Angola vai modernizar as suas forças armadas com material chinês

Angola está a ponderar utilizar a China como fornecedor principal da modernização das suas forças armadas. Isso mesmo declarou recentemente o general Francisco Furtado, Chefe de Estado Maior do Exército Angolano em finais de maio de 2010. Numa visita a Angola do Chefe de Estado Maior do exército chinês, Chen Bingde, o general angolano declarou que “Decorrem estudos sobre o reequipamento e modernização das nossas forças, tendo em vista a cooperação entre as nossas forças armadas… e a indústria de Defesa da China”. Durante a visita, o general chinês entregou em mãos equipamento informático no valor de 805 mil euros ao exército angolano e empenhou-se em reabrir negociações tendo vista essa cooperação militar e venda de equipamento que começaram em 2008.

Atualmente, é relativamente comum encontrar trabalhadores e técnicos chineses um pouco por todo o território angolano, já que estão presentes na maioria das obras de reconstrução que decorrem agora com grande intensidade nesse país lusófono do Sul de África. No total, estima-se que Pequim já terá emprestado a Luanda mais 8 biliões de dólares, para financiar estes projetos de reconstrução, embora as cifras oficiais sejam consideravelmente inferiores, de apenas 5 biliões de dólares… Toda esta dívida está a ser paga em géneros, em petróleo, para ser mais exato.

O exército angolano tem uma pequena marinha, uma força aérea relativamente moderna e bem equipada, mas um exército que apesar de bem treinado e comandado está equipado com equipamento muito diverso e obsoleto. Os seus efetivos ascendem a 55 mil homens e tem destacamentos permanentes no Congo e no Congo-Brazaville.

A maior carência do exército angolano reside nos seus meios blindados. Dos quais, apenas os 22 T-72 são relativamente modernos. Há depois 18 T-62 e mais de uma centena de envelhecidos T-55. Os meios blindados de transporte de pessoal são da mesma época (soviética e ucraniana) e apenas têm meios relativamente modernos nos 62 BMP2 (de origem polaca) e nos 70 BTR-80 (soviéticos). Os restantes meios (raros para um exercito de 55 mil homens) sao apenas 180 APCs ainda mais antigos. São estes meios blindados que a China se oferece agora para modernizar ou substituir…

Fontes:
http://wocview.wordpress.com/2010/05/28/in-africa-angola-mulls-chinese-military-deals/
http://jornaldeangola.sapo.ao/20/0/exercito_com_ajuda_da_china
http://en.wikipedia.org/wiki/Angolan_Armed_Forces

Anúncios
Categories: China, DefenseNewsPt, Lusofonia | Etiquetas: | 9 comentários

Navegação de artigos

9 thoughts on “Angola vai modernizar as suas forças armadas com material chinês

  1. HSMW

    Infelizmente com material chinês… Conhecidos pela sua péssima qualidade de construção, começando pelas fragatas da classe Naressuan vendidas à Tailândia até aos caças recusados pela própria PLAAF.

    Angola continua a ser explorada… É assim o neo-colonialismo.

    E Portugal continua a olhar para o outro lado.
    Para o lado errado enquanto for governado por esta classe de contabilistas/políticos medíocres.

  2. Odin Borson

    Nada contra Angola querer modernizar as suas armas. Mas, não seria melhor comprar de outro país equipamentos mais atualizados? Comprar alguma coisa dos EUA, da França, Inglaterra…
    Bom, Angola é soberana pra decidir o que quer pra si…

  3. mas a China vende qualquer coisa, sem restrições desde que o cliente pague, enquanto que no Ocidente há critérios de “boa governança” implícitos… algo a que o regime de Luanda prefere não se submeter… sabe-se lá porquê!

  4. Considerando a influência chinesa na Africa, isso não chaga a ser uma surpresa, infelizmente muitos países lusófonos, vão estar fora dessas negociações, esses poderia ser uma boa oportunidade para promover a integração em uma área vital para qualquer país moderno.

    E de fato a china não e conhecia pelo seu esmero na qualidade, mais sim pela quantidade que nem sempre quer dizer que eficiência.

    http://landcombatcb.blogspot.com/2009/04/o-poder-belico-chines-preocupa-os-eua.html

  5. de facto… a China é hoje o primeiro fornecedor a regimes tão dúbios como os dos Sudão ou do Zimbabwe…

  6. Isso é verdade eles só não fornecem armas ao cartel de cartel de tijuana, isso é exclusividade dos Estados Unidos, fora isso fornecem armas a qualquer um sem qualquer critérios objetivo.

    http://es.wikipedia.org/wiki/C%C3%A1rtel_de_Tijuana

  7. é verdade. a política externa chinesa tem essa característica: é amoral. O que agrada muito aos regimes tirânicos e ditatoriais…

  8. Enoque Eduardo Rodrigues Bongue

    penso que a china nao dispoe de material belico de grande gabarito.pelo nivel de qualidade e performar-se que as forcas armadas angolanas porque que nao mantemos a cooperacao com a russia e os estados unidos da America a nivel do exercito

  9. Otus scops

    sinceramente espero que Angola compre mais material chinês e que continue a construir muitas coisas com os chineses (veja-se o que aconteceu no novo hospital de Luanda http://www.publico.pt/Mundo/retirados-doentes-do-hospital-geral-de-luanda-prestes-a-desabar_1445487 ) porque assim “vem tudo abaixo” e a febre chinesa pode ser que passe.
    depois vamos todos os que sabemos do assunto reconstruir tudo mas com o preço certo, é que a qualidade paga-se…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: