João Jardim: Lembra-se? “Nem um tostão para Timor!”

A solidariedade a propósito da tragédia na Madeira criou uma natural e compreensível amnésia na sociedade portuguesa. Muitos de nós preferiram esquecer a boçalidade, os dislates e os insultos de Jardim a Portugal e à República. Mas passada a primeira hora, importa recordar de que tipo de personagem estamos a falar e o quanto ela tem prejudicado a Madeira e os madeirenses, aparentando – superficialmente – favorecê-la.

Lembremo-nos de que em 1999, João Jardim clamou: “Nem um tostão para Timor!” Agora, em 2010, não teve qualquer pudor em reclamar do continente que dez anos antes quisera negar aos timorenses, povo que sempre soube manter a língua portuguesa mesmo nos momentos de maior repressão e genocídio durante a ocupação indonésia.

Por isso, quando Timor decidiu enviar 750 mil dólares dos seus próprios fundos para enfrentar emergências para auxiliar a mesma Madeira liderada pelo energúmeno “nem mais um tostão para a Madeira” mostrou por aquela que é sempre a via mais expressiva: a do exemplo, especialmente eloquente quando temos em Timor um dos países mais pobres do mundo e na Madeira uma das regiões mais ricas da Europa.

Bem Haja, Timor!

Categories: Política Nacional, Portugal | Etiquetas: , , | 12 comentários

Navegação de artigos

12 thoughts on “João Jardim: Lembra-se? “Nem um tostão para Timor!”

  1. Rui Montenegro

    “Pela boca morre o peixe…” . Ditado de sabedoria popular que se adapta na perfeição a esta “bofetada de luva branca” que os Timorenses enviaram a esse senhor??? que mais não tem feito do que se servir da autonomia regional para disparar “brejeiriçes” em todos os sentidos.
    O povo da Madeira é certamente merecedor de toda a atenção possivel num momento tão dificil por que passaou e não tem culpa ( ou será que tem?) de ter como representante máximo uma individualidade que se celeberizou pela retorica “trauliteira” e sem pudor com que sistemáticamente nos brinda.
    Nem cheias nem dilúvios vão fazer mudar este personagem que é aquilo que é ,e que só tem as audiências que tem ,porque ainda lhe dão crédito!
    Infelizmente para os Madeirenses esta desgraça que aconteceu veio pôr a descoberto a fragilidade de todo o sistema e para alguém tão sobranceiro e arrogante como o presidente da região autonoma ,apenas deveria significar que ele, afinal de contas, necessita e muito de “todos os outros” ! Cubanos ( como ele nos chama) incluidos!

  2. Rui Montenegro

    Boa “bofetada de luva branca” que Timor deu ao Sr. Jardim! Apenas vale a pena comentar a nobre atitude dos Timorenses e não perder um minuto sequer com quem não merce.
    Infelizmente , o temporal na Madeira, pôs a descoberto a fragilidade e dependencia do sistema. Para quem está sempre a ” cuspir para o ar ” , tudo lhe caiu em cima e da pior maneira.

  3. Vocês nem fazem ideia o que é ser um madeirense que não tolera a arrogância da “maquina laranja”. Depois de 76, altura em que o PPD de jardim foi colocado no poder pela igreja católica numa espécie de revolução, a “maquina” ocupou todos os nichos da sociedade aniquilando desta forma, logo à nascença, qualquer oposição possível. Apoderaram-se de toda e qualquer associação, desde o clube de matraquilhos do bairro até ás associações aparentemente mais isentas e não governamentais. Desta forma só é dada voz a quem eles querem. Esta particular forma de democracia é tão eficaz que consegue ter poder sobre toda a vida do cidadão. Podem “empatar” completamente a vida de qualquer um que tenha a ousadia de fazer a mínima critica. A denuncia e a critica aberta apenas é possível a indivíduos que, como eu, já não tenham nada a perder.

    • Otus scops

      exmº joão jesus

      uma vez estive na Madeira e assisti a duas situações (no espaço de 6 dias) que me levam a achar que tem toda a razão nas denúncias que faz.
      venho aqui dizer-lhe que tem a minha admiração, troca o conforto submisso pela independência frontal, a cobardia pela coragem.
      quanto a este tema, os “atrasados” Mauberes deram uma lição de solidariedade aos “nobres e altivos” Capitães-Donatários que governam o arquipélago desde o séc. XV.

  4. Rui Montenegro

    Caro João Jesus,

    Por motivos profissionais ,desloco-me á Madeira pelo menos 4 vezes por ano e digo-lhe que sei bem daquilo que fala e compreendo-o perfeitamente!
    Um dos “avisos” que me foi feito ,prendeu-se exactamente com o perigo de defender determinadas posições ou tecer certos comentários porque ” aqui as paredes têm ouvidos…” (citei ).
    No inicio nem queria acreditar em semelhante coisa ,mas com o passar do tempo verifiquei que não era um exagero. Era mesmo assim, era mesmo verdade !
    O que não tem remédio, remediado está! Mas acredito que não há mal que sempre dure e sei que os Madeirenses merecem muito muito melhor!

  5. o que se passa na Madeira, já passa todos os limites há muito tempo… e a displicência dos órgãos do Estado perante a situação é absolutamente gritante.
    e durará até que Jardim decida sair do poder!

  6. Rui Montenegro

    O Jardim está certamente neste momento a “preparar catedráticamente” o seu sucessor. Qualquer ideia dissonante das suas politicas ,é prontamente abafada.
    Os Madeirenses terão de ter a corajem e vontade de mudar o estado de coisas. A ideia “turistica” que passa para o exterior é de uma ilha paradisiaca (leia-se Funchal)! O interior ,já é outra coisa…! Basta que se veja a preocupação em preparar o Funchal para a festa da flor. O interior , esse continua na mesma! Palavras para quê.

  7. o seu sucessor não é aquele tipo das fábrica de sanitas, um certo de “Ramos”?
    Se sim, teremos mais do mesmo…

  8. Rui Montenegro

    Ou o das sanitas ou então alguém da familia dos supermercados Sá! Os únicos a deter o monopólio na Madeira até ao ano passado! Esclarecedor não é ?

  9. sem dúvida… e sinal de uma democracia falhada que tem na Madeira o seu exemplo mais cabal e eternamente silenciado por todos os agentes com responsabilidades nessa matéria, a começar pelos vários PRs.

  10. Rui Montenegro

    Fico absolutamente espantado como é possivel esses “trauliteiro” ter tido o desplante de criticar o “estado novo” como o fez em variadissimas ocasiões, e ter uma postura absolutamente “pidesca” desde os anos 80 a esta parte.
    Culpados, muitos ! Presidentes da Republica incluidos que têm visto os seus nomes e condutas criticados de forma vergonhosa na “praça pública” sem que nenhuma consequência daí advenha.
    Basta lembrar as últimas atoardas lançadas ao Sr. Silva ( Anibal Cavaco de seu nome ) que por acaso ,bem ou mal é o Presidente da Republica.
    O Sr. Silva ( citei…) ouviu e calou! O Sócrates ,ouve e cala! Os cubanos ,nome carinhoso pelo qual são tratados todos os continentais, aturam este senhor continuadamente e : Nada acontece. O homem continua o rei do arquipelago das bananas. Perdoem-me os Madeirenses ( povo pelo qual nutro o maior carinho e admiração ) , a culpa também é deles. É bom não esquecer que o homem tem ganho sucessivamente com maiorias absolutas e não é só a máquina partidária a funcionar, porque os niveis de abstenção têm sido baixos.

  11. populista: Jardim cheira muito bem o que o “povo” gosta de ouvir e marcha com o seu discurso de acordo com a direção desse vento. E é exímio nessa arte verborreica…
    Cavaco, fez como Sampaio antes: colocou o rabo entre as pernas e lá foi à Madeira servir o regime local. Revelou também neste concreto que não tem a postura de Estado que se lhe exigia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

%d bloggers like this: