Daily Archives: 2010/11/02

Quids S21: O que é isto? (nome e referência exata)

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 21:00 e as 24:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30) ou mais cedo, se possível. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 20 pontos.

6. A qualquer momento, poderão sair “QuidsExtra” de texto ou de imagens, com as mesmas regras dos demais, mas sem limite de dia ou de hora. Estes quids valerão sempre 3 pontos e correrão até que um nickname novo, num IP novo, chegue aos 100% ou se tendo passado mais de 48 horas, ao participante que recolher melhor classificação.

7. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

 

Categories: Quids S21 | 6 comentários

Fernando Nobre: a maior força da candidatura de Fernando Nobre é o facto de o candidato, ao contrário de todos os outros, não ter nunca feito parte do sistema partidocrata

Sejamos claros: a maior força da candidatura de Fernando Nobre é o facto de o candidato, ao contrário de todos os outros, não ter nunca feito parte do sistema partidocrata que tem hoje as maos tão sujas por nos ter arrastado a todos para a presente situação.

Ao contrário dos candidatos apoiados pelos partidos políticos, o candidato e fundador da AMI, decidiu avançar porque “neste momento da nossa crise nacional, eu tinha deveres para com Portugal” e porque ouviu o “apelo da cidadania”, sentido-se particularmente compelido a lançar uma candidatura presidencial porque “Nunca vivi do sistema e tenho tantas culpas na situação do país como os meus caros amigos. Acho que eles têm muito mais do que eu”, referindo-se a Manuel Alegre (que nunca fez vida fora da política) e Cavaco Silva que foi Primeiro-ministro várias vezes e que é especialmente responsável pelo desperdício de tantos fundos europeus e pela desindustrialização massiva do nosso país desde a década de 90.

E Nobre tem razão, obviamente. Se queremos manter tudo como está, nas mesmas mãos que se governaram a si próprias e nos desgovernaram a nós, então como diz o candidato devemos “continuar com o sistema tal qual vigorou até hoje, vão ter candidatos do sistema, votem neles”. Quem quiser começar a mudar algo de significativo, então

Ainda que por algumas das suas posições, o candidato possa ser associado aos temas geralmente defendidos pela Esquerda, de facto não é possível enclausurar de uma forma tão absoluta ou redutora o posicionamento político de Fernando Nobre. Como recorda: “mais do que palavras – acho que as palavras estão gastas e esgotadas – são as acções. De palavreado é muito fácil dar-se um carimbo de esquerda ou de direita. Eu demonstrei na prática o que sou, e não foi em seis meses ou num ano – levo 31 anos de intervenção social”. E de facto, a realidade dos factos dá-lhe razão… é difícil descortinar no Socretismo uma verdadeira “política de Esquerda” além do vão e infundado palavreado e as políticas – quando governo – do bi-partido PS-PSD são virtualmente idênticas. Para quebrar esta cristalização imobilizadora da politica nacional e um descrédito radical na autoridade do Estado e no próprio futuro do país que se instalou numa grande maioria dos cidadãos há que ter “forças anímicas para mobilizar um povo que está numa descrença total, que já não acredita, que está de novo a emigrar” não sendo nem úteis nem positivas as declarações irresponsáveis do atual Presidente da República com o seu reiterado discurso da “tanga” e do depressivo “estamos à beira do colapso”. É verdade que estamos mas tal tipo de discurso negativista, sem solucoes ou alternativas deprime não mobiliza nem polariza as energias tradicionais que Portugal sempre soube ter nos (vários) momentos de grande crise da sua História. Como afirma Nobre “o povo português é ímpar desde que devidamente dirigido por lideranças que dão exemplo de esforço, que tenha desígnios, estratégias”. E é precisamente isso que tem faltado à nossa classe política: a definição de uma estratégia que seja capaz de agregar em torno de si todo o país, de despertá-lo desta apatia suicidária que ora nos carateriza e orientar o país para um novo rumo polarizador e capitalizar de energias. E que rumo pode ser esse? A Europa não, certamente, já que a União Europeia parece sem rumo nem capacidade para vencer a crise do endividamento que a assola e que resulta de decadas de globalizacao e desindustrialização massivas. Então qual pode ser esse grande desígnio nacional? A Lusofonia global e dinâmica que é precisamente o sexto dos 15 desígnios nacionais do candidato Fernando Nobre.

Fonte:
http://www.publico.pt/Política/fernando-nobre-salienta-que-se-distingue-por-nunca-ter-feito-parte-do-sistema_1440721

Categories: Fernando Nobre, Política Nacional, Portugal | 1 Comentário

Mário Soares: “O impulso inicial (da CPLP) não podia deixar de partir do Brasil”

“O impulso inicial (da CPLP) não podia deixar de partir do Brasil. Por várias razões: pelo seu peso demográfico e pelo seu imenso potencial económico; por ser uma antiga colónia, que nunca chegou a ter um contencioso grave com Portugal; e, sobretudo, porque um tal projeto, vindo do Brasil, não podia ser nunca entendido, pelos nossos irmãos africanos, como escondendo qualquer intenção neocolonialista.”

Mário Soares

Embora tal evidência possa não agradar a todos os portugueses, Portugal não pode e não deve jamais assumir a posição de “cabeça” da Comunidade se queremos que ela se desenvolva, alargue as suas competências e esfera de ação e se torna naquela desejada União Lusófona. Idealmente, e sempre que for possível, a CPLP deve sempre reger-se pelos princípios da paridade dos seus membros, delineados pelo embaixador Aparecido de Oliveira na década de 60.

Categories: História, Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono, Política Internacional, Política Nacional, Portugal | Etiquetas: | 58 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade