A evolução dos limites da Galiza no transcurso da História

Palestra de José Manuel Barbosa, na Sociedade de Geografia de Lisboa, a 19 de março de 2010:
O nome da Galiza não se corresponde com o mesmo território segundo a etapa histórica da que estejamos a falar e é por isso pelo que os limites da mesma também não são os mesmos.
O Paradigma galeguista, como contraposição ao Paradigma castelhanista põe sobre a mesa uma narração dos factos no que a Galiza existe como ente protagonista da Idade Média e ainda de outras épocas. Nós tentaremos desvendar aquelas chaves que até agora não levam sido publicitadas porque a Galiza não tinha possibilidade de as expor como sim tem sido possível com a Catalunha e o País Basco dentro do contexto do Reino da Espanha porque nesses países sim há um poder autocentrado que não só permite, mas impulsiona o estudo da própria História como elemento fulcral na (re-)construção nacional, apesar do castelhanismo ideológico que procura deformar a realidade passada dos povos e nações da península Ibérica.

O nome da Galiza não se corresponde com o mesmo território segundo a etapa histórica da que estejamos a falar e é por isso pelo que os limites da mesma também não são os mesmos.O Paradigma galeguista, como contraposição ao Paradigma castelhanista põe sobre a mesa uma narração dos factos no que a Galiza existe como ente protagonista da Idade Média e ainda de outras épocas. Nós tentaremos desvendar aquelas chaves que até agora não levam sido publicitadas porque a Galiza não tinha possibilidade de as expor como sim tem sido possível com a Catalunha e o País Basco dentro do contexto do Reino da Espanha porque nesses países sim há um poder autocentrado que não só permite, mas impulsiona o estudo da própria História como elemento fulcral na (re-)construção nacional, apesar do castelhanismo ideológico que procura deformar a realidade passada dos povos e nações da península Ibérica.

ÁUDIO (De melhor qualidade) em:
Categories: Galiza, História, Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono, Portugal | 9 comentários

Navegação de artigos

9 thoughts on “A evolução dos limites da Galiza no transcurso da História

  1. Otus scops

    alguns comentários:
    1. o tema é interessante. apesar de ser um assunto exterior ao nosso país temos contiguidade territorial neste caso e devemos segui-lo. por motivos pessoais e sobretudo afectivos tudo o que tem a ver com a, por princípio, Galiza interessa-me.
    2. o som é horrível, não percebi muito bem o que diziam. pena.
    3. será possível disponibilizar o ficheiro com a apresentação da evolução cartográfica da Ĝaliza que o palestrante utilizou?
    4. tenho pena de não assistir a estes eventos. seria possível, por aqui, eventos deste tipo serem divulgados com antecedência?
    5. quando, onde e quem foi e foram os intervenientes deste evento? haverá mais no futuro?

  2. ah! eu sei!
    devia-me ter colado na fila da frente…
    posso pedir ao autor o ficheiro, claro. Aliás, acabo de o fazer…
    o audio (bem melhor) estará disponível brevemente algures por aqui:
    http://www.radiolusofona.net/
    mas no máximo do som, dá para perceber a maioria do que se disse.
    é uma palestra de lançamento do livro do José…
    Mais palestras idênticas, sim, claro. Procurarei avisar aqui, quando souber de tal.
    O MIL, p.ex. organizou recentemente uma sobre a Galiza:
    http://movimentolusofono.wordpress.com/2009/12/08/video-quase-integral-do-debate-publico-de-5-de-dezembro-o-futuro-da-galiza-no-espaco-lusofono/
    e mais se seguirão…

  3. Otus scops

    realmente o som melhorou. estou a ouvir enquanto escrevo aqui.
    mas eu gostava de obter o ficheiro com os mapas da apresentação que serviu de apoio à palestra. será possível?
    obrigado.

  4. ridiculo, hem? o meu leitor de mp3 tem um micro melhor que a câmara de video…
    já pedi o powerpoint ao José Manuel, ele há de o enviar.
    De facto, já houve mais pessoas a pedirem isso mesmo… quando o receber, coloco-o aqui.

    • Otus scops

      fico a aguardar e agradeço. realmente o som era perfeitamente perceptível, faltavam “os bonecos”. ainda tentei sobrepor as imagens e o som mas … é muito longo e não tenho tempo.
      boa escolha de mp3!

  5. A Galiza só por ironia do destino não é um pedaço do território português…

    • Otus scops

      discordo, Portugal (ainda não era obviamente Portugal) no início da sua nacionalidade teve que iniciar a guerra com a Galiza, éramos uma sucursal de 2ª categoria, dependíamos da Galiza que por sua vez tinha como suserano o Imperador de Leão.
      talvez o contrário fosse verdade, o que hoje é Portugal podia ter sido “um pedaço do território galego”.
      ironia maior é o Brasil e outros países não serem ainda de Portugal… 😉 (esta é só uma pequena provocação)

  6. Acabo de confirmar com o autor: os mapas do livro têm copyright de terceiros e não podem assim ser divulgados em formato de ppt ou outro.
    mas o livro pode ser comprado em:
    http://www.polifona.com/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: