Os idiotas dos Ratings querem mais. Muito mais, de facto. Aliás, querem tudo, mesmo.

Os cortes anunciados não satisfazeram esses “Senhores altos e loiros” (Agostinho da Silva). Eles querem mais…

Estes imbecis, que não viram nada da Bolha do Subprime, e que andaram anos a dar ratings suspeitosamente generosos (ou cúmplices) a Bancos e Fundos de Investimento que toda a gente sabia sobrevalorizados, agora, largaram as dentuças contra os Estados do Sul da Europa. E nós, estamos no lote de carne que querem comer. Agências como a deste idiota germânico estão a arruinar a vida de milhões de pessoas a troco de Ratings que toda a gente sabe não terem fundamento. É certo que muitos Estados europeus (Portugal incluído) exageram na Dívida, mas considerarem que Portugal tem mais hipóteses de falirem do que o Iraque, Singapura (117%) e o Japão (192%) que têm uma Dívida bem maior que a Portuguesa (75%)!… Porque não estão estes Estados no foco destas agências!?

Anúncios
Categories: Economia, Política Internacional, Política Nacional, Portugal | 9 comentários

Navegação de artigos

9 thoughts on “Os idiotas dos Ratings querem mais. Muito mais, de facto. Aliás, querem tudo, mesmo.

  1. Teseu

    Como dizem os gregos “People of Europe, UNITE!”

  2. LuisM

    Eles são tudo menos idiotas. Claramente fazem parte de uma estratégia que está a penalizar o Euro face às fragilidades do Dólar postas a descoberto por esta crise. Tem também a ver com as recentes intenções dos BRICs abandonarem o Dólar como moeda de câmbio. Estes senhores decidem os ratings a atribuir a cada país após…se reunirem em sala fechada! Sabe-se lá com que critérios e interesses. Obviamente que isto não desculpa as barbaridades que fizemos e continuamos a fazer, mas como pertencemos ao elo mais fraco estão a pegar-nos por isso!

    • Otus scops

      caro LuisM

      os BRICs nunca quiseram abandonar o dólar. o único que mudou a sua política de alinhamento monetário foi o Brasil, que passou a incorporar PARTE (não sei qual a percentagem) da sua reserva o €uro, mantendo na mesma o dólar. quanto á Rússia e à Índia não sei, mas a China é o maior credor dos EUA e se o dolar estoirar a China vai na atrás.

  3. são idiotas porque não viram o subprime até este lhes estourar na cara…
    e a falta de transparẽncia (e interesses pessoais) são a maior crítica que se lhes pode apontar, assim como o cumprimento dessa agenda secreta que toda a gente sabe que eles têm…
    solução: processos judiciais massivos dos Estados afectados contra estes tubarões, até os falir.

  4. Rui Montenegro

    Era de prever que com o desastre da nossa politica económica ,não só deste governo, mas igualmente dos que lhe antecederam,tarde ou cedo iríamos caír nas mãos dos especuladores. Agora é tarde pois modelo económico bem como o capitalismo (doutrinamente falando) estão gastos e quanto a isso nada há a fazer a não ser adiar uma morte anunciada ao sistema.
    O que me continua a espantar é que o nosso governo sabe que é inevitável uma ruptura com o modelo económico actual e continua a falar aos Portugueses como se de uma cambada de atrasados mentais se tratassem. E não é que a maioria ainda continua a acreditar ? INACREDITÁVEL ( passe o pleunasmo ), somos mesmo uns tansos que alegremente batemos palmas ao campeonato do mundo de futebol enquanto o País se desfaz.

  5. Judas

    ->”Portugal tem mais hipóteses de falirem do que o Iraque, Singapura (117%) e o Japão (192%) que têm uma Dívida bem maior que a Portuguesa (75%)!… Porque não estão estes Estados no foco destas agências!?”

    A poupança nacional bruta japonesa é de 27% e o investimento cerca de 23% do PIB, o que permite libertar capitais excedentes para emprestar ao exterior. O estado japonês é muito gastador mas o sector privado é muito poupador e consegue financiar o défice do seu estado e ainda os de outras economias deficitárias. O problema maior da nossa finança não tem a ver com à dívida pública elevada, mas com a incapacidade do sector privado português de a financiar.
    O nosso sector privado tem um endividamento na ordem de 250% do PIB, e sendo o investimento nacional também na ordem de 23%(como o japonês), a nossa poupança é de cerca de 13%. Esta diferença de aproximadamente 10% entre investimento e poupança corresponde às necessidades de financiamento de Portugal no exterior.
    E esta é uma visão simplificada do estado das coisas. Não se pode analisar economias com base em défices públicos e tirar conclusões como se de repente todos fossemos economistas. A verdade é que economia nacional está de rastos e os especuladores atiram-se a nós como os leões fazem com as manadas de búfalos: escolhem a presa mais débil! Nós é que nso pusemos a jeito.

  6. sim, o problema da poupança, ou melhor, da falta da mesma é uma parte importante deste problema.
    e sem medidas consistentes de incentivo à mesma, não haverá jamais para o problema da dívida, assim como também faltam medidas de contenção do envidividamento de consumo (sobretaxas) e uma Lei das Rendas que resolva de vez esta obsessão nacional por “casa própria”.

  7. paulo dias

    A culpa não é destes imbecis , a culpa é dos imbecis dos Portugueses que se meteram a jeito desta gente com sede por dinheiro fresco a qualquer custo , e não foi por falta de aviso , os nosso governantes foram avisados !!!!
    Quanto a paises como Iraque, Singapura (117%) e o Japão (192%) que têm uma Dívida bem maior que a Portuguesa (75%)!… , não se esqueça que o iraque é um dos maiores produtores de petroleo do mundo , singapura e japão são dos paises com maior indice de exportações do mundo , qualquer um desses paise tem um fundamento solido que lhe permite pagar a sua divida ao exterior , é para isso , que os abutres destas empresas olhão , quanto a Portugal , qual é o nosso indice de produtividade ? Baixo , qual é o noso indice de exportaçõs ? Baixo TAMBEM . A culpa é dos imbecis dos portugueses que quiseram gastar mais do que produzem , somos uns miseraveis com a mania que somos ricos !!!!
    A culpa não é deles , a culpa é toda NOSSA , dos portugueses !!!

  8. Odin Borson

    Caros colegas! Eu acredito que as agencias de rating tão agindo de má fé em relação aos países do sul da Europa sim. Eu posso até ser ingenuo, por afirmar isso. Não vou negar que os países do sul da Europa e a Irlanda gastaram demais. Mas no meu ponto de vista, Portugal é vítima sim. Sou capitalista, mas acho que deve haver bom senso, não se deve sacrificar tanto os países e seus habitantes por causa de lucros. Portugal não é caso perdido. As tais agencias de rating querem faze-lo ser na marra. Alguém por trás delas acha que tem muito a ganhar com a derrota do povo português.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: