Renato Epifânio: “Portugal será lusófono ou não será, isso não significa que, para ser lusófono, tenha que deixar de ser europeu…”

“Portugal será lusófono ou não será, isso não significa que, para ser lusófono, tenha que deixar de ser europeu… A Europa será a Europa dos Povos e das Pátrias ou não será.”
A Via Lusófona
Renato Epifânio

Não temos que renegar a nossa condição de europeus para afirmar a condição de lusófonos, de facto, já que ambas correspondem a dois níveis de identificação comunitária completamente diversos. A condição europeia advém da própria evidência geográfica e da contingência histórica enquanto que a lusófona é muito mais matricial e fundadora. De facto, se – como sonha Saramago – algum azar da natureza nos separasse da Europa e nos largasse em meio do Atlântico, pouco nos adviria dessa separação, porque o fenómeno da integração europeia nunca se afirmou nas realidades culturais profundas de Portugal nem nunca quis transformar-se numa alma nacional, capaz de concorrer ou substituir as almas nacionais dos povos que formam a União Europeia. Não há assim uma verdadeira concorrência entre identidade europeia e identidade lusófona. A primeira é superficial, contingente e interesseira. A segunda está radicada profundamente na realidade viva mais forte e matricial a qualquer Cultura: a Língua. Ambas podem coexistir, como o azeite e a água podem coexistir numa vasilha. Mas nunca se podem misturar, precisamente porque pertencem a níveis de realidade completamente diferentes.

Categories: Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono, Política Nacional, Portugal | 15 comentários

Navegação de artigos

15 thoughts on “Renato Epifânio: “Portugal será lusófono ou não será, isso não significa que, para ser lusófono, tenha que deixar de ser europeu…”

  1. Odin

    “Não temos que renegar a nossa condição de europeus para afirmar a condição de lusófonos”
    Isso não existe! O idioma é nascido na Europa.

    “A condição europeia advém da própria evidência geográfica e da contingência histórica…”
    A não ser que, devido a uma falha tectônica, haja separação geográfica, Portugal será sempre europeu. Vocês são europeus e isso não muda!!! O português (ou galego-português) não é uma língua descendente do Latim, a língua dos romanos? E Roma não era uma civilização européia? Não existe isso de lusófono X europeu. Xiiiii… 😦

    • Lusitan

      Segundo reza a lenda os romanos eram descendentes dos troianos, que eram uma civilização asiática, logo parece-me que temos uma lingua de ascendência asiática! De qualquer maneira as bases da nossa língua são indo-europeias.

    • Odin

      Em escritos judaicos, não me lembro agora se é o Talmude, ou algum Midrash, é mencionado que os romanos são descendentes de Esaú, irmão mais velho de Jacob e filho de Isaac. Esaú, segundo a Bíblia, deu origem ao povo edomita, que é um povo semita, asiático. Bem, o Latim era a língua do Lácio (Latium), região central da Península Itálica, e cujo alfabeto é derivado do grego, que por sua vez é derivado do fenício (outro povo asiático). Também creio que o Latim tem descendência asiática.

    • Otus scops

      então o asiático tem origem no africano!

      e o africano no antepassado comum e por aí fora.

      com todo o respeito, mas porque é que Esaú (o peludo ruivo) é chamado à conversa??? 😀

    • Odin

      Porque a tradição (religião) judaica aponta os romanos como descendentes de Esaú. 😀
      E Esaú era um asiático.

    • quer dizer… tecnicamente, o português deriva do latim vulgar falado pelos soldados romanos e esta é uma língua do aramo indo-europeu que, sabe-se agora, terá nascido na atual Ucrânia.

      do ponto de vista racional, o português é muito miscigenado… mas o tronco principal será mediterrâneo, isto é, não semita (ou afroasiático, como agora é usual dizer), nem africano (negro ou berbere), nem norte-europeu (caucasiano).

      Mas há excepções… há muitos germânicos (louros) entre nós, especialmente no norte e no sul (Algarve) há muito sangue dos Cabilas, os antepassados dos Cónios cuja escrita tanto estudei…

      É uma misturada!
      Tipo os vossos Caboclos!
      E é por isto que o racismo não nos é endémico: porque somos por essência, miscigenados!

    • Odin

      “do ponto de vista racional, o português é muito miscigenado… É uma misturada!… E é por isto que o racismo não nos é endémico: porque somos por essência, miscigenados!”
      Como afirma Gabriel, o pensador, racismo é burrice!

      “há muitos germânicos (louros) entre nós, especialmente no norte…
      Descendentes de imigrantes como os do Brasil ou somente descendente dos invasores “bárbaros” suevos e visigodos? Portugal recebeu muito imigrantes norte-europeus?

      “…no sul (Algarve) há muito sangue dos Cabilas, os antepassados dos Cónios cuja escrita tanto estudei…”
      Há relação dos Cabilas e dos Cónios com as tribos perdidas de Israel, aquelas do reino do norte que foram exiladas pelos assírios?

  2. Otus scops

    “Não existe isso de lusófono X europeu. Xiiiii…” F(also)

    – nem todos os lusófonos são europeus V(erdadeiro)
    – nem todos os europeus são lusófonos V
    – todos os europeus são lusófonos F
    – todos os sul-americanos são lusófonos F
    – alguns Sul-Americanos são lusófonos V
    – todos os Africanos são lusófonos F
    – ser São-Tomense é ser lusófono e africano V
    – ser São-Tomense é ser europeu F
    – a lusofonia intersecta-se com outros estados de cultura e civilização V

    • Odin

      “Não existe isso de lusófono X europeu. Xiiiii…” F(also)
      Acho que você não entendeu. O que eu disse é que Portugal sempre será europeu e sempre será lusófono. E não que toda a Europa é lusófona e nem que todos os países lusófonos são europeus. A expressão “lusófono X europeu” significa Portugal ter que se decidir se é lusófono ou se é europeu e isso é que não existe. Portugal é as duas coisas! Lusófono e europeu. E isso não muda.

    • Otus scops

      Odin

      entendi, quando dizes “significa Portugal ter que se decidir se é lusófono ou se é europeu e isso é que não existe” por proposições lógicas demonstro que isso é possível.
      foi apenas uma (modesta) demonstração lógica dessa possibilidade entre várias outras… chama-lhe um devaneio, apeteceu-me!
      😉

  3. Conni

    Aqui na América é a mesma coisa. Os “internacionalistas” fazem de tudo para o Brasil “hablar español”. Pelos Céus, que nos livremos!

  4. Fenix

    “Portugal será lusófono ou não será, isso não significa que, para ser lusófono, tenha que deixar de ser europeu.” Portugal pode se virar para lusofonia fazendo conhecer essa união lusofona mas não virar as costas totalmente a europa geografica onde está inserido mas não será todas.Temos que renegar a condição de “europeus” sim aqui a parte politica e economica de bruxelas e o seu centralismos.

    • Otus scops

      Fénix

      “Temos que renegar a condição de “europeus” sim aqui a parte politica e economica de bruxelas e o seu centralismos.”
      bem dito! e a bem da salvação do projecto europeu.

  5. Meu país e minha lingua..Sds.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: