Sobre a recente onda de xenofobia contra os ciganos romenos

Embora se tenha falado muito da expulsão de ciganos romenos feita em França, a verdade é que este tipo de fenómenos tem vindo a ser realizado – de forma muito menos ostensiva – noutros países europeus: Alemanha, Dinamarca, Itália e Suécia têm feito várias expulsões de cidadãos de nacionalidade romena e etnia cigana sem que isso tenha vindo ao foco dos Media.

A verdade é que logo que se aceitou a adesão da Roménia na União Europeia em 2007 que se ergueram várias vozes protestando contra o que isso iria criar grandes fluxos migratórios da Roménia para a Europa ocidental e temendo sobretudo uma migração massiva de famílias ciganas que se dedicariam à mendicidade e à pequena criminalidade.

O problema é que estes receios se vieram a revelar fundados, especialmente em Itália, Reino Unido e França (precisamente)… Agora, e porque tais fenómenos facilmente previsíveis não foram devidamente acautelados em 2007 pelos negociadores europeus temos agora todo este escândalo e pedidos à Comissão Europeia para que esta force a Roménia a travar na fonte este êxodo da sua etnia cigana.

Sabe-se que a questão do “êxodo cigano” será o tema principal de uma cimeira sobre o tema da imigração a realizar a 6 de setembro em Paris e que reunirá ministros de Itália, Espanha, Bélgica, Grécia, Alemanha, Reino Unido e, claro França e até o extra-comunitário, Canadá, país que também tem acolhido uma onda crescente de imigrantes de etnia cigana, mas mais de origem checa e húngara do que romena.

Esta “coligação anti-migração cigana” em gestação tem todas as condições para entrar em colisão frontal com as normas europeias de livre circulação de pessoas e bens e logo, deverá ser alvo de protestos mais ou menos velados por parte das instituições europeias que ainda que tenham estado na base desta adesão apressadamente combinada têm agora também o papel de defensor da livre circulação. As criticas da Comissão serão contudo severamente moderadas pelo facto de todos os “grandes” europeus estarem neste grupo… e aliás isso já é patente nos pífios e pouco entusiasmados protestos produzidos pela Comissão a propósito da expulsão dos ciganos de França.

Sejamos otimistas: nesta Europa cada vez menos solidaria e que só de forma muito reticente acabou por acorrer às dificuldades gregas, erguer um discurso coeso e uniforme de protesto contra as expulsões de ciganos é altamente improvável. É assim de prever que da reunião de 6 de setembro surja um apelo (mais ou menos vinculativo) à Roménia para que estanque este êxodo cigano.

Mas a Roménia de hoje é um país praticamente na bancarrota, com um Estado minado pela corrupção, nepotismo e pela falência da maioria dos serviços do Estado, desde a saúde, educação e, sobretudo, polícia e justiça. Um país assim não tem recursos para criar condições económicas que obstem à fuga dos seus cidadãos, ciganos ou não, e quando existe discriminação instituída e raras possibilidades de sucesso económico é natural que os ciganos romenos tudo façam para deixar o seu país e recorrendo a redes mafiosas de mendicidade e pequena criminalidade.

Se a Europa quer travar este êxodo cigano tem duas abordagens: ou suspende indefinidamente a entrada da Roménia no Espaço Schengen ou faz com que os 4 mil milhões de euros de transferências europeias anuais para a Roménia sejam bem aproveitados e não dispersos em redes de corrupção e em ineficiências administrativas e incompetência crassa.

O problema é que os ciganos – enquanto comunidade – não têm também feito um esforço sério e honesto de integração nos países de acolhimento… recorrem sistematicamente à mendicidade infantil e juvenil como forma de subsistência de famílias inteiras e não são raros os que se integram em redes de tráfico de droga ou de pequenos furtos de dimensão transnacional. A Europa se quer efetivamente resolver este problema (e não usá-lo como bode expiatório numa época de rompante xenofobia) tem que forçar o governo romeno a gerir melhor os fundos europeus e a criar mais condições para a permanência da sua população cigana. Mas os ciganos que imigram para a Europa também não podem continuar a dar argumentos a todos os xenófobos europeus que os julgam em bloco e não como indivíduos e erguerem-se contra estas máfias que destroem a reputação da sua etnia. De permeio, enquanto uma e outra coisa não sucedem – por impopular que isso possa ser – há que travar nas fronteiras esta migração e exercer a Lei sobre todos aqueles que já as atravessaram, sem ter em conta etnias, credos ou convicções políticas.

Fonte:
http://www.publico.pt/Sociedade/cinco-paises-da-ue-expulsaram-romenos-de-etnia-cigana_1452941

Categories: Política Internacional, Sociedade | Etiquetas: , | 39 comentários

Navegação de artigos

39 thoughts on “Sobre a recente onda de xenofobia contra os ciganos romenos

  1. um daqueles textos empenhados, precisos e equilibrados do CP
    …assino por baixo

  2. joão dias

    Não , não é racismo , não é xenofobia , é uma questão de garantir a segurança e a paz social do pais de acolhimento . Um emigrante , seja ele cigano , africano , português ou de um outro pais ou raça qualquer , não pode , não deve ocupar ilegalmente campos e terras para montar barracas , não pode nem deve viver da mendicidade do pais de acolhimento , têm que ser gente activa na riqueza e desenvolvimento do pais de acolhimento , têm que ser respeitadores das leis e costumes do pais de acolhimento , pois caso contrário , então quem estará a ser racista e xenofobo são os emigrantes , a emigração do chico-espertismo não pode ter lugar num pais desenvolvido .
    França está a querer expulsar todos os estrangeiros que cometam crimes , eu aprovo estas medidas sim . Os estrangeiros que não respeitam a ordem e as leis do pais de acolhimento comportam-se como se de NAZIS se tratassem , pois estes tambem invadiram terras clandestinamente , cometiam crimes e não respeitavam as leis e os costumes dos outros . As associações SOS racismos que proliferam por toda essa europa , não passam de uns autenticos inquisidores das falsas boas intenções , muitas destas associações são alimentadas por dinheiros obscuros ligádos a máfias , sempre que surjam situações que belisquem os interesses destas associações lá vêm eles desenterrar os fantasmas que já não existem , a não ser somente nas suas cabeças .
    A Romenia , neste ano de 2010 , recebeu mais de quatro mil milhões de euros da união europeia para desenvolver e integrar as diferentes etenias que compoem a Romenia , se isso não tem acontecido então a França e outros paises europeus não têm que receber aqueles que o governo Romeno abandonou , compete aos ciganos da Romenia perguntar ao seu governo o que é feito dos milhares de milhões de euros que a Romenia recebeu , os ciganos da Romenia não são um problema da França .
    Nada tenho contra os emigrantes , eu já fui emigrante e sempre soube respeitar as leis e os costumes do pais que me acolheu , chama-se a isso de GRATIDÃO , e é isso que todos os emigrantes devem ter , GRATIDÃO .

  3. O ponto central da questão é efetivamente este:
    “França está a querer expulsar todos os estrangeiros que cometam crimes , eu aprovo estas medidas sim . Os estrangeiros que não respeitam a ordem e as leis do pais de acolhimento”
    e não a etnia… esse foi o erro do governo de Sarko (embalado pelo populismo da medida) e aquele que os mais radicais dessas entidades (que têm contudo genericamente um papel muito meritório) melhor souberam aproveitar.

  4. Foi assim q começou a caçada dos judeus na europa de 1940,a noite de cristal,Alemanha;e os mesmos nada aprenderam, pois massacra os Plaestinos nas terras invadidas pelo suas IDFs, + o pano de fundo é: Foram ações = as dos Presidente Frances q iniciou o holocausto, uma shoah; cadê esse Parlamento da UE e seu TP e ñ condena e faz o mesmo vaoltar atrás nesse ato ínsano? Sds.

    • Luís

      Realmente…é uma uniãozinha Europeia de fachada !!!, é uma união da palhaçada, condenada ao seu fim.

      • Otus scops

        Luís os seus comentários dobre a UE são asquerosos, estão impregnados de fel e de mentira. tanto ódio revela uma de duas coisas, ignorância ou maldade.iça

        Viviane Reading
        Comissária Europeia da Justiça, direitos Fundamentais e Cidadania.

        “Discrimination on the basis of ethnic origin or race has no place in Europe. It is incompatible with the values on which the European Union is founded.”

        http://ec.europa.eu/commission_2010-2014/reding/index_en.htm

        mais uma vez a UE dá uma lição a todos, aos prevaricadores e… aos maledicentes!

      • Otus scops

        outro engano…

        Luís os seus comentários dobre a UE são asquerosos, estão impregnados de fel e de mentira. tanto ódio revela uma de duas coisas, ignorância ou maldade.

        Viviane Reading
        Comissária Europeia da Justiça, direitos Fundamentais e Cidadania.

        “Discrimination on the basis of ethnic origin or race has no place in Europe. It is incompatible with the values on which the European Union is founded.”

        http://ec.europa.eu/commission_2010-2014/reding/index_en.htm

        mais uma vez a UE dá uma lição a todos, aos prevaricadores e… aos maledicentes!

      • Otus scops

        outro engano…

        Luís os seus comentários sobre a UE são asquerosos, estão impregnados de fel e de mentira. tanto ódio revela uma de duas coisas, ignorância ou maldade.

        Viviane Reading
        Comissária Europeia da Justiça, direitos Fundamentais e Cidadania.

        “Discrimination on the basis of ethnic origin or race has no place in Europe. It is incompatible with the values on which the European Union is founded.”

        http://ec.europa.eu/commission_2010-2014/reding/index_en.htm

        mais uma vez a UE dá uma lição a todos, aos prevaricadores e… aos maledicentes!

    • CA: o seu comentário, ao contrário do texto original do CP, parece-me apenas um desabafo faccioso que tanto podia ter escorrido a este propósito como a qualquer outro que se arranjasse

    • Balthazar Blake

      Sr. Carlos, não tem nada a ver uma coisa com a outra. Eles não estão colocando os ciganos em trens para enviá-los em campos de concentração. Estão apenas deportando imigrantes ilegais. E será que o Sarkozy está realmente errado?

    • Odin

      Carlos,
      comparar uma deportação de imigrantes ilegais, mesmo que todos de uma etnia, com a kristallnacht, aí você “forçou”. O Sarkozy pode não gostar de imigrantes na França, mas não é um novo Hilter por causa disso não! É óbvio que não! E não contesto o seu apoio ao povo palestino, pois sou favorável à independência deles. Mas o povo israelita não tem direito a uma pátria? O que fazer com os judeus? Eles sempre foram perseguidos por “pogroms”, inquisição, políticos de extrema-direita e esquerda. É claro que a opressão aos árabes da Palestina é injusta, é errada. Mas e o lado do judeus? O que fazer com eles? Você tem uma solução a propor?

      • Viriato Hermenico

        Concordo com o Odin! O Sarkozy entende que a França está com problema e está fazendo algo para tentar resolver, ajudar o país dele. Os Palestinos têm direito a um Estado, mas o povo de Israel também tem. E Israel é o único país do Oriente Médio que é desenvolvido, tem educação de alto nível, tecnologia avançada, e é uma democracia. Só é lamentável que eles não queriam a paz com os Palestinos. Eu nunca ouvi falar e nem li sobre ciganos quererem o seu próprio Estado. Mas impor o “Gipsy Way of Life” sobre os outros povos, eles adoram. 😦

    • Otus scops

      Carlos Argus (e restantes Brasileiros do Quintus)

      apesar de uma situação (xenofobia na França LePeniana de Sarkozy – muitos franceses estão envergonhados) não ter nada a ver uma com a outra , qual é a actual situação dos Índios no Amazonas no que à discriminação, protecção, direitos territoriais e direitos humanos???

      a morte de Chico Mendes valeu a pena ou não???

      p.s. LePeniana faz lembrar outra coisa mas fica;-) bem…

    • Otus scops

      enganei-me novamente…

      Carlos Argus (e restantes Brasileiros do Quintus)

      apesar de uma situação (xenofobia na França LePeniana de Sarkozy – muitos franceses estão envergonhados) não ter nada a ver uma com a outra , qual é a actual situação dos Índios no Amazonas no que à discriminação, protecção, direitos territoriais e direitos humanos diz respeito???

      a morte de Chico Mendes valeu a pena ou não???

      p.s. LePeniana faz lembrar outra coisa mas fica bem… 😉

  5. Pensamento crtico

    “Irracional respeito à autoridade é o maior inimigo da verdade”
    -Albert Einstein

    Comparar a França de hoje e de Sarkozy com o regime fanático da Alemanha do passado e absolutamente ridículo e estúpido.

    Não estou certo sobre o que as estatísticas dizem que cerca de gitanos em Fance (eu tenho um sentimento que não difere de Portugal) Em Portugal os ciganos degenerar auto escolhas.

    “Apesar de tudo, os ciganos continuaram a resistir a todo e qualquer processo de integração. As crianças, sobretudo as raparigas, continuaram a não frequentarem as escolas. A escola continua a ser vista como uma ameaça à própria sobrevivência das tradições e unidade da comunidade cigana.”

    . Habitação. O realojamento destas comunidades em bairros construídos para o efeito, está longe de ter contribuído para a sua efectiva integração. Por todo o país, nomeadamente em Lisboa, os maioritariamente habitados por ciganos estão transformados em locais de grande violência, assistindo-se à rápida degradação dos imóveis e vandalização dos equipamentos colectivos dos bairros.

    A maioria dos ciganos vive actualmente em bairros sociais, mas recusa-se a pagar as rendas (simbólicas), assim como a água, electricidade, etc. O que acaba por tornar a situação insustentável ao fim de alguns anos. Calcula-se que em 2008 ainda existam em Portugal cerca de 4.000 ciganos a viverem em barracas, em especial no Alentejo.

    2. Subsídios. A instituição, em 1996, do “rendimento mínimo garantido” (actual RSI), foi uma das medidas governamentais de maior alcance para combater a pobreza, nomeadamente entre os ciganos. Em Agosto de 2008, mais de 35 mil ciganos recebiam este subsídio. Para além deste apoio prestado pelo Estado português, os ciganos recebem igualmente de outras instituições, como a Igreja Católica, inúmeros outros apoios, nomeadamente financeiros.

    Estes subsídios não têm produzido qualquer mudança na pobreza declarada desta comunidade, pois a quase totalidade dos seus membros, por mais apoios que receba, continua a declarar-se ano após ano sem rendimentos, nem meios de subsistência próprios.

    3. Actividades. A maioria dos ciganos são feirantes, percorrendo as feiras com as suas carrinhas. Uma pequena minoria continua a dedicar-se à produção de cestos e recolha de sucata (interior da região Norte e na Região Centro), assim como à venda e criação de cavalos (Norte e Alentejo).

    A esmagadora maioria não paga impostos, não tem actividades declaradas, nem sequer possui carta de condução apesar de conduzirem carrinhas de mercadorias. Calcula-se que cerca de 4.200 ciganos continuem a ser nómadas, não tendo uma residência fixa em Portugal. (Dados de 2008).

    4. Educação. O realojamento e os apoios financeiros permitiu que a partir da década de 90 do século XX, muitas crianças ciganas passassem a frequentar as escolas, uma exigência para a atribuição do subsídio estatais às famílias.

    A verdade, é que pouco depois também se constatou que os resultados da sua escolarização continuavam a ser muito modestos, dado a elevada taxa de abandono escolar logo após a atribuição do subsídio. A taxa de analfabetismo nesta comunidade ronda os 80% (Dados de 2008).

    No ano lectivo de 2003/2004 frequentavam o pré-escolar 1.011 crianças ciganas, o 1º. ciclo 7.216, e 5 estavam inscritos em cursos técnicos e 29 no ensino secundário. Apesar de todos os apoios estatais só se conhece o caso de uma única cigana licenciada (Expresso,26/7/2008).

    5. Criminalidade. Apesar da multiplicidade de apoios recebidos pela comunidade cigana portuguesa, continua a estar sobre-representada na população prisional. A percentagem de presos ciganos na população prisional é várias vezes superior à dos ciganos na população portuguesa

    No início do século XXI, assistiu-se à transformação dos bairros de realojamento, onde são maioritários, em verdadeiras bases de apoio para a actuação de bandos de criminosos (tráfico de armas e de droga, crime organizado, etc). Facto que contribui para afastar os restantes moradores não-ciganos, ou para a não instalação das mais diversas actividades económicas nestes bairros, potenciando desta forma a emergência de verdadeiros guetos urbanos.

    Depois do envolvimento no tráfico de droga, membros desta etnia, a partir de 2001, surgem cada vez mais envolvidos:

    a) Crime organizado. Actuam por todo o país em bandos armados, cujas acções criminosas (assaltos a pessoas, bancos, residências, igrejas, etc) têm sido caracterizadas por uma extrema violência. Em 2006 membros comunidade apareceram ligados a redes de tráfico de armas, cuja utilização está na mesma bastante generalizada segundo a comunicação social (Julho de 2008).

    b) Rapto, tráfico e escravatura de pessoas. Nos anos 90 do século XX surgiram os primeiros casos de raptos de pessoas destinados à escravatura. Em 1992, na Figueira da Foz, um cego é raptado é levado para o antigo Bairro do Bacelo, no Freixo (Porto), onde sob coacção é obrigado a pedir esmolas durante dez anos. O caso só foi a julgamento em Abril de 2008. Os casos mais chocantes tem ocorrido contudo no tráfico destinado a Espanha. Milhares de pessoas na sua esmagadora maioria portadores de deficiência, alcoolicos, sem-abrigo ou com graves perturbações mentais tem sido raptadas ou aliciadas em Portugal por grupos de ciganos, que depois as levam para explorações agrícolas espanholas onde são escravizadas.

    Em Janeiro de 2004 foi julgado o primeiro caso em tribunais portugueses. No dia 25 de Abril de 2005, a polícia desmantelou uma rede constituída por mais de 3 dezenas de ciganos portugueses que se dedicava ao tráfico de pessoas, na sua maioria deficientes mentais que foram raptadas ou aliciados com promessas de trabalho em Espanha onde acabaram transformadas em escravos ao serviço de empresas espanholas (Região La Rioja, País Basco, etc). Estes grupos de ciganos tem actuado na mais completa impunidade e com a total cumplicidade da Polícia Espanhola ( consultar ).

    A discriminação positiva dos ciganos nos impostos, habitação, saúde, educação e outros bens sociais tem sido objecto de inúmeras críticas, na medida que socialmente injusta face aos restantes cidadãos.

    Números

    Existem em Portugal cerca de 30 a 50 mil ciganos. O seu número varia bastante conforme as fontes. Num Inquérito feito em 2001, junto das Câmaras Municipais e de outras entidades pela SOSRacismo foi apenas apurado um total 21 831 indivíduos de etnia cigana. Segundo este estudo as comunidades ciganas estão sobretudo concentradas no litoral e nas zonas fronteiriças (Lisboa, distritos de Viana do Castelo, Castelo Branco, Coimbra e Évora).

    http://lusotopia.no.sapo.pt/indexPTCiganos.html

    • Verdade

      O Sr. faz referências aos anos 2001,2004,2006 e 2008 mas lembre-se estamos no ano de 2010 ehouve algumas mudanças dentro da etnia cigana portanto muitas das suas referências já não qualquer sentido prático. Por outro lado nem toda a nossa etnia é como o Sr. a descreve, existe uma grande percentagem de ciganos que se dedicam ao crime,não vivem do RSI e por outro lado cumprem com os seus deveres entre os quais está o pagamento dos seus impostos. Portanto devemos analisar melhor o Slogan “Todos iguais, todos diferentes”. Não devem generalizar pois nós também não o fazemos em relação aos criminosos e beneficiários do RSI de outras. etnias. Ps: Para vossa informação existem em maior número na vossa etnia, sem dúvida.

      • Otus scops

        Verdade, a verdade é que “nós” somos muitos mais, naturalmente teremos mais. e percentualmente, como é???
        essa consciência do “nós” e do “eles” é prejudicial para todos, é sectária e gera auto-exclusão, gostava que terminasse.

        mas concordo com o teor geral do comentário, há ciganos integrados normalmente na sociedade.

        se for verdade, fico contente de um cigano vir aqui dar a sua opinião!

        agora algo completamente diferente, a tradição musical dos ciganos a Leste, num registo distinto do Flamenco dos ciganos da península Ibérica:

        simplesmente e-s-p-e-c-t-a-c-u-l-a-r!

        • Verdade

          È sim a pura verdade,já existem ciganos completamente intregados e que não fazem essa diferenciação do “nós” e do “eles”,que vivem em plena cidadania com a sociedade geral criando grandes laços de amizade. Mas também tenho consciência que existe uma outra percentagem da nossa etnia que ainda não conseguiu alcançar essa intregação e é com esses grupos que alguns de nós estamos a trabalhar num projecto piloto,com a ajuda de várias entidades para que essa intregação seja possivel,sabendo que não irá ser facilmais tudo iremos fazer para que conseguimos de alguma forma alcançar algumas vitórias.PS: È muito dificil começar practicamente do zero, mas com esforço e dedicação á causa iremos fazer os possiveis para conseguirmos aproximar estes grupos da sociedade, sabendo que não é facil.

        • Otus scops

          Verdade

          “é com esses grupos que alguns de nós estamos a trabalhar num projecto piloto,com a ajuda de várias entidades”

          qual é o projecto???

        • ionela crasuc

          olha sao os meus romenos,apesar de nao ser cigana gosto de algumas das tradiçoes e musicas ciganas. o trabalho que eles fazem é sempre bem feito.eles sempre tem muito talento.. muita vez, passando pela rua e vi crianças ciganas a pedir dinheiro para comer,algumas delas cantavao cançoes tristes,compostas deles,sobre a vida deles.. e todos com uma grande voz!

      • Pensamento crtico

        A coisa mais inteligente que você pode fazer é enviar dados.

        Se você tiver outros dados, em seguida, publicá-la,de fato, por favor poste.

        É fácil dizer coisas que são “muito bom” e “politicamente correto”, mas não refuta os dados que eu postei.

        • Pensamento crtico

          Posso também colocar as coisas de que os turistas têm dito sobre Ciganos em Lisboa, com fotos recentes.e não se trata de Xenofobia, mas aborrecimento que encontram nas ruas,especialmente com os traficantes de drogas e mendigos nas ruas.Mas eu não estou interessado nisso. Estou interessado em dados,dados imparciais…..

        • Otus scops

          Pensamento Crtico

          sem colocar em causa aquilo que escreve (e descreve) que são factos de uma situação, que soluções racionais e sensatas propõem para resolver este problema???

  6. LuisM

    Serão os ciganos sempre as vítimas indefesas? A resposta é não. Por muito que choque, e na grande maioria, vivem de forma totalmente parasitária sem procurarem se integrar nas sociedades que os acolhem. Os seus costumes têm de ser perservados, e que se dane a sociedade. Um cigano pode casar com uma não cigana. Se um não cigano gostar de uma cigana, muitas vezes aparece com as tripas de fora. Isto é inadmissível e já basta do politicamente correcto.

    Chocou-me particularmente por ocasião desta mesma situação uma entrevista da EURONEWS a um grupo de ciganos que afirmavam que todos tinham de ser como a Bulgária pois era esta que dava subsídios maiores.

    Os ciganos bem como outras minorias “vitimizadas” têm de ser questionados por todos sobre o que é que eles podem fazer para mudar as mentalidades das pessoas e não à espera que todos os tratem como coitadinhos, cheios de previlégios.

    Estou plenamente convencido que se tivessem uma atitude honesta e de trabalho seriam bem aceites. Nós temos o exemplo dos indianos e chineses que embora sejam comunidades fechadas são laboriosos e não conotados com a criminalidade.

    As pessoas esquecem-se que por cada direito que têm, há um dever a cumprir.

  7. Pegasus

    LuisM…
    Faço minhas ,as suas palavras, e olha que estou no Brasil, aqui não tem nenhuma diferença do que esta ocorrendo na europa quanto ao seu comportamento, exploração de mulheres e crianças, que muitos chamam de “sua tradição” é contra todo o caminho de civilidade do mundo moderno.

    Sei do que estou falando porque aqui no Brasil lidei diretamente com eles, nos serviços de energia eletrica e telefonica e conversei com as pessoas que lhes pretavam serviços, principalmente de construção civil e era sofrivel receber os valores acordados com eles, não se pode fazer nada sem receber primeiro.

    Quanto a integração em forma de casamento, mulher da nossa sociedade pode se casar com um deles mas suas mulheres são prometidas desde crianças e nunca vi nenhuma cigana largar a familia pra ficar com alguem que não seja da sua sociedade.

    Aqui, nós usamos um metodo pouco ortodoxo pra lidar com eles numa discução, ao inves de dizer que se chamara a policia, se diz que chamara a receita federal, pois não possuem nenhuma forma de comprovar como construiram casas e compraram carros, eles tem um medo irracional dos fiscais da receita pois sabem, ou acham, que podem lhes tirar os bens materiais sem comprovação de origem.

    Me perdoem, mas nunca vi um cigano contribuir com nada de bom, mas tambem os respeito como seres humanos e não quero sua perseguição “a la nazi”.

  8. joão dias

    Comparar a expulsão dos ciganos em França com o Holocausto é um autentico absurdo , querer comparar a questão judaica com a questão cigana é no minimo ridiculo , são povos totalmente diferentes , os judeus SEMPRE foram um povo ordeiro , intelegente , amigos do saber e da ciencia , um povo sedentário , nunca dependeram do estádo para sobreviver ( pelo contrário , foram sempre obrigados a pagar pesados impostos aos estados de acolhimento ) , gente pacifica e muito activa no desenvolvimento economico/social/cultural dos paises de acolhimento , um povo que cujo o seu sucesso social e economico sempre provocou a inveja e a sua perseguição ao longo dos seculos . Pelo contrário os ciganos sempre tiveram um comportamento totalmente diferente aos judeus ,os ciganos são um povo parasita , inimigos da luz do conhecimento , um povo que sempre viveu na escuridão por vontade própria , que sempre cultivaram na população não cigana o medo e o despreso , aliás , os ciganos são o povo mais racista que existe , eles despresam a cultura dos outros povos , não se misturam , impoem a sua cultura pela força , e que ninguem duvide , se a maioria da população europeia fosse cigana , a minoria não cigana teria sido expulsa , ou até mesmo extreminada pelo povo cigano , isso é uma ideia que está muito presente entre os Romenos não ciganos , eles lá sabem as razões que os levam pensar dessa maneira !!!
    Sei que existem ciganos trabalhadores , educados , formados , gente que pratica o bem , mas tambem sei que estes são uma minoria , não é uma andorinha , neste caso meia duzia de andorinhas que fazem a primavera .
    Não sou racista , não desejo mal algum ao povo cigano , mas isso não implica que não deva ter a minha opinião de critica em relação a este povo !!!!!!

    • Odin

      E defendo o direito de existência do Estado Sionista de Israel sim. E com língua hebraica e tudo. Quanto aos ciganos, são eles que rejeitam os habitantes nativos das terras por onde migram. São eles que discriminam. Aí, não posso discordar do Sarkozy e de outros líderes europeus. Também não desejo mal à eles, mas eles têm que compreender que não são donos da verdade, e nem estão acima do bem e do mal.

  9. Otus scops

    este assunto é um “fait-divers” sem importância, serve apenas para entreter o povo:
    1- os ciganos não são uma ameaça à soberania de qualquer estado
    2- a direita, sobretudo populista, faz uma demonstração de força (usualmente forte com os fracos e fraca com os fortes) muito do agrado de largas franjas da população, nomeadamente em tempos de crise, inventa-se um bode expiatório. é uma receita muito antiga…
    3- a esquerda vem com a treta do multiculturalismo e do ataque aos direitos humanos mas não dá soluções (os ciganos são muitas vezes um problema social localizado) nem actua com acções concretas no terreno.
    4- quando as coisas acalmarem regressa tudo ao mesmo, a hipocrisia da esquerda e a intolerância da direita ficaram quietas até à próxima vez que os ciganos “voltarem a fazer das suas”…

    esta entrevista é muitíssimo interessante sobre este assunto, dá uma visão muito diferente sobre este povo desconhecido:
    http://tv1.rtp.pt/antena1/index.php?t=Entrevista-a-Jose-Pereira-Bastos.rtp&article=2286&visual=11&tm=16&headline=13

    o mundo ficaria bastante mais pobre sem eles, aqui fica um exemplo:

    “aí mãeêêê” 🙂

  10. O ranço preconceituoso aparece nas defesas destas políticas erradas este presdidente frances, q é ” filho de imigrantes”, até parece com os nazis SSioniSStras, dois rotos falando do esfarrapado.A ONU deverria já estar tomando medidas contra esses países intolerantes. Sds.

    • Otus scops

      o esfarrapado inventou também uma nova figura jurídica, o cidadão intermitente (a expressão não é minha), o naturalizado a prazo. se cometer um crime retiram a cidadania…

    • joão dias

      E que tal enviar todos os ciganos para a casa do SRº Carlos Argus ? Ai iria-mos todos vêr quem era o ” ranço preconceituoso ” .
      Pimenta nos olhos dos outros , é agua de malvas para mim !!!!

  11. Brasileira Sim

    Sei que, o vou postar aqui foge um pouco da temática acima debatida, mas como lidar com as diferenças e com os diferentes parece ser a maior preocupação da sociedade globalizada; coloco aqui este link sobre uma manifestação q ocorrerá dia 19/09/2010: A Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, em Copacabana (Rio de janeiro) O Estado brasileiro é laico, porém, já existem alguns grupos querendo pleintear maior domínio no campo religioso.
    http://extra.globo.com/geral/religiaoefe/posts/2010/09/18/religiosos-convidam-para-3-caminhada-em-defesa-da-liberdade-de-credos-325528.asp
    Quanto aos ciganos acredito q tbm eles devam respeitar as leis e costumes dos locais onde se fixam, mesmo q temporariamente, até porquê quem quer liberdade deve ser o 1º a respeitar os limites alheios. Qualquer sociedade deve ter o bom senso e ponderar onde estão os abusos de ambas as partes, sou contra qualquer “ismos”; até pq acredito na igualdade de todo ser humano, pelo q observo a crise financeira fez com que os loucos radicais convocassem mais e mais seguidores. Até aqui no multiétnico, multiracial Brasil encontramos os radicais de ultradireita e skinheads, prontos p/ massacrar qualquer outro grupo q julguem inferior. Sempre se procurou “Cristos” p se crucificar, basta um regime político ou a econômia começar a implodir q se torna necessário um bode expiatório, hoje ciganos, amanhã podem ser mulçumanos, depois negros, assim por diante; haverão sempre os bodes da vez.

  12. Otus scops

    “ué” ninguém da galera pega na minha pergunta??? estranho…

    qual é a actual situação dos Índios no Amazonas no que à discriminação, protecção, direitos territoriais e direitos humanos???

    a morte de Chico Mendes valeu a pena ou não???

  13. ionela crasuc

    coitados por passarem por essa miséria!! eles já passam miséria na Roménia, pé los vistos são ciganos romenos e la os ciganos sofrem muita pobreza e muita discriminação por parte do resto dos cidadãos que não são ciganos! eu sei o que digo porque eu também sou de nacionalidade romena e doí-me o coração ver o sofrimento de alguns seres humanos! eu estou imigrante também, mas consegui arranjar trabalho e tenho uma vida normal, não sou pobre ,mas também não sou rica! e penso eu,que se eles quisessem trabalhar é impossível não encontrarem nada,é que alguns deles não querem mesmo trabalhar, preferem pedir nas ruas e roubar,seja onde forem, em Portugal ou na Roménia! vão em Roménia depois de chegada deles e vem que as condições não são melhor, são exactamente igual ou pior, são as que eles os fazem! porque a maioria deles não quer trabalhar! eu espero que Deus os ajude!!!

  14. quem é safado nessa história , é o Governo da Romênia , que deixa o Abacaxí nas mâos da Europa , e no entanto, tacando no bolso a ajuda financeira da Europa !

    • Sem dúvida: isso mesmo aliás tem sido em dito nas mais altas instâncias europeias. Tanto mais que se sabe que os grande chefoes das mafias migratorias vivem impunemente e à vista de todos na Roménia.
      A decadencia da UE começou de facto quando (cedendo a pressões alemãs) se admitiu a entrada desses paises, muito antes do que eles estavam prontos para entrar.

Deixe uma Resposta para Otus scops Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: