Daily Archives: 2010/11/28

Angola: O novo Eldorado migratório português?

Existe atualmente um autêntico “êxodo silencioso” de Portugal para Angola… a maioria dos 206 portugueses que saem todos os dias do país partem com destino a Luanda. Angola é, com efeito, hoje aquilo que França ou a Alemanha foram para os portugueses na década de 60, quando, aliás, os números de emigrantes por dia eram idênticos aos de hoje. A dimensão deste êxodo intensificou-se especialmente desde 2008 e acompanha a aparição da Recessão global em Portugal assim como a consolidação do crescimento da economia angolana. A coincidência de ambos, criou este fluxo que agora une os dois países e que é comparável apenas aquele que levava nos anos 60 os portugueses para as biddonville dos subúrbios parisienses.

Muitos portugueses estão confrontados com a falta de perspetivas de Futuro para si e para os seus e reconhecem em Angola as oportunidades que lhes faltam em Portugal

Desde 2006 emigraram para o estrangeiro mais de 350 mil portugueses, até esse ano com destino ao Reino Unido, Espanha e Suíça. Mas a partir de 2008 essa distribuição alterou-se: Angola é agora o destino preferido pela maioria destes novos emigrantes e onde em 2006 havia apenas 156 portugueses a emigrarem, em 2009, já houve mais de 23 mil… hoje, estima-se que estejam já mais de 100 mil portugueses em Angola, ou seja, quatro vezes mais do angolanos há em Portugal. Este desequilíbrio resulta do facto de a economia portuguesa ter crescido em dez anos apenas 6%, enquanto que a angolana, cresceu em média e desde 2003 14%.

O crescimento da economia angolana assenta na prosperidade advinda das exportações de produtos petrolíferos mas sobretudo do momento de paz que se sucedeu a uma longa e destrutiva guerra civil que arrasou pela base praticamente todas as infraestruturas do país. Os cem mil portugueses que hoje trabalham em Angola estão precisamente a trabalhar nessas obras de recuperação e de construção de infraestruturas.

Infelizmente, Angola apesar de todo o crescimento económico continua com graves bloqueios que – a prazo – podem travar o desenvolvimento deste país lusófono: dois terços da população ainda vive na pobreza, a corrupção é endémica em praticamente todos os escalões do Estado e da Administração Pública, o nível de vida é altíssimo (quase a padrões europeus) e a Esperança de Viva é de apenas 40 anos, sinal de um sistema de Saúde disfuncional… problemas que Portugal e Brasil – parceiros de Angola na CPLP – poderiam ajudar a resolver, assim houvesse essa disposição em Luanda e essa disponibilidade na CPLP…

Fonte:
http://www.presseurop.eu/en/content/article/369061-angola-portugal-s-new-eldorado

Anúncios
Categories: Economia, Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono, Política Internacional, Política Nacional, Portugal | Etiquetas: | 7 comentários

Pedro Cipriano: “O poder ainda não é do povo, dois partidos estão continuadamente e alternadamente no poder. O povo limita-se a escolher entre duas pessoas escolhidas por esses partidos”

“O poder ainda não é do povo, dois partidos estão continuadamente e alternadamente no poder. O povo limita-se a escolher entre duas pessoas escolhidas por esses partidos. (…) este ciclo vicioso fez a maioria do povo cair numa apatia, e a prova disso é o nível de abstenção”
Pedro Cipriano
Revista Nova Águia
Número 6

O Rotativismo atual é a expressão acabada de um sistema democrático (na aparência) que se esgotou e que se encontra em fase de fim-de-ciclo. Mas que ameaça ainda sobreviver durante demasiado tempo pelo domínio quase total que detém sobre a Comunicação Social e sobre a Política. Contra este “império da partidocracia” resta às gentes de bem, cidadãos livres e conscientes erguerem-se e com as derradeiras armas que o Sistema ainda lhes reserva, como o Direito de Petição, as Candidaturas Independentes (municipais e presidenciais) forçar a uma mudança que devolva aos cidadãos a capacidade de expressão política que os Partidos lhe confiscaram. Contra deputados fiéis apenas aos partidos, há que erguer cidadãos ativos e participantes na vida e nas causas públicas… e promover a eleição de deputados independentes, uma das grandes causas do MIL: Movimento Internacional Lusófono, como decorre aliás DESTA petição.

Categories: Nova Águia, Política Nacional, Portugal | 9 comentários

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade