Fernando Nobre: “É bom e urgente que se estabeleça um diálogo intercultural e religioso eficaz”

Fernando Nobre (http://www.oribatejo.pt)

Fernando Nobre (http://www.oribatejo.pt)

“É bom e urgente que se estabeleça um diálogo intercultural e religioso eficaz, que se criem pontes de diálogo que levem ao conhecimento e à aceitação do “outro” na sua legitima diversidade.”
Fernando Nobre, Humanidade

A maior razão para a autêntica “guerra religiosa” que hoje separa o Islão proselitista do resto do mundo é, de facto, a incapacidade demonstrada por todos os fanatismos religiosos (muçulmanos ou cristãos) em compreender que possam existir outros pontos de vista, outras opiniões e formas de estar na vida diversas daquelas que adotámos como nossas.

É certo que a simplicidade ritual que distingue o Islão das outras “religiões do Livro” (Judaísmo e Cristianismo) pode levar – numa leitura mais rápida e menos profunda – a uma adesão a uma forma de religião mais literal e particularmente intolerante, que em muitos aspectos faz lembrar o radicalismo cristão que caracterizou o cristianismo católico na Idade Média europeia. O Islão assim, hoje, aparece como uma religião mais intolerante e menos respeitadora dos direitos e simples existência do Outro, do que qualquer uma das outras grandes religiões do mundo. Mas atenção… o extremismo não é exclusivo de nenhuma religião e quer torná-lo em tal, é em si mesmo, uma forma de exclusão do Outro, assumindo assim no processo a mesma atitude intolerante que se quer reconhecer no Islão.

Categories: Fernando Nobre, Política Nacional, Portugal | 6 comentários

Navegação de artigos

6 thoughts on “Fernando Nobre: “É bom e urgente que se estabeleça um diálogo intercultural e religioso eficaz”

  1. Otus scops

    percebo a ideia e concordo com ela no geral, mas que me tirar o São Presunto e o Sagrado Panteão dos Enchidos, ter-se-á que haver comigo:
    http://www.ionline.pt/conteudo/94804-aluno-muculmano-denuncia-professor-falar-presunto-aula

    • este Islão é capaz de cada radicalismo… a sua simplicidade é a raiz do seu sucesso, decerto. Mas também induz a este literalismos.

    • Odin

      Queria só ver o que o Otus Scops faria a um islâmico radical que fosse proibi-lo de comer presunto, carne de porco e derivados… 😀

      • não sei! as corujas só comem ratos, acho eu! 🙂

        • Otus scops

          no meu caso, prefiro presunto!!!
          pode ser um Bellota ali de Guijuelo ou um qualquer Pata Negra genuíno! hú, hú
          😉

          p.s. – os ratos ficam para os islâmicos

      • Otus scops

        Odin

        “Queria só ver o que o Otus Scops faria a um islâmico radical que fosse proibi-lo de comer presunto, carne de porco e derivados”
        1. fazia uma fogueira par fazer brasas
        2. cortava umas fatias fininhas de presunto
        3. punha uma tábua de queijos tradicionais portugueses (4-5 variedades é suficiente)
        4. abria um garrafa de tinto
        5. cortava uma série de fatias de pão para uma cesta (3 variedades chega)
        6. entretanto as brasas já devem estar e coloca umas boas costeletas do cachaço (as que gosto mais) a grelhar devagarinho
        7. enquanto grelhavam íamos comendo o presunto, os queijos e o pão
        8. comia-mos as costeletas acabadinhas de grelhar. para finalizar o tinto podiamos degustar um sericaia (galera do Brasil – não confundir com ciririca, hein?) e ou uma encharcada
        9. se nesta altura o islâmico ainda estivesse armado em parvo ou em esquisito dava-lhe um pontapé no cú dizia-lhe para ir até Meca a pé…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: