A evolução dos limites da Galiza no transcurso da História

Palestra de José Manuel Barbosa, na Sociedade de Geografia de Lisboa, a 19 de março de 2010:
O nome da Galiza não se corresponde com o mesmo território segundo a etapa histórica da que estejamos a falar e é por isso pelo que os limites da mesma também não são os mesmos.
O Paradigma galeguista, como contraposição ao Paradigma castelhanista põe sobre a mesa uma narração dos factos no que a Galiza existe como ente protagonista da Idade Média e ainda de outras épocas. Nós tentaremos desvendar aquelas chaves que até agora não levam sido publicitadas porque a Galiza não tinha possibilidade de as expor como sim tem sido possível com a Catalunha e o País Basco dentro do contexto do Reino da Espanha porque nesses países sim há um poder autocentrado que não só permite, mas impulsiona o estudo da própria História como elemento fulcral na (re-)construção nacional, apesar do castelhanismo ideológico que procura deformar a realidade passada dos povos e nações da península Ibérica.

O nome da Galiza não se corresponde com o mesmo território segundo a etapa histórica da que estejamos a falar e é por isso pelo que os limites da mesma também não são os mesmos.O Paradigma galeguista, como contraposição ao Paradigma castelhanista põe sobre a mesa uma narração dos factos no que a Galiza existe como ente protagonista da Idade Média e ainda de outras épocas. Nós tentaremos desvendar aquelas chaves que até agora não levam sido publicitadas porque a Galiza não tinha possibilidade de as expor como sim tem sido possível com a Catalunha e o País Basco dentro do contexto do Reino da Espanha porque nesses países sim há um poder autocentrado que não só permite, mas impulsiona o estudo da própria História como elemento fulcral na (re-)construção nacional, apesar do castelhanismo ideológico que procura deformar a realidade passada dos povos e nações da península Ibérica.

ÁUDIO (De melhor qualidade) em:
Anúncios
Categories: Galiza, História, Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono, Portugal | 9 comentários

Navegação de artigos

9 thoughts on “A evolução dos limites da Galiza no transcurso da História

  1. Otus scops

    alguns comentários:
    1. o tema é interessante. apesar de ser um assunto exterior ao nosso país temos contiguidade territorial neste caso e devemos segui-lo. por motivos pessoais e sobretudo afectivos tudo o que tem a ver com a, por princípio, Galiza interessa-me.
    2. o som é horrível, não percebi muito bem o que diziam. pena.
    3. será possível disponibilizar o ficheiro com a apresentação da evolução cartográfica da Ĝaliza que o palestrante utilizou?
    4. tenho pena de não assistir a estes eventos. seria possível, por aqui, eventos deste tipo serem divulgados com antecedência?
    5. quando, onde e quem foi e foram os intervenientes deste evento? haverá mais no futuro?

  2. ah! eu sei!
    devia-me ter colado na fila da frente…
    posso pedir ao autor o ficheiro, claro. Aliás, acabo de o fazer…
    o audio (bem melhor) estará disponível brevemente algures por aqui:
    http://www.radiolusofona.net/
    mas no máximo do som, dá para perceber a maioria do que se disse.
    é uma palestra de lançamento do livro do José…
    Mais palestras idênticas, sim, claro. Procurarei avisar aqui, quando souber de tal.
    O MIL, p.ex. organizou recentemente uma sobre a Galiza:
    http://movimentolusofono.wordpress.com/2009/12/08/video-quase-integral-do-debate-publico-de-5-de-dezembro-o-futuro-da-galiza-no-espaco-lusofono/
    e mais se seguirão…

  3. Otus scops

    realmente o som melhorou. estou a ouvir enquanto escrevo aqui.
    mas eu gostava de obter o ficheiro com os mapas da apresentação que serviu de apoio à palestra. será possível?
    obrigado.

  4. ridiculo, hem? o meu leitor de mp3 tem um micro melhor que a câmara de video…
    já pedi o powerpoint ao José Manuel, ele há de o enviar.
    De facto, já houve mais pessoas a pedirem isso mesmo… quando o receber, coloco-o aqui.

    • Otus scops

      fico a aguardar e agradeço. realmente o som era perfeitamente perceptível, faltavam “os bonecos”. ainda tentei sobrepor as imagens e o som mas … é muito longo e não tenho tempo.
      boa escolha de mp3!

  5. A Galiza só por ironia do destino não é um pedaço do território português…

    • Otus scops

      discordo, Portugal (ainda não era obviamente Portugal) no início da sua nacionalidade teve que iniciar a guerra com a Galiza, éramos uma sucursal de 2ª categoria, dependíamos da Galiza que por sua vez tinha como suserano o Imperador de Leão.
      talvez o contrário fosse verdade, o que hoje é Portugal podia ter sido “um pedaço do território galego”.
      ironia maior é o Brasil e outros países não serem ainda de Portugal… 😉 (esta é só uma pequena provocação)

  6. Acabo de confirmar com o autor: os mapas do livro têm copyright de terceiros e não podem assim ser divulgados em formato de ppt ou outro.
    mas o livro pode ser comprado em:
    http://www.polifona.com/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: