Daily Archives: 2010/04/27

Quids S19: Quem fabrica este engenho?

Regras:

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 21:00 e as 24:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30) ou mais cedo, se possível. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 20 pontos.

6. A qualquer momento, poderão sair “QuidsExtra” de texto ou de imagens, com as mesmas regras dos demais, mas sem limite de dia ou de hora. Estes quids valerão sempre 3 pontos e correrão até que um nickname novo, num IP novo, chegue aos 100% ou se tendo passado mais de 48 horas, ao participante que recolher melhor classificação.

7. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Anúncios
Categories: Quids S19 | 24 comentários

Sam Graham-Felsen: o “blogger-chefe” da Campanha Obama sobre o uso da Web 2.0 nas campanhas eleitorais

Graham-Felsen (http://n.i.uol.com.br)

Graham-Felsen (http://n.i.uol.com.br)

A campanha presidencial de Barack Obama será vista durante muitos anos como uma campanha exemplar a muitos títulos. E entre estes, sobretudo pelo uso que fez das novas tecnologias e da Internet.

Recentemente, o “blogueiro-chefe” da campanha Obama, Sam Graham-Felsen, esteve no Fórum Urbano Mundial, no Rio de Janeiro e expôs aquelas que julga ter sido a grande força da campanha de Obama: a aposta decidida numa grande base de doadores individuais, concedendo uma grande autonomia à militância de base tendo sempre a Internet como plataforma comum.

Graham-Felsen falava no contexto das presidenciais brasileiras de outubro mas este ensinamento pode também ser aplicado nas eleições presidenciais portuguesas de janeiro de 2011 e, nestas, sobretudo pela do Dr. Fernando Nobre, candidato que apoiamos em nome pessoal e do MIL: Movimento Internacional Lusófono.

O especialista norte-americano a propósito do papel da militância numa campanha política declarou que “quanto mais as pessoas estão abertas para envolver a militância, mais transparente e interativa é a campanha. Sempre rende dividendos. A maneira tradicional é ir atrás da elite, poucos doadores dando muito dinheiro. Provamos que construindo relacionamento com uma maior base, tivemos uma lista de emails de 13 milhões de pessoas e 3 milhões de doadores. Mesmo que dêem só US$ 5, ou US$ 10, somou US$ 500 milhões”.

Graham-Felsen sublinhou ainda a importância de um bom slogan de campanha (como a “mudança” da campanha Obama), que possa polarizar as atenções e mobilize os apoiantes em torno da candidatura.

O blogueiro-chefe de Obama afirmou que os candidatos não podem ter receio de uma descentralização da campanha, entregando-a nas mãos dos seus voluntários e estendendo a criação e a manutenção de blogues, sites, Twitter e facebook pelos voluntários. O especialista reconhece que tal descentralização acarreta riscos para a campanha devido a declarações “menos corretas” que surgem inevitavelmente, fruto da própria paixão do apoiante e permitidas pela descentralização do “aparelho informal” assim fundado, mas Graham-Felsen alega que esses “deslizes” podem ser facilmente corrigidos pela sede das candidaturas e que os benefícios em rapidez, flexibilidade e criatividade compensam largamente esses defeitos.

O blogger referiu que uma forma de coordenar estes – aparentemente caóticos – grupos de voluntários poderá ser o fornecimento de orientações precisas, com pedidos de ações muito concretas, como telefonar a pessoas ou percorrer a vizinhança, recolhendo assinaturas, fazendo passar a mensagem e divulgando a própria existência da candidatura.

Por fim, Graham-Felsen deixou por fim um último conselho: “Passamos a maior parte da campanha não falando sobre Obama, mas falando em inspirar pessoas comuns que acreditavam em uma mudança possível. Quanto menos os candidatos focarem em si e mais nas pessoas, melhor”. A reter… Em qualquer Campanha, e no concreto caso que mais nos interessa: na Campanha Presidencial do Dr. Fernando Nobre.

Fonte:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u713584.shtml

Categories: Informática, Política Internacional, Política Nacional, Portugal | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade