A novela dos “Patrulhões” (NPO) continua…

Arma principal (e única) dos Patrulhões (http://dn.sapo.pt)

Arma principal (e única) dos Patrulhões (http://dn.sapo.pt)

A novela dos “Patrulhões” continua… O primeiro navio, construído nos Estaleiros de Viana do Castelo, está já há mais de um ano em testes e ainda que a Marinha venha agora admitir que espera receber o navio no seu (cada vez mais escasso) inventário “em breve” a verdade é que tal entrega ainda não aconteceu.

Este “Patrulhão” será o primeiro de oito navios a construir em Viana do Castelo, navios que serão absolutamente cruciais para que as missões que eram até à bem pouco tempo cumpridas pelos 12 navios que durante apenas 4 anos, a Marinha já abateu aos seus efetivos e que como certamente se adivinhará corresponderam a sua redução da sua capacidade efetiva, algo especialmente grave num país de tradição marítima e com a extensa (e rica) Zona Económica Exclusiva de Portugal.

A causa dos problemas dos “Patrulhões” estão bem identificados. Logo desde o início, não houve uma clara percepção da complexidade dos sistemas embarcados nos navios e sem que existisse essa experiência em Portugal, foram cometidos varios erros que depois fizeram valer o seu peso. Nomeadamente, tornando os navios demasiado pesados e preenchendo demasiados espaços no seu interior.

A entrega dos novos navios vai permitir à Marinha uma redução dos seus custos operacionais, porque os navios que hoje utiliza (e que serão também depois abatidos) têm elevados custos de manutenção devido ao facto de alguns – como os patrulhas Cacine – terem já mais de 40 anos.

Atualmente, a Marinha Portuguesa tem um dispositivo naval de vigilância da costa composto por 3 patrulhas (já foram 10) um navio balizador e 5 corvetas (já houve 10). Seriam estes 10 navios que seriam substituídos pelos 8 “Patrulhões”, custando os dois primeiros, o ‘Viana do Castelo’ e o ‘Figueira da Foz’, contratados em 2003, cerca de 150 milhões de euros. “Seriam” porque ainda não foram, com grave prejuízo para a capacidade de vigilância marítima na nossa costa e grande vantagem para contrabandistas, pesqueiros ilegais, petroleiros com lavagens ilegais de tanques e toda a demais cáfila de meliantes que agora a Marinha já não consegue interceptar.

Fontes:
http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1627475
http://www.gforum.tv/board/1513/403944/patrulhoes-sem-entrega-marcada.html

Categories: DefenseNewsPt, Defesa Nacional, Política Nacional, Portugal | Etiquetas: | 27 comentários

Navegação de artigos

27 thoughts on “A novela dos “Patrulhões” (NPO) continua…

  1. HSMW

    Que agora são apenas 4 corvetas em serviço, pois a portaria n.º 595/2010 determina “Passar o NRP «General Pereira d´Eça» ao estado de desarmamento para abate a partir de 25 de Junho de 2010. ”

    O que torna cada vez mais urgente a entrada em serviço destes navios.

  2. bonito! sempre a cair!
    e mesmo quando os ditos estiverem operacionais, o seu fraco valor militar já representará uma grave queda da capacidade operacional!

    • Cabecinhas

      Se são navios de fiscalização para quê apetrecha-los e torná-los excessivamente caros em armamento. O que é importante que tenham é capacidade de fiscalização, para combate temos as fragatas.

  3. Teseu

    Para que queremos a expansão da ZEE, se não temos como a vgiar? A verdade, verdadinha, é que desde Paulo Portas que não há um ministro da Defesa que invista. até me lembro de um missil que estava na calha, com designação de “Luso”, que estava prestes a suprir as nossas necessidades de projeteis de curto alcanse. eu que não sou PP, tenho de reconhcer que as Forças Armadas ficaram a dever muito a este homem.

  4. ora bem. Também não sou portista, nem do PP, mas já escrevi várias vezes que continuo a considerar (apesar dos erros dos contratos dos submarinos) o seu consulado nesse ministério como o melhor das últimas décadas.

    • Otus scops

      ” …seu consulado nesse ministério como o melhor das últimas décadas”
      peço esclarecimentos: melhor em quê???

  5. em vários itens… especialmente notável num governo medíocre (como o de Fujão Barroso). Por alto: cancelamento da presença no A400M, Substituição das Chaimite, Helis pesados Merlin, Expansão da ZEE, programa MLU.
    Pontos fracos? Incerteza quanto à substituição dos Hercules e opção pela arma submarina a favor da renovação da frota de superfície.

    • Otus scops

      ???
      cancelamento na presença do 400M??? isso é alguma coisa positiva, sair a meio do projecto do melhor avião de transporte militar da história??? discordo por tudo, credibilidade do país, perda de contratos de fornecimento, perda da possibilidade de desenvolvimento tecnológico.
      substituição das Chaimite, belo trabalho! basta ver a imprensa de hoje. um autêntico logro.
      os Merlin??? igualmente ruionoso, não foi acautelada a manutenção, metade da frota está no chão. simplesmente ruinoso!
      expansão da ZEE??? mérito no quê??? isso foi um assunto lançado pela ONU e que por mero acaso surgiu no consulado dele. se ele iniciou quem concretizou foi o actual (e anterior)governo PS.
      programa MLU??? os americanos lançaram os kits e Portugal aproveitou pois os aviões corriam o risco de ficarem sem efectividade, não podiam sequer cumprir com o padrão NATO.
      quanto ao contrato dos submarinos nem é necessário falar mais, é vergonhoso!
      prometeu mundos e fundos aos ex-combatentes para ganhar as eleições a qualquer preço e… perguntem-lhes e depois digam-me a resposta.
      e ainda falta saber o que este TRAIDOR da pátria andou a fazer na vespera de abandonar o ministério com os milhares documentos que fotocopiou e levou para casa.

    • Teseu

      Foi ainda este que iniciou o processo de substituição da G3.

    • Otus scops

      se iniciou, desconhecia que foi ele, não passou disso, como vários projectos.
      pelos vistos, o Paulinho das Feiras iniciou muita coisa e ainda não vi nada concluído ou que tivesse sido feito como mandam as regras, o estado português foi prejudicado grandemente em todos os projectos que lançou.
      fê-lo sem nenhuma “consciência situacional”, Portugal tinha uma política contida de gastos e veio de repente o alquimista inventar dinheiro para tanto reequipamento e querer entrar na história – já que não cumpriu serviço militar.
      isto é muito antigo, “ficou com a fama” mas proveito para os outros pouco.

  6. HSMW

    E a gestão do acidente do “Prestige” quando o queriam empurrar para Portugal.

    Montagem da viatura substituta da Chaimite em território nacional.

    Mas iniciativa da construção dos NPO e navios de combate à poluição foi em que governo?
    Talvez se tivessem sido construídos na Alemanha ou se o governo não tivesse mudado não haveria este atraso.

    • Otus scops

      HSMW

      “…a gestão do acidente do “Prestige” …” qual é a admiração???
      fez aquilo que lhe competia e mais nada, não é passível de comentário elogioso. seria INADMISSÍVEL que qualquer ministro da defesa ou qualquer outro político português não actuasse assim.

  7. sim, é verdade, mais pontos positivos.
    sendo que os problemas atuais com os Pandur recaem mais sobre a empresa portuguesa do que com a decisão ou negociação propriamente dita.

    • AC

      Isso não é verdade.
      Os problemas recaem fundamentalmente sobre a empresa austriaca, que parece não ter dimensão para gerir o projecto. E sobre a casa-mãe dela (General Dynamic Land Systems) que parece não estar nada interessada em ajudar a subsidiária..

  8. Otus:
    “cancelamento na presença do 400M??? isso é alguma coisa positiva, sair a meio do projecto do melhor avião de transporte militar da história??? discordo por tudo, credibilidade do país, perda de contratos de fornecimento, perda da possibilidade de desenvolvimento tecnológico.”
    > Mas olha só os problemas que o projeto teve e tem, e sobretudo, o disparar dos seus custos!
    > Não é melhor para o pais – a todos os títulos – ingressar a pleno no KC-39?

    “substituição das Chaimite, belo trabalho! basta ver a imprensa de hoje. um autêntico logro.”
    > Não é culpa de Portas… Mas da empresa portuguesa que os está a montar e que não parece ter (ainda) o know-how suficiente. Note-se que existe aqui incumprimento por parte da Steyr que pode ser inteligente usado a favor do país. Ao contrário do que sucedeu com os submarinos, pelo que no fim, podemos até ficar a ganhar, com uma redução de preço ou um aumento do n~de viaturas. Depende do poder negocial do Estado!

    “os Merlin??? igualmente ruionoso, não foi acautelada a manutenção, metade da frota está no chão. simplesmente ruinoso!”
    > Sim, aí houve um erro, admito. Mas seguem sendo o melhor heli do mundo na sua classe…

    “expansão da ZEE??? mérito no quê??? isso foi um assunto lançado pela ONU e que por mero acaso surgiu no consulado dele. se ele iniciou quem concretizou foi o actual (e anterior)governo PS.”
    > Geriu-o bem… com o ROV, mandando mapear a ZEE, etc.

    “programa MLU??? os americanos lançaram os kits e Portugal aproveitou pois os aviões corriam o risco de ficarem sem efectividade, não podiam sequer cumprir com o padrão NATO.”
    > Antes MLU que F-16A, que era o que tínhamos antes!

    • Otus scops

      CP

      “> Mas olha só os problemas que o projeto teve e tem, e sobretudo, o disparar dos seus custos!
      > Não é melhor para o pais – a todos os títulos – ingressar a pleno no KC-390?”
      sem dúvida que teve problemas mas terminaram. o problema agora é as encomendas e está tudo a encolher-se. mas não objectaste nenhum argumento. e o 400M é uma máquina única, as suas características são fabulosas.
      mas o Paulo Portas não o deve ter feito estrategicamente, nessa altura não existia KC-390. ou será que ele já sabia?
      e quem te garante que o KC-390 não vai dar bronca também???
      ainda ninguém me convenceu que o KC-390 é um substituto para o Hércules C-130. no papel pode ser, com a vantagem de ser mais rápido, mas como é a aterrar e levantar em pistas curtas? todos sabemos da proverbial capacidade das aeronaves a hélice de ganharem sustentação de forma mais eficiente em relação aos jactos.
      e como vai ser um motor a turbinas com pistas cheias de pó??? este então é que me causa sérias dúvidas. inclusive nem serve para o Brasil, pois possui uma quantidade de aérodromos de manobra em terra batida e dúvido que o KC-390 de lá levante…
      quanto à nossa industria o 400M também prometia, mas pode ser que seja melhor com o KC-390. mas de todos os negócios que ele fez o interesse da industria é coisa que nunca ficou acautelado, não concordas???
      mas eu não quero levar o assunto para 400M versus KC-390, são coisas diferentes e até complementares. se tivessemos ficado no 400M poderiamos até usar esse know-how para desenvolver melhor o KC-390.

      Pandur – “Não é culpa de Portas…” quem escolheu o fornecedor e o modelo de negócio??? – “não havendo cumprimento do fornecedor, o Estado português pode, naturalmente, utilizar todos os instrumentos que tem ao ser dispor na lei e no contrato.” http://www.ionline.pt/conteudo/72477-pandur-e-o-incumprimento-do-fornecedor-que-poe-em-causa-empregos . ok, queres um eufemismo? então eu não o culpo, responsabilizo-o…

      Merlin – concordo com tudo o que disseste!

      ZEE como disse ele foi apenas mais um elo na cadeia, não tem mérito especial. se fossem outros de certeza que fariam o mesmo.

      F-16, concordo com tudo o que disseste! (mas não rebate o que disse dele)

      irrita-me esta mistificação do consulado da P.Portas. não falaste dos documentos nem dos ex-combtentes, porquê?
      o que se passou foi o completo desvario na Defesa, o político das feiras e das peixeiras a brincar à guerra. de estrutural nada. a Manutenção Militar agonizou, a Fábrica de Polvora em Moscavide foi vendida e agora estão a construir um gigantesco condomínio de luxo paredes-meias com a Expo (onde é que eu já vi este filme?), as OGMA passaram muito mal, nem sei que dizer, um desastre.
      nota-se muito que não gosto do gajo??? 😉

  9. E o custo explosivo do A400M? Será suportável para um país como Portugal? Pois se até os “países ricos” estão a reduzir os números de encomendas (o que levou aliás o CEO da EADS a ameaça suspender todo o programa)
    Do que sei, o A400M é tecnicamente superior ao KC-390. Mas a que preço e a que relação custo-eficiência? Essa é que a questão…
    Continuo a achar que Portas – em muitas questão é um populista oco e um demagogo – mas fez muito mais à frente do MD do que todos os que o precederam e que todos os que se lhe seguiram! Logo também não gosto dele, mas… tenho que admitir onde acertou.

    • Otus scops

      “e até os “países ricos” estão a reduzir os números de encomendas ”
      para quê as aspas, são os países mais ricos, sem dúvida!
      estão a reduzir em tudo!!! o mal não é do 400M, é das finanças… quanto ao custo-eficência não sei, tu sabes? e como disse também, que garante que o KC-390 não segue pelo mesmo caminho???
      continuo sem ver méritos especiais no Portas, pelo contrário. chama-se a isto subjectividade… 😉

    • AC

      “Explosivo” é um termo um bocadinho forte.

      Apesar de todo o mediatismo, neste momento, os paises parceiros no A-400M estão confrontados com um atraso de 5 anos e uma derrapagem de 25% no custo.
      Não é muito mau, para um projecto militar.

  10. Otus scops

    obra de arte:

    O A400M é uma nova aeronave de transporte militar projetada para atender as necessidades das Forças Armadas do século 21. Graças à sua mais avançada tecnologia, é capaz de voar mais alto, mais rápido e chegar mais longe, sem perder a mobilidade, ou diminuir a sua capacidade a baixas velocidades em pistas curtas, suaves ou não pavimentadas. É ideal para missões táticas e estratégicas ou logísticas, bem como para operar como avião-tanque. Com seu compartimento de carga especialmente concebido para transportar os pesados equipamentos atualmente empregados em missões militares, humanitárias e de socorro em desastres naturais, a aeronave pode levar esses materiais rapidamente aonde são mais necessários. Projetado para ser extremamente confiável e extremamente robusto, o multimissão A400M pode fazer sozinho o trabalho de três modelos diferentes de aeronaves atualmente em serviço. Isso se traduz em frotas menores e na necessidade de um menor investimento por parte do operador. Capaz de fazer mais com menos, a aeronave de transporte militar A400M é a mais econômica, eficaz e versátil jamais concebida, e absolutamente única em suas capacidades.

    http://www.defesanet.com.br/10_08/100804_06_adn_a400m.html

  11. sim, será um excelente aparelho, na sua classe, mas o seu preço unitário é 3 vezes superior ao do C-17, aliás, é tão caro que optar por este aparelho vai criar uma série redução de capacidade nos países que o adotarem! Custo-Benefício!
    http://www.theregister.co.uk/2010/01/06/a400m_cancellation_bluff_enders/

    • Otus scops

      é sem dúvida um excelente aparelho, provavelmente o melhor e por isso tenho pena que não venha a ter sucesso. mas que o projecto derrapou isso é um facto parece que agora é moda exº F-35.
      estive a ver na wikipedia e o custo do A400M actualmente cifra-se em 140.000$. o C-130 em 65.000$ e o C-17 em 190.000$.
      tirando os aspectos técnicos como carga máxima e autonomia´, o 400M reune o melhor dos dois mundos, para teres um desempenho operacional a uma frota de A400M terias que fazer um mix de C-17 e C-130 com custos de manutenção e operacionais mais elevados pois seriam duas plataformas, em vez de uma.
      admito perfeitamente que o KC-390 seja mais adequado para a FAP.

      agora o assunto PPortas:
      assunto do dia http://coisasdomr.blogspot.com/2010/07/m224-velha-metralhadora-portuguesa-fbp.html e http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/portas-vende-arma-ao-desbarato .
      “o seu consulado nesse ministério como o melhor das últimas décadas.” ???
      sem mais comentários… 😉

  12. ok!…
    acordemos em discordar, então!

  13. Macedo Pimentel

    Artigo sobre os NPO no blog barco a vista: http://barcoavista.blogspot.com/2009/07/navios-de-patrulha-oceanico-classe.html

  14. p44

    corrijam lá isso, 500 milhões de euros cada NPO é um absurdo!!!!

  15. EF

    O objectivo é entregar o pais a castela, dai a redução dramática das forças rmadas.

    somos desgovernados por traidores iberistas, socrates é um miguel de vasconcelos, os portugueses tem que abrir os olhos.

    Não é só no ps que isto vai mal, o meneses já esta tambéma alinhado com o idearioiberista, defende tgv, defende o ensino do castelhano em portugal e assumiu-se como militante pro-peninsular.

    tudo isto faz mais sentido quando os castelhanos os meteram á frente da organização do noroeste penisnular, criada a preceito dos interesses castelhanos de modo aprender pelo beiço os regionalistas fanaticos do porto, para que estes pensem que podem ressuscitar a galecia.

    Veja este video para ver qual o objectivo destes trastes do porto, destes regionalistas fanaticos.

    Por isso é que nunca se pode deixar regionalizar os pais no mapa das 5 regiõe,s com esse perigoso norte.

    Obviamente que socrates e os iberistas que dsgovernam portugal alinhados com castela, os traidores vão fazer de tudo para dar oa porto poder sobre tudo acima do douro, para assim destruir portugal e lançar o pais numa guerra norte sul.

    quem se vai aproveitar é castela, que nos vai deitara luva, o objectivo da regionalização no maa iberista das 5 regiões é mesmo este, condizir os portugueses à iberia.

    Por isso nunca se pode permitir que o pais seja dividido no mapa iberista das 5 regiões dando poder ao porto sobre tudo acima do douro.

    em 20 anos estes estes meneses, pintos da costa, carlos abreu amorim ecompania limitada faziam uma lavagem ao cerebro oas tranosmtanos e minhotos e destruirm portuhal.

    Para aelm disosnão esquecer que os transomntanos são grandes patriotas e não querem misturas com estes tipos do porto.

    cumprimentos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: