiciária, de federalismo. E sim, eles são modelo para o mundo quanto a democracia e liberdade. Mudar o mundo como um exemplo a ser seguido voluntariamente por outros povos. Mas a mentalidade de extremismo capitalista os levou a uma política externa muito agressiva, muito intervencionista, e a um consumismo fútil e exagerado. Esses dois pontos que a sociedade americana devia rever antes que seja tarde para reverter os estragos. E os ingleses e mais ainda os franceses, também servem de modelo ao mundo como democracias estáveis. Faz quanto tempo não se tem notícias de regimes autoritários na França e na Grã-Bretanha?
            Apesar dos exemplos políticos russo, chinês, árabe… serem horríveis, isso não significa que eles não deram nenhuma contribuição ao mundo. Há povos que deram mais, e outros que deram menos. E se não tivesse acontecido a 2ªGuerra Mundial, ou se a Alemanha Nazi a tivesse vencido, quem teria iniciado e estaria na frente da corrida espacial? Quase certeza que os alemães.

          • Odin

            Outro detalhe. Muitos odeiam os americanos e os sionistas (judeus), mas não fazem idéia de que o regime anglo-saxão-judaico é muito menos opressor que o soviético (comunista em geral), nazifascista e fundamentalista religioso foram e são.

          • Otus scops

            Odin

            “Não digo que “odeio” os EUA, porém, bato palmas por poucos feitos deles.”
            bem, apesar de poucos feitos, ainda bates algumas palmas. curioso só teres citado exemplos norte-americanos e nenhum dos russos… 🙂
            mas tens muitas razões nas críticas que fazes, aliás ninguém é perfeito ou está a cima de críticas, que considero correcta e fazem de certos sectores dos EUA o maior problema do Mundo.
            quanto à vitória dos Nazis não sei dizer, mas o Mundo seria diferente daquilo que é sem dúvida, não sei se melhor ou pior…
            quanto ao 2º comentário, dou-te novamente toda a razão, embora veja aí uma confusão cultural e política, uma coisa é ser judaico-cristão (uma das matrizes civilizacionais anglo-saxónicas entre outras como a nossa lusófona) com regimes políticos, sejam teocráticos ou ideológicos. mas entendo a ideia. totalitarismos e teocracias dá-me alergia.

            p.s. – com a velocidade dos comentários pergunto-me se não viste a minha resposta a um anterior “post” em que me perguntaste como funcionam os subsídios na UE.
            ainda perdi alguns minutos à busca de fontes para te responder e pelo menos saber se fui suficientemente explícito.

          • Odin

            Otus Scops

            “vendo bem os Russos, na sua essência mais pura, são uns bárbaros.”
            Como eles permaneceram tempo demais sob regimes totalitários, e a democracia é uma novidade para eles, vai levar um tempo para se equipararem ao Ocidente quanto ao respeito a direitos humanos.
            A nação russa foi formada pela soma de eslavos, vikings e bizantinos.

            “são uma espécie de castelhanos lá da zona: opressores, expansionistas, predadores de riquezas, esclavagistas, tem ainda, todos os predicados de um império colonial clássico, até tem uma companhia majestática e tudo: a Gazprom.
            cuidado com esta gente!”
            Eh,eh,eh,eh,eh,eh,eh… 😀 Que raiva contra os castelhanos, hein? Mas é uma comparação interessante.
            Eu vi a operação russa e noutro vídeo, a operação portuguesa numa reportagem brasileira. Os portugueses da Álvares Cabral parecem estar mais numa operação policial do que de guerra. Os russos, numa invasão para conquistar territórios. Eu nem sequer culpo as pessoas daqueles militares russos, porque sei que é cultural. Há exceções, mas na maioria dos casos, você querer comparar militares de países latinos com militares russos ou chineses, é comparar anjos com demônios, me desculpe pelo meu etnocentrismo. Lembrando que há sim exceções, mas é certo que não só militares portugueses de hoje, mas mesmo os militares brasileiros de hoje têm mais compaixão e consideração pelos direitos individuais do que os militares russos de hoje. E isso é cultural, convivendo mais com os povos ocidentais, eles vão melhorar com o tempo.

            “curioso só teres citado exemplos norte-americanos e nenhum dos russos… 🙂 ”
            Ah, sim! Mikhail Gorbachev, o primeiro líder soviético a cair na real. Tolstoi, Dostoievski, Tchaikovsky, Mendeleiev.

            Quanto aos subsídios da UE, eu vi sim, mas são muitas informações, vou ter que analisar quando tiver mais tempo. Obrigado.

          • Otus scops

            Odin

            “Que raiva contra os castelhanos, hein? ”
            é um bocadinho folclore, mas estes últimos 800 anos causam-me alguma desconfiança… coisa pouca. 😉

            gostei imenso do teu poder de observação e sentido crítico entre o modo de operar da Marinha Portuguesa e a russa (as minúsculas para eles são de propósito – mereciam menos ainda). es´tas sempre a surpreender-me com a tua argucia.

            “Eu nem sequer culpo as pessoas daqueles militares russos, porque sei que é cultural.”
            eu culpo e a que é grave é isso mesmo: é cultural, como (mais uma vez) bem dizes!

            “desculpe pelo meu etnocentrismo.”
            desculpa do quê, está correcto temos que assumir aquilo que achamos sem complexos.
            ass. outro etnocentopata
            😀

            “os militares (…) de hoje têm mais compaixão e consideração pelos direitos individuais…”
            não é só uma questão de respeito é de bom-senso e Humanidade.
            aquilo é selvajaria não é combate, é um acto abominável de cobardia sem desculpa – tiro ao alvo com lúdico sadismo.

            “convivendo mais com os povos ocidentais, eles vão melhorar com o tempo.”
            talvez, o Tempo o dirá, mas espero que sim.

            “Ah, sim! Mikhail Gorbachev, … (etc…)”
            agora é tarde, foi só para te chamar à atenção do teu forte etnonorteamericnocentrismo que estavas a criticar… 😉

            “Obrigado.”
            não estava à espera de agradecimento, fi-lo com gosto e por isso estava “preocupado” que não tivesses visto sequer. fica à vontade para comentares, ou não.

          • LuisM

            Otus, nem todos os russos são assim e quando são educados e civilizados não há quem os bata. Mas infelizmente são um povo de extremos.

            Existe de facto uma cultura de pura violência nas forças armadas russas.

            Dum “KGB lusitano” 😉

      • Otus scops

        LuisM

        hummmm, não me parece.
        esse saco de gatos chamado Próximo Oriente nunca foi do agrado dos EUA.

        quanto à relação EUA-Israel tenho uma ideia diferente, em vez de os States serem o dissuasor de Israel são a Guarda Pretoriana de Israel. afinal, quem é que manda nos EUA??? 😀

      • LuisM

        Peço desculpa não me fiz entender.

        Os EUA são o dissuassor que impede qualquer país de atacar Israel pois os próprios EUA são controlados por Israel.

      • Otus scops

        LuisM

        “Peço desculpa não me fiz entender.”
        de nada, eu é que não “captei”…

  4. carlos santos

    Am Israael chai

  5. carlos Alves

    Aristides Sousa Mendes um herói nacional de que todos os Portugueses se devem orgulhar !!!

    http://www.dn.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=1774671&seccao=EUA%20e%20Am%E9ricas

    • Otus scops

      Carlos Alves

      faço parte desses 100%: Aristides Sousa Mendes põem o Schindler num chinelo…
      (só falta S.Spilberg fazer um filme da vida dele)

      http://mvasm.sapo.pt/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

%d bloggers like this: